quinta-feira, 4 de abril de 2019

A QUEDA DE GONDOLIN


Autor: J. R. R. Tolkien



Sinopse: No Conto de A Queda de Gondolin , entram em cena dois grandes poderes do mundo. Morgoth, o derradeiro representante do mal, embora ausente desta história, preside a uma vasta força militar a partir da sua fortaleza de Angband. Ulmo, o seu mais feroz opositor, é o mais poderoso a seguir a Manwë, que lidera os Valar. Deram-lhe o nome de Senhor das Águas porque domina todos os mares, lagos e rios existentes sob a abóbada celeste. Mas labuta em segredo na Terra Média, em defesa dos Noldor, o clã dos Elfos no qual são acolhidos Húrin e Túrin Turambar.
Central nesta disputa entre os deuses é Gondolin, uma cidade deslumbrante e inacessível. Depois de um relato da queda de Gondolin que se destaca pela minúcia descritiva e riqueza de pormenor, o conto termina com a fuga de Tuor e Idril, acompanhados do filho, Eärendel. Ao dirigirem-se para sul, os fugitivos olham para trás, numa fenda entre montanhas, e contemplam a ruína cercada de chamas da cidade onde viviam. Estavam a caminho de uma outra história, o Conto de Eärendel, que Tolkien nunca chegou a escrever, mas que é reproduzido neste livro, em esboço, com base noutras fontes.



Sabe sempre bem regressar ao mundo criado por Tolkien. Estas viagens que faço pelos seus livros já duram há muito tempo, mais de duas dezenas de anos, e continua a fascinar-me. Este livro é, tal como todos os outros, uma obra que deve ser lido por todos os fãs do autor.

Como podem ver pela sinopse, esta história passa-se muito antes de O Senhor dos Anéis e aqui a escala é enorme, fazendo lembrar O Silmarilion, talvez o melhor livro de Tolkien. 

Tal como nos outros livros, a escrita de Tolkien é extremamente rica, apesar de se notar a mão do seu filho aqui e ali, mas é inegável a qualidade da narrativa. A história, tal como se esperava, desenvolve-e lentamente. Os livros de Tolkien não são de ritmo elevado, e este também não. O que temos aqui é um enredo coerente, denso e que nos oferece uma visão muito abrangente de tudo o que é necessário saber e não só. Tolkien dava um foco impressionante ao detalhe, principalmente ao passado das personagens e do mundo, criando algo que parece realmente real de tão pormenorizado que é.

Claro que aqui já não há surpresas. A qualidade do autor é inegável e os nossos olhos focam-se no que é realmente importante: a construção do mundo e a história em si. Gostei bastante da história, recheada com personagens fascinantes e bem criadas que sustentam o enredo com qualidade. A história vai avançando, as personagens revelam-se nos grandes momentos e o mundo ganha uma escala que poucas obras conseguem atingir. 

A tudo isto juntam-se fantásticas ilustrações de Alan Lee que tornam o livro em algo totalmente obrigatório.

Com uma história muito boa e um mundo que outros autores apenas sonham conseguir criar, este é mais um livro obrigatório para os fãs de Tolkien, mas não só. Claro que quem conhecer o universo de Tolkien perceberá cada página, sentirá o sombra de Melkor, e quem não conhecer este mundo poderá ficar ligeiramente confuso num ou noutro momento, mas a verdade é que qualquer fã de fantasia deverá ler este livro.

Luís Pinto


Sem comentários:

Enviar um comentário