terça-feira, 18 de dezembro de 2012

ALEX CROSS


Autor: James Patterson

Título original: Cross



Este é o 4º livro que leio de James Patterson mas é também o 1º que leio da saga Alex Cross, e fazendo uma rápida comparação entre livros, este Alex Cross é o menos viciante, mas também é o melhor livro dos quatro. E porquê? Vou tentar explicar.

Ao contrário da saga Women's Murder Club, este livro apresenta um ritmo mais lento e torna-se menos viciante virar as páginas. No entanto, este ritmo mais baixo deve-se ao maior aprofundar das personagens e na minha opinião ajuda a tornar o livro mais sólido e consistente, mas principalmente, um bom livro para apresentar as personagens.

A primeira coisa a dizer é: este livro é apenas o 12º da saga mas é o 1º editado por esta editora. É provável que esta escolha "tenha recebido o peso do filme" que irá estrear este ano, mas para mim as questões são duas: nota-se a falta dos primeiros livros? Sim. É importante para esta leitura? Nem por isso. 
Ainda sobre este assunto, fiquei agradado por este livro começar com um flashback, voltando atrás no tempo, até ao início da própria saga, e sendo assim, acabamos por ver o início desta personagem, mesmo falhando os primeiros livros. Claro que algumas coisas se tornam confusas, mas são pormenores insignificantes e que nada retiram qualidade ao enredo.

Como sempre, Patterson brinda-nos com capítulos rápidos, pequenos e sem grandes descrições, sempre mais virados para os pormenores que fazem a ação avançar. A fórmula continua a resultar, principalmente pela forma como a história é montada, dando a cada capítulo um pouco mais de suspense enquanto nos brinda com revelações que nos obrigam a continuar.

O grande trunfo deste livro é a forma como o autor nos mostra duas personagens, principalmente o vilão. Patterson cria um vilão para recordar, e sinceramente, torna-se na grande personagem do livro, pois é a mais consistente e a que acabamos por perceber melhor. Esta é uma das grandes diferenças entre este livro e outros que li do autor. Patterson abranda o seu livro para nos mostrar o vilão, os seus motivos e o porquê das suas escolhas.

Outro aspecto interessante em comparações com a saga WMC é o facto de este livro não ser apenas uma "caça ao homem" mas antes, duas histórias (herói e vilão) que em certos momentos se tocam, tirando do livro o objetivo de descobrir o vilão, e oferecendo a hipótese de o compreender.

Alex Cross é um "herói banal" enquanto personalidade e foi isso que gostei neste personagem principal. A sua simplicidade e humildade, raramente heróica, contrasta um pouco com outros detectives que por vezes lemos, e mostram um ar de "duro" que nem sempre encaixa ou parece forçado. Alex Cross é apenas um marido e um pai, com todas as suas incertezas e imperfeições, e gostava de a conhecer melhor nos próximos livros.

Resumindo, este é o livro mais lento que li de Patterson (mas continua a ser rápido), e é também o melhor. Maior profundidade de personagens, uma boa história, surpresas no fim e a sensação que ainda há mais para ler; tornam este livro bastante agradável para quem gostar do género. Não é uma obra-prima, é sim entretenimento puro.

Gostam de policiais cheios de adrenalina? Alex Cross é uma boa opção.

5 comentários:

  1. Já tinha olhado para este livro algumas vezes e agora convenceste-me. Vou ler mas só para o ano, acho eu porque as finanças não estão muito boas mas gostei bastante da tua análise e de não revelares nada.

    ResponderEliminar
  2. Uma vez mais fizeste uma grande crítica sem spoilers e que me convence a comprar o livro. Também quero ver o filme mas não sei se estará parecido.

    Obrigado por explicares o facto de ser apenas o 12º livro mas não ter grande influencia. Fico mais descansado.

    ResponderEliminar
  3. Obrigada por mais esta crítica. Fiquei convencida e vai para a lista. Sabes se a editora vai continuar com a série?

    ResponderEliminar
  4. Gostei muito da tua análise. Devo arranjar o livro nos próximos tempos!

    ResponderEliminar