sexta-feira, 1 de julho de 2011

O DESPERTAR DA MAGIA

Autor: George R. R. Martin

Título original: A Clash of Kings

Quando acabei de ler A Fúria dos Reis comecei imediatamente este livro. Com um fim que me deixou cheio de dúvidas sobre o que realmente teria acontecido, agarrei este livro e acreditem que se tornou numa leitura impossível de parar.
Sendo este o quarto livro da saga começa a ser difícil arranjar mais elogios a Martin pelo seu trabalho. Em O Despertar da Magia, Martin oferece-nos o livro com mais acção e ritmo. Se no anterior tínhamos sido travados com novas introduções, tanto de locais como de personalidades e suas convicções, agora com este quarto livro a acção volta e a magia realmente ganha preponderância.
Os capítulos de Daenerys são muito bem conseguidos, dando-nos um pequeno vislumbre do tipo de magia que poderá estar para vir. No outro lado do Mar também os capítulos de Davos oferecem não só magia mas também nos esclarecem algumas dúvidas sobre que caminho de fantasia a saga poderá tomar. Quem ganha uma nova importância é Jon, não pela quantidade de capítulos seus, mas porque para lá da Muralha também a história se começa a desenrolar. As suas decisões irão, ao que parece ter um enorme peso no futuro. Foi a personagem que mais curioso me deixou em relação ao próximo livro.
Martin continua fiel à base do seu estilo, capaz de com a montagem dos seus capítulos no momento certo, agarrar-nos ao livro e eu nunca mais o larguei. As suas personagens ganham, na maioria, a capacidade de tomar decisões mais cruéis ou importantes e o caso de Arya é notório. Tyrion por seu lado continua a ser o grande mestre nesta saga. Neste livro iremos entrar ainda mais profundamente nos seus medos, naquilo que talvez no futuro o faça vacilar, mas essencialmente ficamos a perceber a genialidade do seu plano quando a batalha se aproxima.
Uma pequena nota ainda para Martin que neste livro altera ligeiramente, em dois ou três momentos, a sua escrita para criar maior suspense entre capítulos. Nota-se, principalmente na manipulação dos capítulos e suas personagens principais, uma tentativa para nos fazer olhar para um lado quando o essencial está no outro. Gostei sinceramente, espero que assim continue e acho que Martin ainda pode evoluir nesse aspecto.
Até agora o segundo livro desta saga, A Muralha de Gelo, tinha sido o meu preferido, mas O Despertar da Magia supera-o a cada capítulo que lemos. Arya, Jon e Tyrion dão-nos aquilo que faz qualquer leitor continuar com esta história.  Martin está de parabéns por evoluir, por acelerar no ritmo, por nos mostrar muito mais das personagens principais sem nunca se esquecer de fazer o mesmo com as secundárias. O seu leque de personagens é realmente fabuloso e é aí que está o poder da sua história até agora.
De realçar ainda que finalmente temos uma grande batalha descrita neste livro e tal descrição é bem conseguida, ao nível de outros grandes escritores de batalhas medievais. Martin fez bem em inclui-la, ao contrário das anteriores batalhas que não nos foram descritas (e bem na minha opinião), porque esta é realmente obrigatória, não tanto por querermos saber o seu resultado, que queremos, mas porque em cada página desvendamos um pouco mais do resultado do trabalho de Tyrion e também de Cersei. Houve ainda na batalha dois factores que me agradaram: primeiro os capítulos não serem muito extensos de forma a não quebrar o ritmo do livro, e segundo o facto de Martin nos dar a batalha em dois capítulos, e consequentemente pelos olhos de duas personagens de lados opostos. Algo que raramente é visto em livros e que apreciei.
Para finalizar, este livro é para mim o melhor até agora. Capítulos incrivelmente bem conseguidos, momentos em que Martin nos tenta enganar, em que não nos dá tudo. A magia aparece finalmente em força e novamente o autor tem a capacidade de acabar o seu livro de forma brilhante. Muitos são os que dizem que o melhor está para vir e eu acredito que sim, se tiver em conta como acabam os últimos capítulos deste livro.
Pessoalmente não podia deixar de assinalar o quanto gostei da “nova” personagem Cersei. A Rainha fria e calculista dos livros anteriores, demonstra como qualquer pessoa pode ter atitudes estúpidas ou sem lógica quando finalmente sente o medo de perder algo valioso. Martin é sublime neste ponto, nas personalidades realistas das suas personagens.

5 comentários:

  1. Sem dúvida a melhor saga de fantasia de sempre! Tens é de pegar nos próximos!!

    ResponderEliminar
  2. Só falta empreatares ao mano :P

    ResponderEliminar
  3. não pares de falar sobre esta saga e fantasia! vou mais atrasado do que tu, mas até agora está espectacular!

    ResponderEliminar
  4. parabéns por fazeres uma boa crítica sem revelares nada da história! Excelente escolha de livro até agora.

    ResponderEliminar
  5. Carlos Sousajulho 10, 2011

    Concordo com a excelente escolha de livros. Encontrei este blog por acaso e ja li todas as tuas críticas. estão muito boas. esta serie de fantasia não conhecia, não é bem o meu género, mas começo a pensar seriamente em compra-la.
    fico à espera do resto.

    ResponderEliminar