quinta-feira, 18 de abril de 2013

SANGUE DO ASSASSINO



Autor: Robin Hobb

Título original: Golden Fool


Sendo a 2ª metade do livro original, este começa logo após o terminar do anterior e, novamente, comecei a ler e não consegui parar. Todas as grandes sagas nos prendem por algum motivo: Harry Potter, pela sua magia, O Senhor dos Anéis pelo seu mundo, A Guerra dos Tronos pela sua complexidade e crueldade. Esta saga do assassino prende-me pelas suas personagens. A facilidade com que me preocupo com Fitz, Bobo, Breu, entre outros, faz-me ler esta saga sem parar, e isto é algo que poucas séries conseguem.

O ritmo da autora continua lento (é talvez o único defeito da saga que seja facilmente visível), mas, se por um lado poderia dispensar algumas das descrições sobre roupas, percebo que a autora nos liga às personagens principalmente pela forma como escreve, mostrando-nos como Fitz pensa, como é humano, como falha, e como volta a pensar. E assim, lentamente, o livro foca-se nos dilemas de cada personagem e na política necessária para se manter o reino unido. Fitz continua uma personagem realista, com todas as suas falhas (apesar de muito mais maduro que na saga anterior, como já tinha dito noutras opiniões), e mantém-se coerente, falhando onde sempre falhou, por exemplo: a sua enorme incapacidade para ler as outras pessoas.

Falando ainda de personagens, e se olharmos para a construção das mesmas, este é o livro em que a grande maioria ficou totalmente construída. Fitz, Bobo, Breu e até Respeitador, atingem neste livro a sua construção final, e a partir de agora, irão seguir com coerência em relação ao que já lemos sobre eles. Este facto nota-se com facilidade, principalmente com Breu, que se revela em pequenos detalhes que, certamente, serão muito importantes no futuro. A construção está lá, e basta apenas revelar.

O final não é marcante, mas abre um leque enorme de possibilidades, e no global, este livro tem um dos melhores enredos das sagas de Fitz. O enredo, tal como se espera de um livro que está no meio de uma trilogia, não tem um caminho definido a percorrer, pois a trama está em desenvolvimento, e acabamos por perceber que este é o preparar de várias situações futuras... e ao ler cada página imaginei o que poderia acontecer nos próximos livros. No entanto, é interessante ver como este livro foca-se muito mais em sentimentos do que em política ou fantasia.

Ao fim de vários livros sobre Fitz, ainda não estou cansado desta saga, e isto é significativo. Aliás, o que me custa é saber que está quase a acabar. Vibro com as personagens, quero justiça para elas, quero saber os seus segredos, e com isto, acabamos com um livro, que apesar de se passar todo dentro de uma cidade, nunca senti necessidade de sair daquelas muralhas e descobrir mais sobre aquele mundo, pois tudo o que precisava, estava ali.

O livro está bem montado e nota-se como a autora nos dá algo para de seguida nos tirar. Houve pelo menos
duas vezes em que a autora, discretamente, muda o rumo de um diálogo para que as perguntas que nós temos, não sejam feitas pelas personagens, e o segredo mantém-se. E nós continuamos a ler sem parar.

Apesar de a anterior saga ter sido muito boa, esta é superior quase em tudo. A escrita da autora está melhor, as personagens também e não sabemos onde tudo isto irá parar, pois o próprio inimigo não está totalmente definido. Juntamos o facto de Fitz viver na sombra e cheio de dilemas, e sabermos que algum dia tudo será revelado, então torna-se impossível parar de ler.

Para finalizar, vejamos o seguinte: a grande maioria das trilogias, incluindo algumas muito boas, seguem um padrão - introdução, desenvolvimento e conclusão. E o que costumamos ter, é um primeiro livro que nos agarra, um terceiro livro que nos fascina, e o segundo livro acaba por ser o menos marcante quando tudo acaba. Se olhamos para os livros originais de cada saga de Fitz, na primeira saga foi o segundo livro original que mais me marcou, o que é raro. Nesta saga também o segundo livro foi mais viciante do que o primeiro... vamos ver o que acontecerá com o terceiro. Para já, altamente recomendado.

Luís Pinto

16 comentários:

  1. Como sempre, a forma como analisas o livro está excelente. Muito perspicaz alguns pontos que falas. Parece que é uma saga recomendada por todos e tal é difícil de se alcançar.
    Parabéns pela opinião que está muito bem conseguida sem revelar um único aspeto da história.

    ResponderEliminar
  2. Pergaminhoabril 18, 2013

    Cada vez me convences mais com estes livros.

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  3. Já li todos os livros e adorei. São fantásticos e valem a pena ler. sobre a tua opinião só posso dizer que adorei. A forma como falaste sobre o livro está bastante objetiva e inteligente e concordo contigo em tudo. Ah, prepara-te para grandes surpresas no futuro. Mesmo muito recomendado.

    ResponderEliminar
  4. Olá Luís,

    Sabes que é das minhas escritoras favoritas, pela forma como escreve, por provar que não é necessário um universo demasiado complexo para se escrever uma boa história e as personagens é como referes sem duvida.

    Bem como tenho alguma vantagem sobre ti, nesta saga, pois já li tudo o que por cá está publicado, preparara-te, pois ainda vais ter umas boas surpresas e as coisas vão acontecer no tempo certo, no momento certo e sem um final apressado como ocorreu na 1ª saga, logo penso que o teu livro favorito será mesmo o último da trilogia, versão original, claro em especial as últimas 200 páginas :)

    Abraço e mais uma vez excelente comentário ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha,

      quando acabar esta saga, arranjamos tempo para uma conversinha. De certeza que vai valer a pena. Até agora estou a gostar muito.

      abraço!

      Eliminar
  5. Fiquei interessada, já apontei na minha lista de livros a ler :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá Filipa!

      Ainda bem que adicionaste. É uma saga que vale a pena. Para já, melhor do que a primeira, apesar de a primeira ser essencial.

      Eliminar
  6. Li a primeira saga graças a ti e já comecei a segunda saga. Li o 1º livro e foi o que gostei mais até agora. Ainda me faltam dois para te apanhar e na feira do livro devo comprar se não comprar no site da editora.

    Beijinhos e boas leituras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico à espera de opiniões!

      Bjs!

      Eliminar
  7. Já li esta saga e recomendo. Em relação à tua análise, excelente como sempre. Gostei da forma como abordaste alguns temas. Para mim este livro não é o que gostei mais mas é talvez o melhor pois como dizes, prepara tudo.

    Também gostei bastante da tua ideia sobre o livro do meio na trilogia e tens razão.

    Bom trabalho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado PCS. Vou tentar acabar esta saga nos próximos tempos!

      Eliminar
  8. Olá Luís, as tuas análises, como sempre são assertivas.
    Confesso que tenho algumas saudades de Fitz e companhia, li o 1º desta série à uns dois anos, como sabes e fiquei muito renitente em prosseguir, pois achei tão forçado e muitas vezes tão cansativo, precisamente pelo ritmo (ainda mais lento) de Hobb.
    Não sei quando voltarei a este universo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Nuno!

      Realmente o ritmo é o que pode afastar mais os leitores, principalmente num início de saga. Depois quando voltares ao Fitz, avisa!

      Abraço!

      Eliminar
  9. Estou à espera que acabes para me decidir, mas para já estou muito inclinada!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Ai Luís, vais adorar o final, prometo ;)

    ResponderEliminar