sábado, 11 de abril de 2015

O COMPLEXO DOS ASSASSINOS


Autor: Lindsay Cummings

Título original: The Murder Complex



Sinopse: Meadow Woodson, uma rapariga de 15 anos que foi treinada pelo seu pai para lutar, matar e sobreviver em qualquer situação, reside com a sua família num barco na Florida. O Estado é controlado pelo Complexo Assassino, uma organização que segue e determina a localização de cada cidadão com precisão, provocando o medo e opressão em absoluto.
Mas tudo se complica quando Meadow conhece Zephyr James, que é – embora ele não saiba – um dos assassinos programados do Complexo. Será o seu encontro uma coincidência ou parte de uma apavorante estratégia? E conseguirá Zephyr impedir que Meadow descubra a perigosa verdade sobre a sua família?


A primeira vez que vi a capa deste livro tive a sensação, tal como a grande maioria dos leitores, que este estava a olhar para uma mistura entre Lara Croft e Os Jogos da Fome, mas, felizmente, quando se tem um blog, por vezes lemos coisas que não estamos à espera, quer seja porque um leitor nos pediu para ler o livro ou a editora nos envia o livro, ou porque um amigo nos deu o livro na versão original e percebemos que temos em casa um exemplar em inglês que vai ser lançado no nosso país.

E é assim que alguns livros nos surpreendem e este foi um deles, porque, como sempre, não podemos julgar o livro pela capa. Aliás, este livro tem mais de 1984 do que de Os Jogos da Fome. Claro que não estou a comparar este livro ao imortal 1984 (é o meu livro favorito e para mim não existe outro igual), mas a base do livro não é a sua violência, mas sim a sua distopia.

O mercado editorial está cheio de distopais adolescentes em que num mundo violento jovens tentam sobreviver, e talvez salvar ou alterar toda a forma como uma civilização vive. O problema é que criar uma distopia adolescente é relativamente fácil, pois precisamos apenas de criar um mundo diferente, juntar uma personagem destemida e continuar, a cada página, a mostrar ao leitor que não compreendemos tudo o que sustenta este mundo, e assim, levados pela dúvida, lemos sem parar. O problema é que a maioria destes livros falha ao explicar essa mesma base, dando respostas sem sentido, não explicando o porquê... O difícil está em criar tudo isto mas de forma a fazer sentido... é aqui que este livro acerta em grande parte.

Esta obra tem muitos fatores positivos, como por exemplo o seu ritmo elevado, as personagens cativantes e os diálogos objetivos em alguns momentos, mas o que se destaca, e que torna este enredo muito mais maduro do que esperava, é o mundo criado, com uma sustentação muito superior ao que acontece noutros livros do género. É raro uma obra deste género ter um mundo que o leitor pense "isto é mesmo capaz de acontecer um dia", mas aqui existe a sensação que algumas coisas poderão mesmo acontecer, talvez por se aproximar mais de uma base sustentada nas inovações da ciência, o que pode surgir de certas descobertas e de um controlo cada vez mais notório da população.

Falar deste enredo é algo que quero evitar, pois o leitor deve ter o prazer de ler este livro sabendo o menos possível. Com momentos surpreendentes e revelações constantes, é difícil parar esta leitura. Claro que sendo um primeiro livro, há muito para explicar no próximo, principalmente o final inesperado que aqui acontece e que pode levar a história numa direção diferente da que no início esperava. Gostei das personagens, com especial destaque para Zephyr, mas o que me faz recomendar este livro a quem gostar do género é a maturidade do enredo. É isso que o destaca, com as suas indiretas questões morais e sociais, com a constante, mas nunca notória, sensação de que estamos a olhar para o que o ser humano é numa situação extrema sem existir a sensação de que algo está forçado.

Sendo um primeiro livro, e sem saber como a autora irá acabar o enredo e explicar o que ficou por saber, resta-me esperar, mas raramente uma distopia me deixou tão esperançoso no primeiro livro. Para já, muito interessante e recomendando a quem goste do género. 

Luís Pinto

3 comentários:

  1. Epa, não teria dado nada por este livro se não fosses tu. Agora deixaste-me com muita curiosidade.

    ResponderEliminar
  2. Eu tive duas formas de olhar para a capa. Por um lado não lhe achei piada mas por outro cativou-me a atenção mas depois acabei por não ver muito porque também só o vi no site da editora, mas agora fiquei com vontade de o ler. Gostei bastante da tua opinião.

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
  3. Também não estava à espera desta tua opinião porque achei que fosse mais do mesmo. Todos os livros que comentas neste género acabo por depois os ler e ter a mesma sensação que tu e por isso acho que também vou gostar deste mas ainda não sei se compro já ou se espero pela tua opinião ao próximo livro que pelo que vi é o último.

    ResponderEliminar