terça-feira, 30 de julho de 2013

UM MUNDO SEM FIM - Volume I


Autor: Ken Follett

Título original: World without end


Sinopse: Depois do enorme êxito de Os Pilares da Terra, Ken Follett regressa à cidade de Kingsbridge, mas desta vez cerca de dois séculos após os acontecimentos do primeiro livro. No dia 1 de Novembro de 1327, quatro crianças presenciam a morte de dois homens por um cavaleiro. O sucedido irá para sempre assombrar as suas vidas, mas Merthin, Ralph, Caris e Gwenda ficarão também marcados pelo próprio tempo em que vivem, e em particular pela maior tragédia que assolou a Europa no século XIV, a Peste Negra.



Após ter lido o seu livro Triplo, uma obra de espionagem que gostei bastante, regresso a este autor para ler uma das suas obras mais famosas. Não sendo uma continuação direta, este livro passa-se na cidade do enredo de Os Pilares da Terra, que um dia tentarei ler. Devido a oportunidade e por não ser uma continuação direta, decidi começar por este, ajudando também a que as expectativas não destruíssem esta leitura, algo que poderá acontecer a quem leia primeiro "Os Pilares".

Sendo apenas metade do livro original, não irei alongar-me muito nesta opinião, mas há fatores que devo destacar devido à sua importância. Em primeiro lugar as personagens: a grande maioria está mesmo muito bem construída. Não tendo, por agora, uma favorita, parece-me notório que Caris se destaca, talvez pela sua coerência, mas também porque sai um pouco do espectro (em algumas características) onde estão as restantes personagens. 

O autor demonstra ainda um bom trabalho de investigação, e com isso, não só dá-nos pormenores interessantes a nível histórico, como depois consegue enquadrar muito bem as suas personagens, e nota-se como está bem explorada a ignorância e o preconceito do povo, criando ainda uma inércia contra a evolução. O mundo criado é amplo e profundo, não só graças ao enredo e descrições, mas principalmente (novamente) graças às personagens. O autor explora ainda, e bastante, o desejo sexual, principalmente a homossexualidade, mas falarei mais sobre este tema na opinião ao segundo livro.

Sendo um livro que perde por ser apenas a primeira metade, a verdade é que é viciante do início ao fim. O ritmo da narrativa nunca é lento mas também nunca é rápido. No entanto, a narrativa envolve-nos de tal forma que é impossível parar. Nota-se que o ritmo do enredo sobe e desce frequentemente, mas estas alterações nunca são demasiado extensas para nos mudar o ritmo de leitura, e assim continuei durante todas as suas páginas, sempre sem parar.

Com uma linha muito ténue entre o bem e o mal, com questões morais que farão o leitor dividir-se em opiniões e gostos sobre algumas personagens, o autor tenta expor com suavidade e realismo os dois lados da mente humana e os atos que por vezes tomamos para ajudar os outros ou para nosso interesse. É verdade que em dois momentos senti alguma previsibilidade mas é difícil de discutir para já tais momentos, pois ainda estou a meio da história.

Os aspetos negativos são difíceis de encontrar. É verdade que por vezes senti que as personagens não apresentavam a linguagem que eu esperava para aquela época, e também é verdade que o elevado número de personagens me obrigou a ler mais devagar no início para sentir que estava a perceber tudo, mas nada disto retira qualidade à experiência que está a ser ler esta obra. Assim que acabar o volume II deixo aqui a minha opinião numa visão mais global e mais profunda, principalmente sobre as questões morais que esta obra levanta.

Até agora, muito viciante e com bastante qualidade!

Luís Pinto

Para mais informações sobre o livro Um mundo sem fim - volume I, clique aqui.

Para mais informações sobre o autor, consulte o site da Editorial Presença aqui

8 comentários:

  1. Carlos Fonsecajulho 30, 2013

    Grande livro. O próximo é ainda melhor e estou bastante curioso para saber a tua opinião.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou tentar não demorar muito a lê-los!

      Eliminar
  2. E eu que nunca mais leio Ken Follett! Vi ambas as mini-séries baseadas neste livro e nos Pilares e ando louca para os ler, tenho de dar uma oportunidade ao Pilares da Terra que tenho cá em casa em inglês =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Chaise Longue. Eu também tenho de ler os Pilares a ver por todas as excelentes opiniões que me deram. Ler em inglês é capaz é de dar um pouco mais de trabalho :)

      Eliminar
  3. Também nunca li mas não conheço ninguém que tenha falado mal dos seus livros. Qualquer dia começo e a carteira não vai gostar. Vou ficar à espera da tua opinião ao segundo volume e depois lê os Pilares que também estou curiosa ou outro livro dele.

    Boas leituras.

    P.

    ResponderEliminar
  4. Também vou ficar à espera da próxima opinião. Entretanto, comprei o Triplo depois de ler a tua opinião porque é um género que gosto muito.

    Boas leituras
    Sérgio

    ResponderEliminar
  5. Como sempre vou ficar à espera de acabes a saga mas neste caso já estava praticamente convencida só me deste ainda mais vontade de o ler. Depois também fico à espera da tua opinião aos pilares.

    Bjokas

    ResponderEliminar
  6. Obrigado a todos pelos comentários. Estou quase a acabar o volume II e a opinião sai logo a seguir!

    ResponderEliminar