quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

CLOUD ATLAS - Atlas das Nuvens


Autor: David Mitchell

Título original: Cloud Atlas


David Mitchel diz-nos que cada um de nós é uma gota no oceano. Mas não é um oceano, um conjunto de gotas? Então estamos todos ligados...
6 pequenas histórias... O primeiro ponto a focar é o esquema do livro. 6 histórias são lidas cronologicamente (da 1ª até à 6ª) e interrompidas as primeiras cinco, deixando o leitor apenas a conhecer a 6ª história até ao seu fim. Depois, vamos regressando ao passado (da 6ª à 1ª) e, consequentemente, o livro acaba na mesma pequena história onde começou.

Cloud Atlas é um livro único. A sua mistura entre ciência e filosofia faz com que cada pessoa tenha a sua interpretação, pois a carga filosófica e científica é tão marcante, que ficamos perante um enorme conjunto de razões possíveis para o que acabámos de ler. Mas a mensagem inicial, aquilo que liga as seis histórias e consequente razão do qual o livro trata, essa é universal... é a ligação entre a matéria, viva ou morta. É a ligação que torna tudo eterno? Aquilo que agora compõe o meu corpo, já antes esteve noutro ser vivo e voltará a outro depois de mim... mas poderá transmitir algo mais do que "massa"? poderá transmitir sentimentos ou conhecimento? Ou será a alma o fator eterno que nos molda e define?

Quando acabei esta obra, pensei que não há nada igual ao trabalho que este autor deixou nestas páginas. As 6 histórias apresentam-se em diferentes eras, desde o nosso passado até um futuro distante e nada risonho, e enquanto viajamos pelo tempo e espaço, a narrativa muda, tornando esta obra num conjunto de 6 livros que apresentam géneros diferentes. Thriller, ficção-científica, comédia, etc... David Mitchell acaba por criar um género ousado e que será, certamente, ligeiramente copiado no futuro.

Num olhar científico, a Terceira Lei de Newton diz-nos que para qualquer ação, existirá sempre uma reação de igual força. Num olhar filosófico, Descartes diz-nos "Penso, logo existo"... o fantástico deste livro é a forma como, ao mesmo tempo, apoia e destrói estes dois olhares. E a partir daqui, cada leitor terá uma experiência única e que deve ser lida.

Não é um livro fácil e pede-se algum ritmo na leitura. Se olharmos com atenção, há muitos momentos que são iguais nas várias histórias, pequenos pormenores que mostram a ligação, e estes momentos serão mais facilmente descobertos se lermos o livro a uma boa velocidade. Também não será um livro que agrade a todos, mas é preciso termos consciência para o que iremos ler. Este livro é, como já disse, científico, filosófico, e nada definitivo. Mas é também um livro sobre a ganância pessoal e empresarial que poderá destruir a moralidade que muitos lutaram para construir.

Posto isto é óbvio dizer-se que o conjunto das seis histórias é muito mais do que cada uma individualmente, pois é a ligação que faz a diferença. E no fim perguntamos o que é uma ligação? O que é existir? O que é um sentimento? O que é sonhar?


Muitos leitores não irão apreciar, outros irão adorar. No meu caso: um dos melhores livros que li este ano, e que um dia voltarei a ler, encontrando, certamente, novos significados.

Para os interessados deixo o link da editora e também o do livro, com mais informações e o trailer da adaptação cinematográfica.

15 comentários:

  1. Adorei a tua crítica. Demonstras um grande conhecimento e sentido de crítica, como sempre.

    Abraço e feliz natal!

    Já agora, o filme está muito bom.

    ResponderEliminar
  2. Parabéns pela tua opinião. Está mesmo tio boa. Adorei! Vou ver o filme este fim de semana que parece estar muito bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então depois quero saber a tua opinião!

      Eliminar
  3. Excelente crítica! Parabéns!

    Eu fui ver o filme. Já tenho o livro na wishlist.
    Gostei imenso do filme...é maravilhoso. É tão bonito, tão complexo, mas de certo modo tão simples que até provoca arrepios.
    A banda sonora também é espantosa. Decerto, aquando da leitura, irei associa-la a vários momentos durante a leitura.

    A capacidade de refletir e de transmitira uma espécie de mensagem que dá uma força enorme a quem a entender é muito conseguida no filme (e deverá se-lo ainda mais no livro).
    Eu tenho a minha opinião sobre o filme no meu blog. Se quiseres, passa por lá :)

    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola Maria.

      Obrigado pelo comentário. Assim que tiver tempo, passo no teu blog, também já estou curioso em relação à tua opinião do filme.

      Beijinhos e boas leituras!

      Eliminar
  4. Já vi o filme e a tua crítica toca o ponto essencial que é cada pessoa tirar dali uma teoria diferente. Não estava a pensar comprar o livro porque já tinha visto o filme mas agora convenceste-me. Grande opinião Luís. Parabéns.

    ResponderEliminar
  5. Lindo! Em principio irei ver o filme este fim de semana :)


    Novidades no meu Blog da Avon, não percas ;)
    http://martaaraujoavon.blogspot.pt/
    Beijinhos *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Araúja.

      Já viste o filme? Gostaste?

      Também já passei pelo teu blog! É uma boa ideia!

      Beijinhos!

      Eliminar
  6. Parabéns pela opinião. Fizeste um texto fantástico. Estou a pensar ir ver o filme amanhã e agora com muita vontade de ler o livro.

    ResponderEliminar
  7. Excelente critica, ainda não vi o filme, mas confesso que agora fiquei muito curiosa relativamente ao livro. É um tema que me atrai e se é como descreves, deve ser fascinante. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!

      Eu gostei imenso do tema, mas acredito que cada pessoa retire explicações diferentes neste livro. Eu gostei bastante do tema e principalmente da forma como foi escrito.

      Eliminar
    2. vou adicionar à minha lista :) sem qualquer dúvida. Obrigado pela bela partilha de opinião :D

      Eliminar
  8. já vi o filme e o livro já faz parte da lista!! ;)
    Obrigada pela tua opinião

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. fico à espera da opinião ao livro!

      Eliminar