terça-feira, 31 de março de 2015

UM ERRO FATAL


Autor: Sophie Hannah

Título original: The telling error




Sinopse: A manhã que mudou a vida de Nicki Clements seria como tantas outras se o seu filho não tivesse esquecido a mochila em casa.Foi com o objetivo de lha entregar que ela saiu. Não planeara passar vezes sem conta pela casa do controverso jornalista Damon Blundy, recentemente assassinado. Mas a verdade é que passou...É a estranheza do seu comportamento que leva a polícia a interrogá-la. Nicki diz a verdade: não conhecia Damon. E não, não sabe explicar a enigmática arma do crime. Nem tão-pouco entende a mensagem que o assassino escreveu a tinta vermelha na parede da vítima: “Ele não está menos morto”. O problema é que não poderá nunca revelar porque estava tão perto do local do crime. Se o fizer, terá de confessar um segredo que a destruirá. É que Nicki pode não ser culpada, mas está longe de ser inocente... 



Apesar de fazer parte de uma série, este é um livro que pode ser lido de forma independente sem qualquer perda de detalhe por parte do leitor. Sendo assim, e após ter lido um livro muito interessante da autora (ver opinião aqui), decidi regressar para mais um policial mesmo tendo em conta que a capa do livro não me cativou de imediato.

Este não é um livro fácil, apesar da sua inegável qualidade. O seu ritmo é baixo, o detalhe é importante e o segredo está na sua montagem narrativa, com a nossa visão a saltar entre personagens, levando a que as revelações cheguem no momento certo, quando menos esperamos. O resultado é uma leitura com constantes dúvidas em que é difícil criarmos a nossa própria investigação, pois a autora sabe como nos enganar.

Em grande parte, este é um livro psicológico. A autora explora o enredo de uma forma muito inteligente, levando-nos a ter dúvidas a cada página, mas, principalmente, a não conseguir criar uma noção definitiva em relação à principal suspeita, Nicki. E é nesse impasse que vamos lendo e tentamos perceber o que a autora nos diz entre linhas, levando a que o jogo psicológico seja constante até chegarmos ao momento final em que é relevada toda a verdade e será, quase de certeza, uma surpresa para quem o ler.

Com personagens interessantes, é a ligação entre elas que me agradou. É difícil ver todas as ligações numa fase inicial, e serão essas ligações que se tornam no catalisador da própria investigação. Mas, o que, na minha opinião, faz a diferença é o facto de a autora conseguir levar um leitor a nunca saber se Nicki está ou não inocente em algumas questões. Pelo meio, a autora explora, mesmo que suavemente, algumas questões morais da nossa era tecnológica, sobre os seus benefícios mas também para os seus perigos, que por mais que sejam divulgados, nunca serão irradicados.

Apesar de não ser o melhor livro que já li da autora e apesar de deixar algumas (poucas) perguntas sem respostas, a verdade é que gostei bastante deste policial. A sua carga psicológica é o seu trunfo e a forma como a autora revela pormenores faz a diferença. São várias as reviravoltas que nos deixam surpresos e a grande maioria faz sentido assim que acontecem, nunca existindo a sensação de algum forçar de acontecimentos.

Sophie Hannah é uma aclamada escritora no seu género e este livro é mais uma prova do porquê. Não é uma obra prima mas agradará aos fãs do género e fez-me querer mais livros da autora. Uma leitura muito agradável e cheia de mistério.

Luís Pinto

2 comentários:

  1. gostei da tua opiniáo e gostei da sinopse. Obrigada por não revelares nada. Vou comprar na próxima feira do livro, já o meti na lista e quando o acabar digo-te a minha opinião.

    ResponderEliminar
  2. Estou como tu. Pela capa não o comprava mas conseguiste convencer-me facilmente. Vou ver se já está à venda aqui perto de mim e depois trato de o ler. eheeh. Bjs

    ResponderEliminar