quinta-feira, 19 de outubro de 2017

UMA COLUNA DE FOGO


Autor: Ken Follett

Título original: A column of fire





Sinopse:  Natal de 1558. O jovem Ned Willard regressa a Kingsbridge, e descobre que o seu mundo mudou.
As velhas pedras da catedral de Kingsbridge contemplam uma cidade dividida pelo ódio de cariz religioso. A Europa vive tempos tumultuosos, em que os princípios fundamentais colidem de forma sangrenta com a amizade, a lealdade e o amor. Ned em breve dá consigo do lado oposto ao da rapariga com quem deseja casar, Margery Fitzgerald.
Isabel Tudor sobe ao trono, e toda a Europa se vira contra a Inglaterra. A jovem rainha, perspicaz e determinada, cria desde logo o primeiro serviço secreto do reino, cuja missão é avisá-la de imediato de qualquer tentativa quer de conspiração para a assassinar, quer de revoltas e planos de invasão.
Isabel sabe que a encantadora e voluntariosa Maria, rainha da Escócia, aguarda pela sua oportunidade em Paris. Pertencendo a uma família francesa de uma ambição brutal, Maria foi proclamada herdeira legítima do trono de Inglaterra, e os seus apoiantes conspiram para se livrarem de Isabel.
Tendo como pano de fundo este período turbulento, o amor entre Ned e Margery parece condenado, à medida que o extremismo ateia a violência através da Europa, de Edimburgo a Genebra. Enquanto Isabel se esforça por se manter no trono e fazer prevalecer os seus princípios, protegida por um pequeno mas dedicado grupo de hábeis espiões e de corajosos agentes secretos, vai-se tornando claro que os verdadeiros inimigos  ̶  então como hoje  ̶  não são as religiões rivais.
A batalha propriamente dita trava-se entre aqueles que defendem a tolerância e a concórdia e os tiranos que querem impor as suas ideias a todos, a qualquer custo.



Ken Follett regressa ao tema que lhe deu o seu maior êxito. O mundo de Os Pilares da Terra é o local para o qual somos transportados quando ouvimos falar deste autor. Este é o terceiro livro desta saga que apesar de se passar no mesmo mundo, conseguem ser lidos de forma independente. No entanto, será sempre melhor ter lido os dois anteriores livros para perceberem toda a história e ligações que existem neste livro.

Follett mantém a sua escrita inteligente, bem estruturada, e com um ritmo oscilante que nos leva a avançar furiosamente nuns momentos e a pausar noutros, questionando o que estamos a ler, as implicações de certos atos, o porquê do que está a acontecer.

A brilhantismo deste livro está na forma como o autor nos transporta para este mundo. Os detalhes são constantes, a forma como a atmosfera é descrita faz a diferença e aos poucos tudo se torna mais imersivo. É fácil imaginar estes locais, é fácil perceber os receios, os traumas, as esperanças destas personagens. É fácil sentir a tensão religiosa, o amor, o ódio. É fácil sentir o preconceito. Para tal, o autor explora personagens com características únicas, por vezes algo clichés, mas que ajudam a sustentar e aprofundar a própria história.

Outro aspeto positivo está no contraste que o autor faz entre os ambientes mais ricos e mais pobres da sociedade, criando contrastes significativos nos momentos em que menos esperamos, mas que, por vezes, se notam num simples diálogo que parece não oferecer nada à história, mas consegue criar algo. Uma ideia, uma noção que irá sustentar algo mais à frente.

Enquanto enredo, Follett faz uma história interessante mas que não consegue ter o impacto ou o carisma de Os pilares da Terra, que é uma obra marcante. No entanto, olhando para a qualidade deste livro, é fácil recomendá-lo aos fãs da saga, até porque consegue ser melhor do que o segundo livro da saga. Se gostam de romances históricos ou se são fãs da saga, então devem ler este livro e voltar a sentir o que este mundo ainda tem para dar.

Luís Pinto




sexta-feira, 13 de outubro de 2017

MOMENTOS DECISIVOS DA HUMANIDADE


Autor: Stefan Zweig

Título original: Decisive Moments in History




Sinopse: Este livro reúne alguns momentos decisivos da humanidade. São aqueles em que, nas palavras do próprio Zweig, «o drama reveste formas inauditas, imensas»




Stefan Zweig foi um escritor que explorou as mais diversas formas de escrita e os temas mais diversificados. Neste livro, Zweig escolhe alguns momentos, por exemplo batalhas ou decisões, que foram de alguma forma marcantes para a História da humanidade. Não se trata de explorar os mais decisivos nem de explicar porquê, mas sim de aprofundar momentos escolhidos pelo autor, sem deixar de notar que existem pontos comuns a cada momentos.

Com uma escrita pausada e inteligente, Zweig explora momentos marcantes, e talvez até um pouco desconhecidos da maioria dos leitores, mas aos poucos percebemos que o momento em si não é a base do livro, mas sim a humanidade. O que Zweig tenta aqui explorar e desmascarar é o ser humano, a sua necessidade por mais, seja esse mais o que for. Pode ser amor, pode ser poder, pode ser riqueza. A questão é que queremos sempre mais.

O que mais apreciei neste livro foi a forma como o autor olhou para a humanidade enquanto um todo. Explora a natureza humana e nota-se como um livro com tantas dezenas de anos ainda está tão atualizado em relação ao que somos e para onde vamos. A isto juntou-se, na minha leitura, a curiosidade de o autor explorar momentos que eu nunca escolheria como decisivos, mas aos poucos comecei a perceber as suas escolhas. Eu teria escolhido outros, e cada leitor escolheria outros. Talvez esteja aí a singularidade desta narrativa.

Inteligente, atualizado e capaz de criar várias ligações entre momentos enquanto leva o leitor a pensar e a questionar causas e efeitos, este foi um livro que me agradou bastante, talvez pela visão singular do autor. Não é um livro viciante, nem o tenta ser, mas consegue ser único à sua maneira, sendo uma leitura que agradará aos que, ao olharem para esta simples sinopse, fiquem curiosos por saber mais. Mais um bom livro de Stefan Zweig.

Luís Pinto

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

PASSATEMPO - PES 2018


PASSATEMPO

PES 2018 - PS4



E aqui temos mais um passatempo em parceria com o blog Tek Test

Para se habilitarem a ganhar basta serem fãs do blog Tek Test, partilharem o passatempo e preencherem o formulário.

O passatempo termina dia 22 de outubro e apenas é permitida uma participação por fã.

O vencedor será contactado por e-mail para indicar a morada onde receberá o prémio.

Boa sorte a todos!




terça-feira, 10 de outubro de 2017

PASSATEMPO: O terceiro desejo


PASSATEMPO

O terceiro desejo



Estamos de volta aos passatempos e até ao natal serão vários! Hoje temos um exemplar para oferecer em parceria com o blog Tek Test (blog sobre videojogos e tecnologia área onde a saga The Witcher terá sempre um espaço de destaque)

Para se habilitarem a ganhar basta serem fãs dos dois blogues, partilhar o passatempo e preencherem o formulário com os vosso dados.

Apenas é permitida uma participação por pessoa.

O passatempo termina dia 22 de outubro

Estejam atentos, porque vamos ter muitos passatempos em breve!

Boa sorte a todos!

Sinopse: O seu nome é Geralt de Rivia. Dizem que é um bruxo e um assassino sem misericórdia que vagueia pelo mundo à caça de monstros e predadores. Mas na verdade vive de acordo com o seu próprio código de conduta. A sua espada serve, em troca de uma recompensa, poderosos reis amaldiçoados, mas também os mais desfavorecidos.
Ao longo das suas viagens, Geralt encontra todo o tipo de criaturas – algumas saídas da mitologia eslava e dos contos populares dos irmãos Grimm – como vampiros e lobisomens, elfos, quimeras e estriges, trolls e génios que o tentam, satisfazendo todos os seus desejos.
Mas este é apenas o início das suas aventuras como viajante e feiticeiro que irá desafiar o destino num mundo em que criaturas de todas as raças coabitam numa paz precária prestes a despedaçar-se…




 

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

VADER ABATIDO


Título original:  Vader Down




Sinopse: A primeira recompilação das duas séries mais vendidas na nova era MARVEL: Star Wars e Darth Vader, o vilão mas amado do universo Star Wars. Todas as suas personagens preferidas estão aqui: Luke, Vader, Leia, Aphra, Han, C-3PO, R2-D2, Triplo- Zero e BT-1! Há também uma batalha entre Wookies e Chewbacca contra Krrsantan.



Novamente regresso a Star Wars para mais uma leitura de uma BD da Marvel. Uma vez mais a "parceria" Disney/Star Wars/Marvel dá frutos e demonstra a qualidade exigida a estes nomes. Num livro que cruza as sagas Darth Vader e Star Wars que já aqui li em BD, este livro é essencial a qualquer fã, não só porque as nossas personagens favoritas estão aqui, mas porque a história merece ser lida.

Muito do que já disse sobre as BD de Star da Marvel poderia voltar a dizer agora. A qualidade da capa dura e do papel são de aplaudir e novamente dou os parabéns à editora Planeta por aposta na qualidade de tudo o que envolve esta saga. Depois, na parte gráfica não há nada a apontar de negativo. As ilustrações estão fantásticas, sempre cheias de detalhe, de qualidade e com uma realização e montagem que nos fazem perceber a cada instante o que está a acontecer e a identificar personagens e locais.

O ritmo está bastante bom, sempre alto e conseguindo inserir os momentos ou detalhes mais característicos da saga, não só nos comportamentos dos personagens que conhecemos, mas também com diálogos ou acontecimentos que parecem mesmo Star Wars. A isto junta-se um enredo intenso, muito bem concretizado graças à narrativa e à forma como a história está contada.

Não existe muito que possa dizer sobre este livro sem revelar nada. Uma vez mais os autores exploram Vader, tentando aprofundar a sua evolução e adaptação de Anakin para Vader, mas não só. Existem aqui várias personagens que são exploradas, tornando esta BD, provavelmente, na mais abrangente até agora. A saga continua em grande e merece ser lida por qualquer fã. Se gostam de Star Wars não podem deixar escapar estas páginas. Muito bom!

Luís Pinto

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

OS ROMANOV - Livro I - Ascensão


Autor: Simon Sebag Montefiore

Título original: The Romanov





Sinopse: Os Romanov foram a mais bem-sucedida dinastia dos tempos modernos. Como foi possível uma família transformar um reino débil e arruinado, devido à guerra civil, no maior império do mundo? E como deitaram tudo a perder?
Esta é a história de vinte czares e czarinas, alguns tocados pelo génio, outros pela loucura, mas todos inspirados pela sagrada autocracia e ambição imperial. Esta arrebatadora narrativa revela de forma magistral a família Romanov - o seu mundo secreto de poder ilimitado, a implacável construção de um império, ensombrado por conspirações palacianas, rivalidades familiares, assassinatos, decadência e excessos sexuais, a influência dos cortesãos, aventureiros, revolucionários e poetas. É apresentado um vasto painel de figuras desde Ivan, o Terrível, a Tolstoy, da rainha Vitória a Lenine, de Pedro, o Grande, a Catarina, a Grande.
Baseado numa aprofundada pesquisa de arquivos a que nunca tinha havido acesso, esta é uma obra fascinante e indispensável para conhecer a história empolgante de triunfo e de tragédia, de amor e de morte, de uma família e de um imenso país - um estudo universal do poder e um retrato essencial do império que define a Rússia atual. Uma obra de leitura obrigatória que a Presença publica em dois volumes. 



Quando li esta sinopse fiquei com curiosidade em aprofundar este livro, pois retrata um tema que não conheço muito bem. Tal como a sinopse indica, este livro explora a ascensão da poderosa família Romanov e a enorme mudança que fizeram num império em queda.

Com uma escrita interessante e capaz de perceber o que deve explorar e o ritmo a que o deve fazer, o autor parte do princípio, e bem, de que o autor poucos ou nenhum conhecimentos tem do tema. com isto o livro de imediato começa a cativar, pois começamos a compreender o essencial numa fase inicial do livro, levando depois aos momentos mais marcantes. O autor explora tudo o que foi importante durante estes duzentos anos de ascensão, originando um livro de mais de quinhentas páginas, mas que se lê bastante bem.

Com uma narrativa cronológica, o autor consegue explorar bem a evolução social e política que os Romanov implementaram, principalmente porque o autor se foca bastante em tudo o que envolve a família, desde questões sociais e religiosas, passando pela política interna e externa. A visão que este livro nos dá, e o detalhe em cada capítulo leva-nos a sentir que estamos a viver naquela época e a sentir realmente os efeitos, os preconceitos, as dificuldades. Por tudo isto, um livro que poderá parecer ter um tema denso e complexo, consegue ser cativante, levando a que estas mais de quinhentas páginas não custem a ler.

Visto que ainda me falta ler o segundo livro, que retrata a queda da família, deixarei uma opinião mais detalha para depois. No entanto, há facto indiscutíveis  neste livro: o conhecimento do autor está muito bem sustentado numa pesquisa que aqui dá frutos. Desde o início ao fim senti que estava perante um livro completo e com o qual aprendi bastante. Se acham o tema interessante, então é um livro para estar na vossa estante.

Luís Pinto