terça-feira, 8 de janeiro de 2013

A VIDA DE PI

Autor: Yann Martel

Título original: Life of Pi


Fazer uma análise a este livro não é fácil para mim. O mais provável é este texto não estar ao nível de muitos dos sentimentos quem me acompanharam nesta leitura.

Para mim este livro é sobre o que acreditamos. Se acreditamos no que lemos, no que vemos, no que sentimos, e principalmente no que recordamos. Posto isto, acredito que cada leitor tenha a sua própria experiência, e que em muitos casos, se torne numa viagem totalmente diferente da minha.

O início do livro não é fantástico, mas começa de imediato a construir a personalidade de Pi, mostrando-nos como o poder de acreditar pode mover montanhas, mas que também nos pode levar a ver algo diferente da realidade. Com esta construção de personalidade, Pi transforma-se na força deste livro, não só pela forma como nos dá a história, mas também porque é ele quem nos fará questionar muito do que "vemos" ao ler esta obra.

A componente religiosa é, na minha opinião, o que torna este livro memorável. Pi olha para a religião, e consequentemente para Deus, de forma improvável, ingénua, mas também com um sentido de responsabilidade e fé raramente visto... e se todos fossemos assim, muito do que nos rodeia poderia ser melhor. Ao misturar várias religiões, Pi abraçará o melhor, e por vezes o pior, de cada uma... e tal como o leitor, questionará muito do que está para lá dos nossos sentidos... e por isso digo que Pi é uma fantástica personagem. Coerente, inteligente e facilmente nos aproxima-mos da sua luta pela sobrevivência.

A escrita de Martel, inteligente e sonhadora, encaixa bem na história, e se no início a narrativa apresenta um ritmo baixo e sem grande beleza, a segunda metade é um luxo visual misturado num guia sobre a Natureza, e neste aspecto tenho de aplaudir a forma como o autor nos ensina bastante sobre os animais, principalmente biologia marinha, e nos leva a conhecer truques de sobrevivência enquanto nos oferece a sua história, sem nunca saturar. Nota-se uma boa pesquisa por parte do autor, e principalmente, vê-se um autor que não nos dá nada como definitivo... deixando-nos decidir o que a história nos está a "dizer", definindo uma ténue separação entre ciência e fé.

Este é um livro sobre solidão e sobrevivência, forte e sentimental, levando-me a recordar Eu sou a Lenda (e melhor elogio não poderia fazer). Uma solidão e luta contra a morte, levada ao extremo, obrigando-nos a acreditar em algo que nos apoie, em algo mais do que aquilo que os nossos olhos podem ver.
O que é real? Apenas o palpável? Ou poderá uma crença ou um sentimentos serem tão reais, que nos leve a superar o medo, a atingir o impossível, a viajar para lá do nosso corpo e tocar na mente de outro ser vivo?

A Vida de Pi é um livro marcante onde física e metafisica se misturam de forma sublime. Uns irão detestar mas a maioria irá adorar. Os seus vários/possíveis significados levam-nos a questionar cada página e a abraçar o poder da fé e a vontade de viver. Pi leva-nos a sentir o poder da amizade e coragem, e por tudo isto Yann Martel criou um dos grandes livros dos últimos anos. Eu voltarei a lê-lo e tenho a certeza que encontrarei novos significados.


Para mais informações sobre o livro, visitem o site da editora!

E aproveitem para votar no blog Ler y Criticar para melhor blog do ano! Vejam como neste link!


10 comentários:

  1. Não conhecia desde que vi o trailer do filme! Fiquei super curiosa! Tenho que o pôr na minha gigante lista de futuras leituras lol

    Novidades no meu blog sobre os produtos da Avon, não deixes de passar por lá: http://martaaraujoavon.blogspot.pt/
    :D Beijinhos *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O trailer do filme dá logo um aspecto mágico com aqueles gráficos cheios de cor. Vale a pena ver!

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Análise muito boa da tua parte. Devo comprar o livro nos próximos dias e também quero ver o filme!

    ResponderEliminar
  3. Adorei o filme e aquilo que escreves encaixa na perfeição no filme. Agora convences-me ainda mais a ler o livro. Não sei se haverá diferenças mas estou curiosa.

    ResponderEliminar
  4. Parabéns pelo texto. Já vi o filme e adorei. Não estava a pensar ler o livro, mas agora deixaste-me com vontade. A carteira é que não dá para tudo.

    ResponderEliminar
  5. Já li o livro e gostei imenso. Concordo quando dizes que uns poderão odiar, outros adorar. É um livro de extremos. Eu gostei muito e recomendo e adorei o teu texto. Parabéns!

    ResponderEliminar
  6. Mais uma grande crítica da tua parte. Parabéns.

    MM

    ResponderEliminar
  7. Uma vez mais, obrigado pelos comentários! Não tenho tido muito tempo para responder aos vossos comentários, mas pelo menos tenho de agradecer!

    Mais opiniões em breve!

    ResponderEliminar
  8. Acabado de ver o filme procurei algo mais sobre este, incluindo o autor do livro. Encontrei esta crítica do livro, que me fará comprá-lo. Ainda estou com as sensações á flor da pele com o filme, dos mais magníficos a que assisti e tenho a certeza que o livro não desiludirá. Obrigado pelo tempo investido a escrever.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O filme está muito bom. Existem diferenças e escrevi um texto para a Magazine HD sobre a adaptação a falar um pouco sobre elas. É um filme bom e um livro que merece ser lido.

      Eliminar