segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

OS MISERÁVEIS


Autor: Victor Hugo

Título original: Les Misérables


Agarrar e ler este livro é quase um ato de coragem. Mais de 1200 páginas é o que precisamos de ler para conhecermos a imortal obra de Victor Hugo. Felizmente a qualidade é tão grande quanto o próprio livro.

É verdade que o tamanho do livro mete "respeito" mas nunca foi uma leitura difícil, principalmente porque não precisamos de muitas páginas para perceber a genialidade da escrita de Victor Hugo: uma escrita pausada, que tem tanto de lógica como de apaixonada, que tem tanto de metódica como de sonhadora... e que constantemente nos faz pensar enquanto nos abre portas a novas formas de ver a vida.

Não é preciso muito até se tornar óbvio estarmos perante um livro obrigatório. Demora a ser lido e apresenta um ritmo baixo, mas trata-se essencialmente de uma obra marcada pela filosofia e pensamentos de um fantástico autor que nos leva a questionar o que é essencial, enquanto vemos um retrato lento e marcante da decadente sociedade francesa. Tudo isto misturado numa história de amor e injustiças, narrada com grande realismo.

Valjean é a grande personagem deste livro e com ela são abordados os mais variados temas, levando-me a não conseguir definir a sua personalidade em duas ou três características. Bondoso e responsável, estamos perante um homem física e mentalmente destruído, mas, tal como Victor Hugo nos diz, até a mais negra noite encontra o seu fim e o sol nasce.  A questão será quando... Valjean é, sem qualquer dúvida, das melhores personagens alguma vez criadas.

Com personagens marcantes, como Fantina, Cosetta, Javert e Valjean, Os Miseráveis é uma história de amor, de sacrifício, ódio, e essencialmente, miséria... quer seja a miséria no bolso ou na mente. Tudo começa com um olhar, principalmente esse sentimento que é "amar". Nada se compara à sensação de sermos amados, e pior do que morrer, é viver sem sermos amados. E muitas das personagens desta história, nunca o foram, e portanto, nunca viveram. A vida matou o sonho...

Devemos reeducar as pessoas, ou castigá-las eternamente?

Envolta em fortes convicções políticas, a história é manipulada pelos que têm poder e pelos que não conseguem desistir, quer seja para fazer o bem, ou o mal. Mas a realidade, e a mensagem que o autor nos passa é que não ser ouvido não é razão para nos calarmos. Como podem, perante o caminho da felicidade, algumas pessoas voltarem para trás, por acharem que certos obstáculos são intransponíveis?

Quantas vezes sonhámos com um Deus misericordioso?

Victor Hugo diz que não há meio termo para o amor... ou te destrói, ou te salva. O livro é igual. Devido ao seu tamanho e ao pormenor que o autor oferece na sua narrativa, algumas pessoas deixarão o livro a meio, mas acredito plenamente que quem acabar esta obra, terá sido marcado pelas palavras deste autor.
Eu adorei o livro e para mim é obrigatório. É um dos melhores livros de sempre e a minha humilde crítica não fará justiça a tamanha obra. Aliás, para mencionar rapidamente todos os temas alcançados pelo autor, teria de escrever muito mais...

Custa, mas vale a pena cada minuto! Leiam-no!

14 comentários:

  1. Posso dizer que me arrepiei toda a ler a tua opinião?lool

    Victor Hugo é um dos meus escritores e personalidades preferidas, não só pela sua obra como pelo seu papel na vida política e social da França no seu tempo. Sabias que ele foi um dos primeiros apoiantes de uma Europa Federal?

    Infelizmente, crime aliás, ainda não li este livro, vi apenas várias versões dele mas espero remediar isso rapidamente. Não sei se já leste mas "A Nossa Senhora de Paris" ou "Corcunda de Notre-Dame" é um dos livros mais belos que se pode ler, e tudo aquilo que identificas neste livro também se encontra lá, todas as mensagens e nuances de uma época de hipocrisias, revoluções e sobrevivência.

    Agora vou ter mesmo de ler este =)

    beijinhos e parabéns pela opinião!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Chaise!

      Do Victor Hugo li este e o Corcunda, mas já não me lembro muito. Terei de o voltar a ler. O Nossa Senhora de Paris nunca li mas já me recomendaram o livro algumas vezes. Qualquer dia...

      Depois de leres este, diz-me qualquer coisa.

      Beijinhos!

      Eliminar
    2. Olá Luís!

      O Corcunda e Nossa Senhora de Paris é o mesmo livro =p Nossa Senhora de Paris e a Notre-Dame mas o nome do livro ficou popularizado como Corcunda por causa do Corcunda ;)

      Beijinhos

      Eliminar
    3. Ah! Por acaso não fazia ideia. Tenho de reler o Corcunda porque já não me lembro mesmo de quase nada. É provável que agora até goste mais quando o reler. E tu já és a quarta ou quinta pessoa que me fala no "Nossa Senhora de Paris" e eu meti na lista para um dia ler, mas nunca cheguei a pesquisar sobre ele. Sendo assim vou retirar.

      Quando reler, aviso-te. Pode ser que seja em 2013!

      beijinhos

      Eliminar
  2. Portentosa opinião da tua parte a um livro que nunca li mas vi o filme que saiu à uns anos.

    parabéns pelo excelente texto que fizeste. Estou convencido. Só é pena serem tantas páginas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Fábio! Sim, realmente são muitas, mas penso que vale a pena.

      Eliminar
  3. Gostei mesmo muito da tua opinião. Dás sempre um toque de qualidade que arrepia às vezes.

    Já há muito que estou para o ler, mas agora estás a convencer-me e o filme também está perto.

    Parabéns. Está um lindo texto.

    ResponderEliminar
  4. E eu vou raptá-lo da estante da minha mãe... as maravilhosas 5 edições, debruadas a "oiro"... como se requere das edições do século passado! lolol só espero que este não tenha trechos em Francês como o Guerra e Paz, senão dou em louca!
    Só acho que não vai dar tempo de ler antes de sair o filme... :) :)

    Clara

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá Clara!

      Eu li esta versão que coloquei aqui. Essas 5 edições devem ser fantásticas mas se tiverem Francês vai dar muito mais trabalho!

      O filme também quero ir ver. As críticas dizem que está muito bom!

      Eliminar
  5. Excelente texto. Parabéns.
    Eu já li este excelente livro e qualquer dia repito a leitura. Gostei mesmo muito mas o início não é fácil. Recomendo a qualquer pessoa que goste de ler e adorei o teu texto e falas nos pontos mais interessantes. Parabéns!

    ResponderEliminar
  6. Adorei a tua opinião! Vou ler um dia de certeza mas vou esperar para ver se sai com capa do novo filme que deve estar lindo!

    ResponderEliminar
  7. Uma excelente opinião e sobretudo uma opinião sincera e bastante precisa e eficaz. Parabéns.
    Não é um livro fácil de forma alguma, mas embora não goste do termo "obrigatório" tenho de dar a mão à palmatória... é um livro de leitura imprescindivel, para quem gosta de livros.
    Parabéns uma vez mais.
    Boas Festas, boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Nuno. Tudo bem?

      Sim, pode-se dizer que é imprescindível. raramente uso o termo "obrigatório" porque muitas vezes também não gosto dos livros que aparecem em algumas listas como tal. Mas este livro é fantástico.

      Boas festas e muitos livros no sapato!

      Eliminar
  8. Gostei muito do teu texto. Estou para ler à algum tempo mas é tão grande! Mas gostei mesmo muito do que escreves-te e sou capaz de comprar. o filme vou ver de certeza!

    ResponderEliminar