terça-feira, 4 de dezembro de 2012

AS BRUMAS DE AVALON - A Rainha Suprema


Autor: Marion Zimmer Bradley

Título original: The Mists of Avalon - Book Two: The High Queen


Após um primeiro livro que serviu para introduzir personagens, religiões e "máquina política", este segundo livro é, tal como o nome indica, marcado pela Rainha Suprema e sua evolução. Gwen, que mostra uma forte transformação durante o livro, é a personagem que faz a história avançar, pois é ela a face da verdadeira batalha deste enredo. Uma batalha que é muito mais do que escudos e espadas.

Como se destrói uma ideia? Como se apaga uma religião, uma fé, uma necessidade de acreditar em algo?
Com uma nova fé? Por palavras ou espada? Com compreensão ou desprezo? Estas perguntas, facilmente identificadas neste livros, foram a realidade (e provavelmente ainda são) do nosso passado, da evolução das civilizações e da manipulação, consciente ou inconsciente, daqueles que tinham a capacidade de argumentar e influenciar... ou simplesmente o poder da decisão. E todas as sociedades do planeta foram limitadas pela sua própria religião.

Gwen, a Rainha Suprema que nunca será feliz por acreditar que transporta dentro de si o verdadeiro pecado, é a fraca e manipulável pessoa com a qual acabamos por sentir simpatia, mas que muitas vezes me deixou de boca aberta pela sua incapacidade de pensar por si mesma e aceitar as diferenças... As pessoas têm medo do que não compreendem e do que é diferente.
E o facto de me ter ligado (para o bem e para o mal) com esta personagem, demonstra a fantástica qualidade da autora em nos levar a atravessar as brumas e entrar nesta história. Um caso raro de qualidade. 

"Mas em perfeita verdade, penso que serão os cristãos a ter a última palavra"

No geral, e olhando apenas à qualidade da obra, este livro está ao nível do primeiro, o que é excelente, com personagens bem construídas e coerentes, com ideais vincados e um mundo que se sente a respirar. Mas o aprofundar da trama e de algumas personagens, torna-o muito mais viciante (também por não necessitar da introdução obrigatória no primeiro livro), e facilmente nos vemos dentro deste mundo.

É verdade que o livro peca por não apresentar nenhum "momento de cortar a respiração", sendo mais uma obra de evolução de personagens, muito graças aos saltos temporais que dá, mas é esta evolução, de todos os seus componentes, que me prende a esta saga. MZB criou um mundo sólido e credível como poucos conseguiram, e em apenas dois livros (que nem sequer são muito grandes).

Morgaine é a minha personagem preferida (apesar de Igraine ter tido o grande momento do livro) e provavelmente terá muito a dizer até ao fim da história, e confesso que me agradou um momento muito particular no qual a autora mostrou que esta mulher também é humana, e como tal, susceptível de errar, tal como todas as outras personagens.

Recomendado? Sim. Ainda estou apenas a meio desta saga, mas a qualidade de MZB está presente desde a primeira linha, e facilmente se percebe o enorme sucesso da saga. Faltam ler dois, e fico à espera de um final arrebatador a esta história sobre a qual não falo para nada revelar.

12 comentários:

  1. Como sempre estives-te muito bem nesta opinião. Este ano vais voltar a fazer um top dos melhores de 2012?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola Neymar. Obrigado pelo comentário. Sim, vou fazer um top de 2012talvez depois do Natal.

      Eliminar
  2. Cada vez mais me convenço que tenho de ler esta saga de 4 livros. Há anos que tenho em mente comprar e fica sempre para trás.

    Obrigada por não revelares nada. Assim consigo seguir a tua opinião aos livros todos sem descobrir muito da história.

    ResponderEliminar
  3. Acho que é a primeira vez que comento neste blog que já sigo à muito tempo. Parabéns pelo excelente trabalho. É obrigatório passar por aqui e ler o que escreves.

    As Brumas de Avalon são um trabalho fantástico de MZB e que já reli. As tuas opiniões estão muito boas e identifico-me com elas.

    Continua. Todos devem ler esta estória.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Peter.

      Irei continuar com As Brumas nas próximas semanas e depois coloco as minhas opiniões. Ainda bem que, para já, te identificas com o que escrevi sobre a saga!

      Eliminar
  4. Ois,

    Bem eu como já li à imenso tempo, não me ajuda muito que não reveles pormenores do enredo, mas obviamente que compreendo. Apenas me recordo que ainda terás umas boas surpresas pela frente e sim definitivamente Morgaine será uma personagem que nunca mais iremos esquecer ;)

    Sei que um dos livros não está ao nível dos outros 3 mas já não me recordo qual, mas pronto o importante é que continues a gostar ;)

    Por acaso estou a ler o ciclo de Pedragon do escritor Stephen Lawead, que também tem a ver com Artur e digo-te que quanto a mim é superior e é do melhor que já li até hoje sobre Artur. (Só ainda li o Talesian e o Merlin e já vou no inicio de Artur).

    Abraço e espero que gostes dos restantes ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Paulo.

      Devo voltar às Brumas nas próximas semanas. E pelo meio também quero ler mais do Fitz.

      Quando acabares o ciclo Pedragon diz-me qualquer coisa. Mas para já, fiquei curioso.

      Abraço!

      Eliminar
  5. Olá
    Há algum tempo que já não vinha por aqui.
    As Brumas de Avalon li quando era "novinha" :) e voltei a ler algures este ano. Lembro-me de ter ficado verdadeiramente impressionada com a força das personagens femininas: Igrainé, Morgause, Morgainne, Viviane, e Nimue. Lembro-me de sonhar imensas vezes que era a Senhora do Lago... acho mesmo que até quis ser sacerdotisa e pintar um crescente na testa!! Mas desta ultima vez não me entusiasmou tanto. Acabei por arrastar a leitura e como se passaram bem uns 15 anos pelo meio, não me lembrava de muitos pormenores, mas não os achei tão interessantes. Enfim... há alturas e alturas...
    Já agora acabei de ler, A Mulher de Pilatos, Antoinette May.. que é sobre a vida de Claúdia a mulher de Pôncio Pilatos. E iniciei No tempo dos amores perfeitos, do Tiago Rebelo, mais um romance enquadrado na época histórica colonialista, Angola, 1894.
    Continuo com vontade de ler: O Mago e a Trilogia do Círculo da Nora Roberts. Continuo com saudades do Tiryon e do Theon e do Fantasma :)
    Clara

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Clara. Tudo bem?

      Estou a ver que gostaste bastante das Brumas. E sim, acredito que a primeira vez tenha mais impacto, e a fase em que lemos o livro pode fazer a diferença.

      Eu também tenho saudades do Tyrion e do Theon, que se revela cada vez melhor! E tens mesmo de ler O Mago.

      Gostaste do A Mulher de Pilatos?

      Eliminar
    2. A Mulher de Pilatos - é sobre a vida dela mesmo, e não a vida dele. Tem um forte enquadramento histórico, claro, mas o que achei mais curioso e interessante foi a ligação à personagem de Maria de Magdala e de Jesus Cristo... polémico, claro, para não variar :) mas um ponto de vista muito prático e credível para a época. Para quem gosta de Roma, é um bom livro de se ler :)
      Clara

      Eliminar
  6. Uma das sagas mais fantásticas que descobri na adolescência! Foi bom recordar com a tua opinião. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá tonsdeazul. Também acho que devia ter lido este livro mais sido, e teria ficado mais fascinado. Mas ao ler agora também sabe bem conseguir captar tudo (espero eu que seja tudo) o que o livro tem para oferecer. Para já, totalmente recomendado!

      Eliminar