segunda-feira, 27 de março de 2017

Passatempo: The Legend of Zelda - The breath of the wild - Wii U


PASSATEMPO

The Legend of Zelda 
The breath of the wild 

Versão Wii U - código



Temos para oferecer, em parceria com o canal Tek Test, um código do jogo The Legend of Zelda - The breath of the wild  para a Wii U.




Para se habilitarem a ganhar, basta:

- Serem fãs/seguidores do Ler y Criticar (aqui)

- Serem fãs do Tek Test (aqui)

 - Subscrever o canal Tek Test (aqui)

- Enviar mail para o endereço tektestpt@gmail.com, com assunto "passatempo Zelda Wii U", indicando o Nome de Subscritor do canal, nome de fã do Ler y Criticar e do Tek Test no Facebook, e a classificação dada ao jogo no vídeo da análise no canal Tek Test.

Atenção que o passatempo termina já no fim do dia 29 de Março!

Boa sorte a todos!


quinta-feira, 23 de março de 2017

ARTE NO SANGUE


Autor: Bonnie Macbird

Título original: Art in the Blood





Sinopse: Sherlock Holmes, de 34 anos, definha e volta à cocaína depois de uma desastrosa investigação sobre Jack, o Estripador.
Watson não consegue consolar nem reanimar o seu amigo, até que chega, de Paris, uma carta codificada de modo estranho.
Mademoiselle La Victoire, uma bonita cantora de cabaré francesa, conta que o filho ilegítimo, que teve com um lorde inglês, desapareceu e que ela foi atacada nas ruas de Montmartre. 



Sou um grande fã de Sherlock Holmes mas nem sempre aprecio na totalidade livros escritos por outros autores. A questão é simples: a expectativa pode matar o livro, porque nenhum autor consegue alcançar a qualidade de Arthur Conan Doyle. O seu Sherlock será sempre único. Posto isto, já existiram bons livros, filmes ou séries que conseguiram agarrar o trabalho de Doyle e adaptá-lo a algo novo e com muita qualidade. A série televisiva Sherlock é um desses casos. Aqui neste livro temos mais uma boa tentativa, mas que não consegue ser fantástica.

Em primeiro lugar, a escrita da autora está boa, sendo capaz de se adaptar bastante bem ao enredo e criando o suspense necessário. O ritmo é interessante e a autora consegue deixar o leitor com as dúvidas necessárias para que a leitura seja viciante, graças também a uma base bastante apelativa. O mistério tem uma boa base e evolui com inteligência, apesar de nem sempre termos perante nós o brilhantismo de Sherlock. A autora consegue explorar com astúcia os motivos de alguns personagens e esse é um dos grandes trunfos do livro, principalmente porque nos ajuda a criar teorias sobre o que estamos a ler.

No entanto o livro peca por apresentar personagens algo incoerentes por comparação ao que se conhece de outros livros. Claro que aqui estamos perante a visão da autora, mas existe sempre a tendência de se comparar estas personagens com as suas versões originais, e aí a autora por vezes afasta-se do Sherlock ou do Mycroft que conhecemos. No entanto, a própria comparação que faço, talvez seja injusta, mas quase inevitável.

Tirando estes detalhes, e que apenas irão desagradar aos fãs de Sherlock, a autora consegue oferecer aqui um bom livro, mas que nunca é fantástico. Os diálogos são bons e a conclusão tem lógica, mas a expectativa pode matar o livro tal como aconteceu com muitos outros que tiveram Sherlock como personagem principal. Resumindo, este livro é um bom policial, mas que tem algumas falhas que os fãs de Sherlock irão notar. No entanto, se gostam do género, este é um livro muito viciante, quer sejam fãs ou não do mais famoso detective do mundo.

Luís Pinto

quarta-feira, 22 de março de 2017

AS INSDÚSTRIAS DO FUTURO


Autor: Alec Ross

Título original: The Industries of the future




Sinopse: Este livro analisa as indústrias que serão a força motriz dos próximos vinte anos de mudanças profundas na economia e na sociedade.
Os capítulos estão estruturados em torno das indústrias-chave do futuro - robótica, ciências da vida avançadas, codificação do dinheiro, cibersegurança e big data -, bem como dos contextos geopolíticos, culturais e geracionais a partir dos quais estas indústrias estão a nascer. Alec Ross selecionou-as não só pela importância que têm em si, mas também porque simbolizam as tendências globais mais abrangentes de um mundo que se verá confrontado com uma necessidade extrema de adaptação, face à mudança relativa ao modo como trabalhamos e vivemos e ao impacto disso mesmo, tão grande quanto desigual, nos nossos meios de subsistência e nas nossas vidas. Se no século XX a linha de separação dominante entre os sistemas políticos e os mercados percorria o eixo que dividia a esquerda da direita, no século XXI essa linha de separação situa-se entre aqueles que possuem modelos políticos e económicos abertos e aqueles que estão fechados. Neste sentido, AS INDÚSTRIAS DO FUTURO é sobretudo um livro acerca da competitividade e daquilo que é preciso para as sociedades, as famílias e os indivíduos prosperarem a partir do fortalecimento do seu recurso mais crítico: as pessoas.



O mundo está cada vez a andar mais depressa, todos os dias, sem parar. Este livro é sobre algumas tendências, sobre como algumas áreas deverão evoluir, quase sempre tendo como base sistemas sociais ou financeiros. Quais são as tendências, o que influencia as massas, para onde vai o dinheiro com os grandes nomes cada vez mais a globalizarem tudo?

Com uma escrita simples o autor aprofunda conceitos financeiros e sociais que fizeram a diferença nos últimos anos e que estiveram na origem do sucesso de algumas empresas e conceitos que tiveram um sucesso estrondoso na nossa sociedade nos últimos anos. A isso, o autor junta uma análise interessante sobre a influência da internet e para onde nos leva a globalização e o acesso instantâneo a tudo o que nos rodeia, desde informações ou serviços.

Com tudo isso como base, o autor perspectiva o que nos espera e como nos devemos adaptar, pois é isso que o mundo está actualmente a fazer a cada instante… adaptar-se a tudo. Gostei da forma como o autor consegue tratar de todos estes temas de forma simples que levarão qualquer leitor a perceber tudo o que é preciso, mesmo sem ter conhecimentos prévios sobre estes temas. O livro está bem estruturado, com o autor primeiro a dar as bases necessárias e depois a começar a aprofundar certos temas tendo o leitor já o conhecimento necessário para que deixem de existir dúvidas e a leitura se torne mais rápida.

É claramente um bom livro, mas focado naqueles que apreciem o tema. Não existe muito mais que possa dizer sem começar a revelar conceitos e ideias que o leitor deverá ganhar durante a leitura. Se olharam para a sinopse e ficaram com interesse, então esta é uma boa leitura.

Luís Pinto

Top Review Awards 2016 - Ler y Criticar ganha Melhor Blog de Literatura



TOP REVIEW AWARDS 2016



Chegou ao fim mais uma votação dos Top Review Awards, uma iniciativa dos Top Imprensa.

Este ano foram várias categorias a concurso, com os nomeados a serem escolhidos pela organização.

Na categoria de Literatura, foram cinco os nomeados e novamente dou os parabéns a todos, com grande destaque para os blog "BranMorrighan" e "A menina dos policiais" que novamente foram nomeados e com toda a justiça. 

Este ano ganhei pela terceira vez consecutiva um prémio de Melhor Blog de Literatura e novamente tenho de agradecer a todos os que votaram em mim. Este blog tem quase 6 anos e tornou-se muito mais do que imaginei no início, principalmente porque sempre quis que este espaço fosse apenas para críticas literárias sem spoilers e o mais imparciais possível para as minhas capacidades. Hoje é um espaço com várias parcerias e mais de um milhão de visualizações.

O tempo é escasso, e muitas vezes nem consigo responder aos comentários e mails que recebo, mas vou continuar a tentar ter opiniões todas as semanas.

O meu muito obrigado a todos os que votaram em mim, aos que me ajudaram com passatempos, parcerias, eventos... aos que comentaram durante todos estes anos. Aos que enviaram mails com opiniões sobre textos meus, aos que enviaram mails a agradecer as minhas opiniões depois de terem lido livros que recomendei. Nunca imaginei manter este blog tantos anos mas espero continuar durante mais alguns.

Para aqueles que não conheçam os restantes blogue nomeados, valem a pena! Vejam os resultados neste link.

Obrigado a todos!

sexta-feira, 17 de março de 2017

REI DOS ESPINHOS


Autor: Mark Lawrence

Título original: King of Thorns





Sinopse: O Príncipe Jorg Ancrath jurou vingar a morte da mãe e do irmão, brutalmente assassinados quando ele tinha apenas 9 anos. Jorg cresce na ânsia de saciar o seu desejo de vingança e de poder, e, ao fim de quatro anos, cumpre a promessa que fez - mata o assassino, o Conde de Renar, e toma-lhe o trono. Aos 18 anos, Jorg luta agora por manter o seu reino, e prepara-se para enfrentar o inimigo poderoso que avança em direção ao seu castelo.


Após um primeiro livro muito viciante, finalmente li este segundo livro em que o autor aproveita para explorar bastante algumas personagens e o mundo que as rodeia.

Em primeiro lugar percebe-se com facilidade que o autor abranda o seu ritmo. O livro está um pouco mais lento na fase inicial, não só para ir explicando o salto temporal entre os livros, mas também para saltar entre as duas narrativas que constituem o enredo. 

O autor explora algumas personagens com mestria, mas o foco está sempre em Jorg, com o qual se cria uma ligação nada fácil de se explicar. São muitos os livros em que estamos perante um personagem principal desprezível, e cabe ao autor desequilibrar a  balança para que o leitor odeie ou não o personagem. Aqui existe um equilíbrio difícil de se conseguir, e que é o grande trunfo do livro. Uma parte de nós percebe Jorg e quer que ele seja o vencedor. Outra parte rejeita todas as suas ações. E é neste misto que o livro nos leva, talvez com a esperança de que o personagem mude no final.

Com o mundo melhor explorado num ritmo ligeiramente mais lento, a personagem de Jorg torna-se fascinante, e sem ela este livro seria apenas banal. No entanto, de um ponto de vista crítico, este livro é superior ao anterior. É mais maduro, mais coerente e mais inteligente no que nos oferece e nos caminhos que percorre. É fácil perceber como o autor melhorou a estrutura do livro ao apostar em certas mudanças na narrativa, e todas elas foram para melhor. Por outro lado o livro sofre por ser o intermédio, não tendo um início fulgurante nem um final que satisfaça totalmente, porque o autor está, claramente, a preparar o terreno para o último livro. São várias as perguntas que ficam no ar, e nota-se que algumas personagens terão maior peso no próximo livro. Tudo isto pensado com inteligência, ficando apenas a faltar um bom livro final.

Este livro é a confirmação da qualidade da saga e do autor. A faltar apenas um livro não há muito a dizer aqui sem desvendar alguns momentos que devem ser lidos. Estou a gostar mais desta série do que esperava e evolução na qualidade deixa-me bastante confiante que o último livro será o melhor de todos. Para já, esta é uma série diferente, muito viciante, e cheia de qualidade. Estou muito ansioso para ler o último.

Luís Pinto