quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

FERNANDO PESSOA


Autor: Sónia Louro





Sinopse: Este é o romance biográfico de Fernando Pessoa, o poeta que foi muitos poetas. Órfão de pai aos cinco anos de idade, cedo perde a atenção da mãe quando esta volta a casar. Forçado a partir para a distante África do Sul, onde o nascimento de irmãos o isolam ainda mais, refugia-se em si mesmo e aí cria novos mundos.
No fim da adolescência regressa a Lisboa, na vã tentativa de resgatar os poucos momentos da vida em que fora feliz. Aí conhece personalidades do mundo das artes e da literatura, como Almada Negreiros, Mário de Sá-Carneiro ou Adolfo Casais Monteiro. É um dos fundadores da Orpheu, uma revista artística que foi recebida com escândalo pela crítica.
Correspondente comercial, inventor, tradutor, editor, publicitário e astrólogo, Fernando Pessoa procurou várias formas de ganhar a vida. E até o amor lhe bateu à porta quando conheceu Ophélia Queiroz. 
 

Fernando Pessoa é um dos grandes nomes da nossa História, mas confesso que o meu conhecimento sobre o homem é muito inferior ao que conhecimento que tenho do escritor. O que mais gostei deste livro foi a "mistura" de informação que recebemos do homem e do escritor. Sónia Louro, que já presenteou os leitores com um livro sobre Amália, entra agora na vida de Fernando Pessoa para nos mostrar muitas das características e acontecimentos que moldaram este imortal escritor.

Misturando factos e ficção, a escritora usa como base as grandes dificuldade que Pessoa enfrentou na sua vida e que, irremediavelmente, o moldaram psicologicamente, "ajudando-o" a tornar-se no grande escritor que foi. Esta mistura de factos e ficção está muito bem conseguida se olharmos para o enredo em si, mas é na construção da própria personagem que o livro cria as ligações que me agradaram. Sónia Louro "agarra" nas características psicológicas de Pessoa, resultantes da sua experiência de vida aqui narrada, e transfere-as para as obras do poeta, criando aqui a ponte entre a pessoa que Pessoa era, e o seu trabalho. Afinal, de onde vinha tal inspiração e tendências?

E é lentamente, com uma escrita que me agradou, que a autora me levou por um livro que no início não me estava a conquistar, talvez por não ter percebido de imediato qual era o objetivo global do enredo. A narrativa vai introduzindo personagens, molda diálogos interessantes e no fim sentimos que conhecemos muito melhor Fernando Pessoa, principalmente na parte humana, que tem um foco muito maior do que a parte profissional do poeta. Personagens como Ophélia, Almada Negreiros ou Crowley, oferecem algo ao enredo, por muito indireta que possa ser a participação, e tornam o livro mais coeso e mais abrangente, mas no fim o que interessa é o conhecimento que ganhamos de Pessoa.

Enquanto livro empolgante e que não conseguimos largar, Sónia Louro não consegue agarrar totalmente o leitor, não por falta de qualidade do livro, mas porque o enredo assim não o permite. Esse foi o meu problema inicial, estava a ler o livro porque queria saber mais sobre Pessoa, e não porque o livro me tinha agarrado. Todavia, após estar a meio da narrativa, a autora já me tinha conquistado porque já me tinha provado que o seu trabalho de pesquisa foi fantástico (e tal fica provado quando acabamos o livro) principalmente na parte à qual o público não teve acesso. O que está por detrás do génio? Quais eram os medos e os objetivos de Pessoa? Qual era a sua angústia e a sua motivação? Foram essas respostas que mais apreciei neste livro, porque se, quando estudamos Pessoa, o poeta, criamos uma visão complexa, aqui, ao vermos Pessoa, o homem, apagamos essa complexidade e percebemos. E é por isso que vale a pena ler este livro... porque percebemos melhor o génio por detrás das palavras, porque por vezes sentimos que não é a autora que está a escrever, mas sim Fernando Pessoa, e esse é o maior elogio que posso dar.

Luís Pinto       

Sem comentários:

Enviar um comentário