quinta-feira, 20 de novembro de 2014

PARA SEMPRE, TALVEZ


Autor: Cecelia Ahern

Título original: Where rainbows ends



Sinopse: Alex e Rosie atravessaram a infância e a adolescência juntos, sempre presentes na vida um do outro como melhores amigos. Mas, quando chega o momento de começarem a descobrir as alegrias das noites na cidade e das primeiras aventuras amorosas, o destino prega-lhes uma partida: a família de Alex muda-se da Irlanda para Boston, e Alex vai com ela, para sempre. Rosie não consegue imaginar a vida sem o companheiro de todas as horas e decide ir também para os Estados Unidos. Só que, uma vez mais, o destino intervém nas suas vidas, obrigando Rosie a permanecer na Irlanda. Mas poderão o tempo, a distância e o próprio destino ser mais fortes que um grande amor?



Li este livro porque é diferente. Quando me disseram que todo o livro era escrito por cartas, sms e mails, achei a ideia tão diferente, que tive de ler.

A parte mais positiva deste livro é a montagem. Em teoria, se não fosse bem montado, este livro não teria grande continuidade porque as trocas de msgs/sms não o permitiriam. Não existem descrições diretas de personagens ou ações. É tudo feito por diálogos entre personagens. Frustrante? Estranho? Ou brilhante?

Na realidade, é principalmente viciante, mas é mesmo preciso destacar a montagem. O ritmo do livro torna-se tão rápido e constante que se torna difícil parar de ler mesmo antes de começarmos a ter qualquer ligação com as personagens. O interessante é vermos a evolução das personagens, que começam a escrever em crianças até à fase adulta. A escrita muda, a forma como pensam, muda. E a história muda com elas. E, lentamente, apenas a ler sms, conseguimos criar uma imagem do que está a acontecer e o resultado final é que fica a sensação que não temos menos informação aqui do que temos num romance normal... a forma como recebemos essa informação é que é diferente. Claro que em alguns momentos vemos um ou outra mensagem que parece forçada, pois tem o objetivo de nos mostrar algo mais, mas são raros os momentos em que o livro o demonstra. Acima de tudo, está aqui um livro feito com inteligência.

Claro que no início não é fácil, estranhamos sempre um pouco, mas ao lermos sms e mails estamos perante um escrita simples e objetiva a cada página, proporcionando o ritmo elevado que já mencionei. Outro aspeto diferente, e também curioso, é a forma como a autora aprofunda as personagens. Aqui o caminho para as conhecermos é a partir das opiniões de outras pessoas ou com uma avaliação da própria personagem ou falar com outras sobre si mesma. Gostei bastante deste aspeto, mesmo que em muitos casos este aprofundar tenha sido indireto, por são formas diferentes de conhecer personagens e em alguns momentos até somos quase enganados pelas avaliações que cada personagem faz.

Por outro lado, é preciso realçar que no meio deste enredo romântico e narrativa diferente, existe uma possível crítica social. Até pode não ter feito parte do objetivo da autora criar esta crítica, mas a verdade é que está presente. A crítica foca como as nossas conversas são cada vez mais digitais, levando a interpretações que poderiam não existir quando falamos com a pessoa cara a cara. Todavia, como já assinalei, esta crítica não é dada de forma direta, mas sim criada por quem lê.

Sendo um enredo com diálogos, falar sobre o mesmo seria revelar momentos que devem ser lidos. No global, as personagens são interessantes, existem momentos para rir, outros para chorar, e no meio uma forte história de amizade e entreajuda. A amizade é a base e é o que dá beleza a este livro e também o que nos leva a criar ligações. Mesmo sem explorar de forma direta, a autora consegue criar o ambiente que sentimos quando estamos perante uma amizade, uma ligação entre dois seres que nos é difícil de explicar. Acredito que quem goste do género, goste deste livro, pela sua originalidade, pelo seu ritmo e simplicidade. Se este é o vosso género, este livro, apesar de não ser genial nem ser uma leitura com momentos que fiquem para sempre na nossa memória, consegue ser uma leitura muito agradável e original, e que nos leva a sorrir e a acreditar na força da amizade, e por isso, totalmente recomendável, principalmente ao público feminino.

Luís Pinto


1 comentário:

  1. Não conhecia o conceito deste livro mas parece engraçado.

    ResponderEliminar