quarta-feira, 15 de abril de 2015

SACRIFÍCIO A MOLOC


Autor: Asa Larsson

Título original: Till offer at Molok




Sinopse: Um grupo de caçadores mata um urso nos bosques perto de Kiruna. Quando abrem a barriga do animal, encontram restos humanos entre as vísceras. Uns meses mais tarde, encontram uma mulher assassinada em sua casa. Agrediram-na brutalmente com uma forquilha e Marcus, o neto de sete anos desapareceu. Rebecka Martinsson, que no princípio foi destacada para a investigação é retirada do caso.
Mas há poucas coisas que causem mais indignação que a violência contra uma criança, e Rebecka fica obcecada com o desaparecimento do menino. Por sua conta e risco começa a indagar o assassino da mulher: a morte parece perseguir esta família, e Rebecka não está disposta a permitir que o seu último membro tenha o mesmo destino.


Considerado pelos seus fãs como o melhor livro da autora, decidi lê-lo principalmente pelos vários prémios que recebeu dentro do género policial. 

Confesso que o livro demorou a conquistar-me. Se por um lado apreciei bastante as descrições que a autora criou de alguns locais da natureza, que me fizeram perceber facilmente que estamos perante um local com características muito particulares e que essas características serão muito importantes no enredo, por outro lado também é verdade que o enredo não me estava a convencer porque não estava a perceber por onde a autora me iria levar de forma convincente.

No entanto, com a continuação da leitura, a autora começa a ligar acontecimentos, com a narrativa a ter duas continuidades temporais diferentes, tudo começa a fazer sentido e as personagens começam a desvendar detalhes que nos levam a criar a nossa própria investigação, algo que acho fundamental ao lermos um policial (tentar adivinhar o culpado).

E aos poucos, enquanto as linhas temporais começam a mostrar as suas ligações, começa-se a perceber a grande qualidade da autora em escrever este enredo, em misturar e em revelar nos momentos certos, com a sincronização ideal entre os pontos narrativos, para que o leitor faça as ligações mas sem nunca perceber o todo que apenas é revelado no fim. 

Dentro das personagens, Rebecka destaca-se, com qualidade e com uma personalidade que facilmente cria ligações com os leitores, porque sentimos uma determinação e necessidade justiça que nos levam a desejar que seja bem sucedida, mesmo com todos os defeitos que possa ir demonstrando e, com ela, continuamos a ler e a procurar a solução de um mistério que no fim me surpreendeu e que me faz querer voltar a ler livros desta autora.

No global, este é um policial inteligente. No início não me cativou totalmente porque não percebi para onde a autora me levava, mas qualquer leitor acabará por ficar preso ao tentar encontrar a ligação entre as duas narrativas. A inteligência e singularidade do enredo é óbvia e no fim percebemos o porquê de ser um livro que tantos fãs adoram e com tantos prémios ganhos. Negro, complexo, surpreendente, este é um policial que sabe usar tudo o que está à sua volta, neste caso, a natureza, uma comunidade onde algo está mal, uma história de família onde se percebe que algo não bate certo... duas narrativas temporais diferentes. 

Se gostam de policiais, este é um livro que se destaca pela forma como está escrito e pela união de duas histórias que no início parecem tão distantes. Recomendado aos fãs do género policial mas também a quem queria entrar neste género.

Luís Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário