terça-feira, 6 de outubro de 2015

O VOO DO CORVO


Autor: Juliet Marillier

Título original: Raven flight





Sinopse: Depois de concluir a sua longa e árdua viagem até à base dos Rebeldes em Shadowfell, Neryn tornou-se uma parte vital da rebelião contra o tirânico rei Keldec. Cada passo que dá no sentido de aperfeiçoar os seus dons e afirmar-se como uma Voz poderosa e única na sua geração leva-os mais perto da meta pretendida. Mas, primeiro, Neryn terá de procurar os Guardiães das quatro Vigias para completar o seu treino e o tempo escasseia. Entretanto, Flint, o espião rebelde por quem se apaixonou, foi de novo chamado à corte de Keldec. O laço que os une é tão forte que, mesmo à distância, se procuram em sonhos, partilhando momentos preciosos - ainda que inquietantes - da vida um do outro. Os Rebeldes vêem com desconfiança este novo amor. Permitir que a emoção se sobreponha à lógica fria do movimento pode pôr tudo em risco. No fim, o amor poderá revelar-se a força motriz da esperança ou a brecha traiçoeira na armadura da rebelião.



Neste segundo livro da saga Shadowfell, o enredo desenvolve-se para momentos de maior tensão e com um peso moral que levará os leitores a ponderar algumas das decisões dos personagens. A autora demonstra aqui uma grande capacidade de ligar os leitores aos seus personagens e com eles sentia a intensidade do momento. A diversidade dos intervenientes é claramente um ponto a favor e facilmente começamos a gostar de algum personagem. Tendo em conta que acabara de ler o primeiro livro da saga, a leitura foi mais entusiasmante, e foi difícil parar.

Neste segundo livro, a autora explora situações e questões mais maduras, mas ainda não foi aqui que senti o que livro deu o passo em frente, e existe sempre a sensação de que não é um livro tão adulto como esperava. Tal ideia ganha força na escrita da autora, que continua simples e objetiva, nunca sendo demasiado forte, nunca explorando um tema ao ponto de moldar o estado de espírito do leitor de forma intensa.

Em relação ao enredo, a autora faz um trabalho interessante na construção de alguns momentos, mas sem nunca se afastar do caminho que desde o início percebemos que será percorrido. Não existem momentos surpreendentes nos primeiros 3/4 do livro, sendo a parte final aquela que poderá surpreender e deixar algumas incertezas sobre o futuro da saga no último livro, ficando uma curiosidade para ver o que se reserva a algumas personagens. A sensação que fica é que a autora, experiente, sabe que o trunfo e o motor da narrativa são as personagens e o seu mundo, e não o enredo enquanto conjunto de acontecimentos.

Gostei bastante da escrita da autora e da sua objetividade, quer nas descrições quer nos diálogos. Marillier não se perde nem se desconcentra do essencial que é este livro, que é aprofundar e criar a base para o livro final. Com isso, alarga a visão do leitor, desenvolve o seu mundo e capta a nossa atenção. Aliás, tal como no primeiro livro, o grande trunfo deste livro está no mundo criado pela autora, que tem tanto de complexo como de simples.

De um ponto de vista crítico e global, este livro consegue ser ligeiramente superior ao anterior e também consegue consolidar o que o primeiro livro nos ofereceu, faltando apenas algumas respostas que serão dadas no livro seguinte. Como sempre, não gosto de me alongar muito na opinião quando falta um livro. No entanto, é óbvio que estamos perante uma saga entusiasmante, leve, rápida e que agradará a todos os que apreciem fantasia, principalmente ao público feminino que mais facilmente conseguirá criar ligações com a personagem principal.

Luís Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário