segunda-feira, 20 de abril de 2015

A VERDADE E OUTRAS MENTIRAS


Autor: Sascha Arango

Título original: The truth and other lies




Sinopse: A Verdade e Outras Mentiras é um thriller psicológico que reúne inteligência, elegância, comédia negra e um elemento surpresa tão forte que nos hipnotiza desde o primeiro momento. Henry Hayden, um escritor de sucesso com um passado secreto, seduz toda a gente com a sua sensualidade e os seus modos de dandy. Mas a vida de fachada que construiu é subitamente ameaçada quando Betty, a amante, lhe revela que está grávida. Desesperado por salvar o seu casamento e o enorme sucesso literário de que goza, Henry comete um erro fatal e, na ânsia de o consertar, entra num vórtice imparável de mentiras e destruição.



Negro, confuso, viciante. O que mais apreciei neste livro é a constante sensação de que o livro me está a enganar, que não me está a ser contada toda a verdade, que estou a ver o porquê do título do livro a cada página. Onde está a verdade e onde estão as mentiras? 

E é com esta sensação que avanço nestas páginas, percebendo que dificilmente perceberei o livro antes da revelação, porque a própria narrativa me corta as pernas, não me deixando avançar na minha investigação. Henry engana as personagens com as suas mentiras e o seu charme, e o leitor sabe que também está a ser enganado em certa parte. Henry é um personagem que convence desde o início, com o seu charme, o seu discurso inteligente e o seu humor negro que nos faz sorrir. A verdade é que nunca tive a ligação necessária com esta personagem para querer que se safasse, mas é esse o brilhantismo do livro: estamos perante uma história em que não criamos uma ligação afetiva com o personagem principal, mas queremos saber como se vai safar, quais os seus segredos, quais os seus motivos.

Gostei da forma como o autor escreveu este livro. A dúvida está indiretamente instalada em todas as páginas e as revelações aparecem nos momentos certos, sempre envoltas numa atmosfera negra que gostei bastante. Foi mesmo muito difícil parar de ler porque não conseguia ver a saída da personagem de uma impressionante teia de mentiras que o rodeava.

Quando o final chegou, tinha a minha teoria, mas falhei. A verdade é que o autor me surpreendeu com um caminho que não esperava. A revelação, foco principal do fim deste livro, levará, certamente, a que muitos leitores gostem, e outros não. O impacto na leitura é inevitável e dou os parabéns ao autor pela sua decisão, mas a mim não me convenceu totalmente, sendo no entanto um gosto pessoal e que não me faz dizer que o livro acaba de forma má, longe disso. Talvez o que me tenha faltado seja algumas respostas que o autor não deu e que apesar de não serem importantes, gostaria de as saber.

No global este é um livro sobre os instintos que temos para tentar guardar os nossos segredos e sobre o efeito dominó que as nossas mentiras podem alcançar. É, inevitavelmente, um thriller psicológico em que não conseguimos gostar do personagem principal mas que nos prende porque queremos saber como se vai safar ou como irá cair aos pés da vida que inventou para si. Se gostam do género este é um bom livro e que no meu caso apenas não me convenceu totalmente pelo final que teve, mas que acredito que será o ideal para outros leitores.

Luís Pinto

2 comentários:

  1. Olá Luis. Acabei este livro ontem. Que grande coincidência! Concordo contigo em tudo principalmente sobre o final que também não foi dos que mais gostei mas que acho que a maioria vai gostar

    ResponderEliminar
  2. Gosto deste tipo de livros em que sou enganado ou em que não se sabe tudo. Já está na lista de compras! Pena não o ter ganho no passatempo :)

    ResponderEliminar