segunda-feira, 30 de abril de 2018

ELMET

 
Autor: Fiona Mozley
 
 
 
Sinopse: Daniel está a ir para Norte e procura alguém. A vida simples que levava com a irmã Cathy e o pai desapareceu; tornou-se ameaçadora e sinistra. Viviam os três à margem da sociedade, numa casa que o pai construíra no bosque, caçando e procurando comida. O pai dissera-lhes que a pequena casa em Elmet era deles, mas afinal isso não era verdade. E alguns homens daquela terra, gananciosos e vorazes, começaram a vigiá-los de perto. Esta é uma história sobre família, amor e violência; uma análise dura e implacável à sociedade contemporânea, ao indivíduo e à realidade, aos conceitos de classe e às discrepâncias entre quem somos e quem somos capazes de ser.
 
 
 
 
Houve qualquer coisa nesta capa que me despertou a atenção. Talvez o estilo negro, talvez a solidão ou isolamento que transmite. A sinopse é bastante interessante e deixa antever muito do que irá acontecer na primeira metade do livro, criando uma base bastante consistente.
 
O que se destaca desde o início é a escrita da autora, ideal para este enredo, com grande capacidade para transmitir suspense e muitas emoções ao leitor. A forma como nos ligamos aos personagens tem aqui um peso bastante grande, pois o livro leva-nos a sofrer por elas, sendo aí que está o que sustenta a suspense deste livro.
 
Este thriller psicológico é uma boa montanha-russa em termos de ritmo. A autor sabe quando travar a ação para explorar algo, mas também sabe quando acelerar para tornar a leitura viciante. As personagens são o que cativa numa fase inicial, mas aos poucos o livro torna-se mais negro, mais focado na natureza humana mas também nas falhas das sociedades que fomos criando. É, inevitavelmente, um livro que explora os preconceitos que criamos, a fé que temos, a esperança, o ódio e, essencialmente, o amor pelo próximo. O que nos leva, seres vivos que têm como instinto básico a sua própria sobrevivência, a sacrificarmos a nossa vida por outros?
 
No que cada um de nós é capaz de se tornar para proteger quem ama? E é sobre isto que este livro é, na sua essência. É sobre amor, sobre escolhas para nos protegermos, sobre o desejo de paz, ou de poder. Este foi um livro que me surpreendeu, primeiro pela escrita da autora, depois pela qualidade do enredo. É claro que tem alguns momentos mais forçados ou que não fazem tanto sentido, mas globalmente é um livro inteligente e emotivo, capaz de nos agarrar e de nos alterar o estado de espírito. Sendo um livro com decisões difíceis e que explora o que de melhor e pior o ser humano consegue fazer, este não será um livro que todos os leitores apreciem, mas a qualidade é inegável.
 
Luís Pinto
 
 
  

Sem comentários:

Enviar um comentário