segunda-feira, 4 de julho de 2011

DRAGÃO VERMELHO

Autor: Thomas Harris

Título original: Red Dragon

Quando comecei a ler este livro já a personagem Hannibal Lecter era mundialmente famosa, não só pelos livros que foram publicados antes de eu nascer, como também graças aos filmes, principalmente com o sucesso de O Silêncio dos Inocentes. Li-o antes de ver qualquer um dos filmes e portanto não sabia o que esperar desta personagem.
Dragão Vermelho é o primeiro livro da saga de Hannibal, contudo preparem-se para quase não terem qualquer vislumbre  do Cannibal. Lecter aparece umas três vezes no livro, apesar de ser imensamente mencionado por outras personagens e de graças a ele o ritmo da acção aumentar durante partes da história. Este livro é na realidade sobre Will Graham, homem do FBI que capturou Lecter anos antes e que quase morreu para o conseguir.
Não revelando o essencial da história, devo dizer que Will volta ao activo para ajudar a prender a Fada dos Dentes, um serial-killer que aparecera nos últimos dois meses e já matara duas famílias. Will demonstra uma capacidade rara de assumir o ponto de vista de outras pessoas, principalmente daquelas que o assustam e isso ajuda-o a perceber não só o método mas também o porquê de tais massacres. Este livro é no meu entender verdadeiramente interessante por vermos o que capturar Lecter fez à mente de Will, o medo que sente sempre que o vê, o respeito misturado com repugnância. Tal facto deixa-nos a desejar ler mais sobre aquela personagem enjaulada e Lecter terá em cada livro cada vez mais preponderância, para satisfação de quem lê. 
 O serial-killer deste livro é bem criado e os seus capítulos atrasam ligeiramente a acção para percebermos os verdadeiros motivos deste personagem. Tais capítulos agradaram-me e são bem conseguidos pelo autor, tirando-nos daquele ritmo frenético com que o FBI o tenta prender.
Sem uma escrita que fique na memória, Thomas Harris parece, em alguns momentos do livro, não ser um escritor nato, mas a sua criatividade de acção e personagens é de louvar. Hannibal Lecter é uma das minhas personagens de eleição no mundo dos livros, ao lado de Gollum, Tyler Durden, entre outros… mas também a personagem de Will se torna fascinante em certos momentos, o que me agradou bastante pela sua natureza, mas mais nada irei revelar.
Apreciei bastante este livro e ainda mais o últimos capítulos que são lidos há velocidade da luz. O fim é muito bem planeado pelo autor e mal acaba queremos pegar no próximo livro na esperança de termos mais Lecter.
Pode não ser um grande clássico enquanto livro, mas apresenta-nos uma personagem, Hannibal, que nunca poderá ser perdida por ninguém, o que torna este livro obrigatório para quem quiser ficar de boca aberta com a mente arrogante, culta e louca de Lecter.   

Sem comentários:

Enviar um comentário