terça-feira, 15 de janeiro de 2013

O SILMARILLION

Autor: J. R. R. Tolkien

Título original: The Silmarillion


O Silmarillion, livro apenas lançado após a morte de Tolkien (organizado e acabado pelo seu filho), é um fantástico livro e um dos meus favoritos. No entanto também devo dizer que, em comparação com O Senhor dos Anéis ou O Hobbit, é o mais difícil de ler.

O Silmarillion é para os fãs de Tolkien e  aqueles que simplesmente acharam "boa" a obra deste autor, podem não apreciar a densidade da obra, mas todos os que quiserem, devem arriscar!


Dividido em 5 partes, esta obra começa com a Ainulindalë, que significa em elfico "A música de Ainur", e mostra-nos como todo o mundo de Tolkien (chamado Arda) foi criado por Eru, o Único, também conhecido por Ilúvatar. Esta primeira parte, a mais difícil (densa) de ler, mostra uma singular visão por parte de Tolkien, e talvez seja o expoente máximo da sua genialidade. É também aqui que vemos a criação de Melkor, o Ainur que recebeu maior poder e conhecimento.

De seguida temos Valaquenta, relato da Primeira Era, onde vemos como Melkor seduz alguns dos Maiar, como Sauron. Na terceira parte temos Quenta Silmarillion (maioritariamente Segunda Era), onde vemos como Melkor se esconde enquanto Valinor é criada e os Elfos aparecem, seguidos de Anões e Homens. E é nesta parte do livro que se passam a maioria das páginas. Tolkien define raças, mitologias e sociedades enquanto nos prepara para a grande luta! A mais fantástica batalha deste universo criado por JRR Tolkien.

A quarta parte, chamada Akallabêth, leva-nos ao apogeu de Númenor e consequente queda. É aqui que vemos a "criação" da Terra-Média. Na quinta, e última parte, "Dos Anéis do Poder e da Terceira Era", mostra-nos o que precisamos de saber sobre a Terra-Média e os seus povos, sendo a grande introdução para O Hobbit e O Senhor dos Anéis.

Este é um pequeno resumo sobre o que encontrarão neste livro, e tentei não revelar nada da história. 

Tolkien, um devoto Cristão, criou aqui a "Bíblia" do seu próprio mundo (e existem várias semelhanças). Desde a Criação executada por Eru, até aos anos antes de O Hobbit, estas páginas contam-nos tudo o que devemos saber sobre este fantástico universo.

Não conseguindo escolher qual a melhor das cinco partes, é óbvio que a luta pelos Silmarils é a mais importante, com grandes batalhas e acontecimentos que mudarão para sempre o desenrolar da História. É também aqui que conhecemos ou aprofundamos algumas das mais brilhantes personagens criadas por Tolkien, entre elas: Feanor, Melkor/Morgoth, Beren, Lúthien, Húrin, Túrin, entre muitos outros. 
Melkor e Feanor são fantásticos, e a história de Beren e Lúthien marca qualquer leitor.

Tolkien explora os temas centrais da própria vida humana, desde o seu nascimento até morrer. Amor, fé, coragem, inveja e ganância, são os temas que fazem esta história avançar, ajudando-nos a perceber que este autor não se limitou a criar fantasia... ele também nos mostra uma mente traumatizada pela Segunda Guerra Mundial, e que aqui, de forma muito indirecta, questiona porque lutamos, amamos, ou simplesmente sofremos...

Apesar de muitos afirmarem que não gostaram do livro, outros adoraram... eu simplesmente adorei. É verdade que por vezes é difícil de ler, mas para mim nunca foi um esforço (fazendo novamente a mesma comparação, não é mais difícil do que ler A Bíblia). A qualidade da escrita e imaginação de Tolkien não conhece limites, e apenas quando acabarem este livro conseguirão compreender a imensidão e complexidade do que inventou. 

Costumo dizer que O Hobbit deve ser o primeiro livro a ser lido e com ele aprendemos a gostar de Tolkien, depois devemos ler O Senhor dos Anéis aprendemos a venerar Tolkien, e por fim lemos O Silmarillion e aprendemos a compreender o que Tolkien criou. Não se deve falhar nenhum destes livros, seja por que ordem for, seja a que ritmo for, apenas com este livro dominarão o mundo onde Frodo viveu.

Para mim, essencial, e um dos mais marcantes livros de fantasia que já li, O Silmarillion é um livro cheio de significados e lições (alguns podem escapar-nos facilmente), e que recomendo a qualquer leitor que tenha paciência para ler uma obra onde cada detalhe pode fazer a diferença.

Fantástico!

Aproveitem ainda para votar no blog Ler y Criticar para Melhor Blog do Ano! Mais informações neste link.

18 comentários:

  1. Sou um grande fã de Tolkien e concordo quando dizes que é difícil de ler, mas também é verdade que sem este livro conseguimos perceber tudo sobre os outros, apenas com este dominamos este mundo. É para os grandes fãs como dizes. Eu acho que vale mesmo muito a pena, mas é preciso não perder a paciência para depois conseguirmos chegar aos significados que falas e que muitos podem não apanhar.

    ResponderEliminar
  2. Quando o li a primeira vez nem o acabei. Quando o li a segunda vez, passou a ser o meu livro favorito. Nunca li nada parecido. Sem este livro não saberiamos muitas coisas, como por exemplo, quem é o Gandalf.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Hugo. Sim, sem este livro há muita coisa que nunca chegamos a saber. Essa é uma de muitas.

      Eliminar
  3. Gostei muito do seu cometário :"Costumo dizer que O Hobbit deve ser o primeiro livro a ser lido e com ele aprendemos a gostar de Tolkien, depois devemos ler O Senhor dos Anéis aprendemos a venerar Tolkien, e por fim lemos O Silmarillion e aprendemos a compreender o que Tolkien criou. Não se deve falhar nenhum destes livros, seja por que ordem for, seja a que ritmo for, apenas com este livro dominarão o mundo onde Frodo viveu." E irei ler nessa ordem q vc mencionou. Agora ums pregunta, eu tenho esse livro em e-book, vc acha importante ter o livro impresso (ele é bem caro aqui no Brasil)rsrsrsr Parabéns pela crítica e pelo blog! Amanda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Amanda.

      Sobre a pergunta que me faz em relação a ler este livro como e-book, aqui em Portugal eu recomendaria o livro no formato papel porque existem muitos nomes na história e passamos grande parte da leitura a viajar entre a página que estamos a ler e os anexos nas últimas páginas, onde está explicado quem são as muitas personagens que nos aparecem pela frente. Mas não sei se na versão brasileira esses anexos existem. Tente ler como e-book se não a atrapalha estar sempre a mudar de página quando quiser saber quem é quem nos anexos.
      Mais alguma dúvida, pergunta à vontade!

      Eliminar
  4. Tenho seguido todas as opiniões que fazes aos livros do JRRT e convenceste-me em todos, mas até agora apenas li o LOTR. Acho que vou seguir um pouco o teu conselho e ler primeiro o Hobbit e depois passar para este.

    ResponderEliminar
  5. Adorei o teu comentário sobre o livro.

    Confesso que só conheci este escritor quando Peter Jackson fez a trilogia, mas só em 2012 é que li os livros e comecei pelo O Hobbit (que adorei), quando o finalizei comecei logo a ler a trilogia do Senhor dos Anéis, que foi difícil no inicio mas depois adorei cada capitulo.

    O Silmarillion e os Contos Inacabados de Númenor e da Terra Média, ainda os pretendo ler e o teu comentário ainda me aumentou mais a curiosidade, mas comecei agora Raymond E. Feist e vai ser difícil dos ler nesta 1ª metade de 2013. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ray Feist também é uma excelente escolha, sem dúvida. fico à espera de opiniões!

      Eliminar
  6. Olá Luis
    Como sempre excelente critica, sem revelares a história soubeste muito bem dar uma ideia do que se espera quando pegamos neste livro.
    Eu já li os livros do Tolkien há muitos anos, antes de se falar dos filmes, e tive a sorte de os ler por essa ordem que referes e que acho a correcta.
    Agora com a tua critica fiquei com muita vontade de reler o Silmarillion outra vez e entrar de novo nesse mundo fantástico.
    Quando falas no Tolkien ser um cristão devoto, alguma vez exploraste o grupo a que ele pertencia e que se dedicava ás escritas e tertúlias, juntamente com C.S.Lewis (o criador de Narnia) os Inklings ?
    É interessante compreender o contexto da altura, as guerras do bem contra o mal, a essência do ser humano, presentes em todos estes livros.
    Ah, já votei, claro :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá caminhante. Desculpa só agora responder.
      Eu, infelizmente, nãi li pela ordem que acho correcta, pois comecei por LOTR, depois Silmarillion e por fim, Hobbit.

      Explorei um pouco os Inklings quando começaram a sair os filmes. Mas de C. S. Lewis li muito pouco (está na lista).

      Eliminar
  7. o melhor livro de Tolkien. Adorei e também gostei muito da tua análise.

    ResponderEliminar
  8. Olá!
    Gostei muito do que escreveste e concordo totalmente.
    O Silmarillion é um dos meus livros preferidos, juntamente com o resto da obra de Tolkien.
    Foi na ordem que mencionaste que os li e a cada página que lia mais me apaixonava pelo universo criado por Tolkien.
    Parabéns pelo blog!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Vera! Esta é a ordem que me parece mais natural para se ler os livros, infelizmente eu não a fiz.

      Eliminar
  9. Parabéns pelo Blogue Luís!
    já o visito há uns meses e aprecio bastante o que escreves. Em relação a esta opinião, gostei imenso. Também sou um grande apreciador de Tolkien e para mim qualquer pessoa que ache conhecer o mundo deste escritor sem precisar de ler esta obra, não sabe o que diz. Em termos de conhecimento, é provavelmente o mais importante de todos os livros da Terra Média.

    Grande trabalho! Continua!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado FpF! Também considero este livro como muito importante.

      Eliminar
  10. Ois Luis,

    Obrigas-me mesmo a voltar a Tolkien, mas conto em breve ler o Hobbit e depois logo vejo.

    Conta com os meus votos no teu blogue, sõa inteiramente justos ;)

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fiacha, tens mesmo de ler o Hobbit. Mais juvenil que o LOTR, mas de grande qualidade.

      Eliminar