quinta-feira, 29 de outubro de 2015

RAINHA VERMELHA


Autor: Victoria Aveyard

Título original: Red Queen




Sinopse:  O mundo de Mare, uma rapariga de dezassete anos, divide-se pelo sangue: os plebeus de sangue vermelho e a elite de sangue prateado, dotados de capacidades sobrenaturais. Mare faz parte da plebe, os Vermelhos, sobrevivendo como ladra numa aldeia pobre, até que o destino a atraiçoa na própria corte Prateada. Perante o rei, os príncipes e nobres, Mare descobre que tem um poder impensável, somente acessível aos Prateados.
Para não avivar os ânimos e desencadear revoltas, o rei força-a a desempenhar o papel de uma princesa Prateada perdida pelo destino, prometendo-a como noiva a um dos seus filhos. À medida que Mare vai mergulhando no mundo inacessível dos Prateados, arrisca tudo e usa a sua nova posição para auxiliar a Guarda Escarlate – uma rebelião dos Vermelhos – mesmo que o seu coração dite um rumo diferente.



Rainha Vermelha é o início de uma saga que promete pela base que tem. Todavia, este é um livro com altos e baixos, principalmente porque é o início.

Comecemos por identificar o público alvo. A autora tenta, e bem, agarrar um público feminino que goste de alguma ação, fantasia e romance. Tudo isso misturado num mundo interessante. De forma quase surpreendente, tendo em conta a base e o público alvo, a verdade é que a autora não consegue explorar tão bem a parte sentimental dos seus personagens como consegue com outros temas. A fantasia está muito bem explorada, mesmo tendo em conta que a base da fantasia não é original. No entanto, acho que falha ligeiramente nas relações amorosas e de amizade entre alguns personagens, pois torna-se confuso ou sem grande impacto. Até que ponto tal foi um objetivo da autora, é difícil de saber, mas em alguns momentos não consegui criar ligações com certas personagens porque parecia que faltava alguma maturidade. Depois, tal noção desaparecia, depois voltava.

No entanto, o conjunto de personagens é interessante, bem estruturado e pensado na forma como se encaixa no enredo e como se complementam. Aplauso especial para uma vilã que consegue ser o grande foco de intensidade no livro e que fica na nossa memória.

O que mais apreciei no livro foi a escrita, simples que se enquadra bem, sem grande floreados, com um objetivo quase sempre definido. Este é um livro para se ler rápido, para nos agarrar e não nos levar a muitas perguntas. Se a autora nos próximos livros conseguir retirar alguma complexidade a alguns romances aqui presentes, a saga irá acelerar e tornar-se mais viciante. Para já, nota-se que a autora não se perde com o que não é dispensável. É verdade que tal estratégia pode tornar o livro algo previsível para quem tenha lido muita fantasia, mas também é verdade que o final surpreende pela positiva, com algumas respostas inesperadas e muitas novas perguntas.

O que falta a Rainha Vermelha, e que poderá ser alterado nos próximos livros, é a originalidade. A autora prendeu-se com alguma base já muito usada e da qual nota-se que se afasta aos poucos, como se fosse o resultado de uma maturidade que foi crescendo durante o processo de criar esta narrativa.

Globalmente é fácil perceber porque tantas leitoras apreciam este primeiro livro. Tem ritmo, tem um bom equilíbrio de ação, fantasia e romance, e foca-se claramente num público feminino, não só graças à personagem principal, mas também pela própria forma como a autora escreve. Fiquei curioso para ler os próximos e facilmente antevejo um bom sucesso de vendas para esta saga, capaz de agarrar muitas fãs. Por isso, público feminino, se procuram um novo início de saga com todos estes conteúdos que mencionei, esta pode ser a escolha certa. Acredito que gostarão! Agora falta esperar pelos próximos!

Luís Pinto

4 comentários:

  1. Excelente análise. Muito objectiva. Livro a comprar no futuro!

    ResponderEliminar
  2. Olá Luis. Gostei muito da tua opinião Já tinha visto o livro e adorei a capa mas não comprei. Algo na sinopse não me cativou mas agora fiquei convencida a arriscar. Gostei da tua opinião e espero que continues com a saga.

    Boas leituras.

    ResponderEliminar
  3. Fiquei convencida Luis. Será prenda de natal e depois venho partilhar a opinião.

    ResponderEliminar
  4. Personagens principais na adolescência deixa-me de pé atrás. A saga da house of night marcada, traída, escolhida etc, foi uma enorme decepção quando ouvi falar tão bem!

    ResponderEliminar