sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

A MORTE DO PAPA


Autor: Nuno Nepomuceno


Sinopse: "Uma freira e dois cardeais encontram o corpo sem vida do Papa sentado na cama, com as mangas da roupa destruídas, os óculos no rosto e um livro nas mãos. O mundo reage com choque, sobretudo, quando Pedro, um delator em parte incerta, regressa à ribalta e contraria a versão oficial. Porém, tudo muda quando imagens de um escritor famoso vêm à tona, colocando-o na cena do crime. Enquanto as dúvidas se instalam, um jornalista dedica-se à investigação do desaparecimento de uma adolescente. Mas eis que um recado é deixado na redação da Radio Vaticana. Com a ajuda de um professor universitário e da sua intrépida esposa, os três lançam-se numa demanda chocante pela verdade. O corpo da jovem está no local para onde aponta o anjo.




Nuno Nepomuceno está de regresso com mais um thriller cheio de religião, ação e suspense. O autor que nos últimos anos tem tido cada vez mais sucesso, apresenta-nos mais um enredo muito focado numa investigação, agora com contornos quase reais, pois o livro é baseado em acontecimentos passados que nos levam para um início em que o Papa morre de forma algo suspeita.

Com esta base inicial o autor prende o leitor com facilidade, pois o mistério está criado. Claro que quem tiver lido os livros anteriores acabará por aproveitar melhor alguns detalhes do livro, pois Afonso e Diana estão de volta, e conhecer os personagens faz a diferença. Contudo, é preciso realçar que o autor monta o livro de forma a dar detalhes que não deixem o leitor perdido, e assim, um leitor que nunca tenha lido os livros anteriores, poderá ler este livro de forma isolada.

Para tal, contribui um aspeto interessante que o autor tem executado nos últimos dois livros e que me surpreendeu pela positiva, que é o facto de as histórias se centrarem menos nestas duas personagens principais, o que dá mais autonomia ao autor, mas também torna os livros mais independentes, o que agradará aos novos leitores da série.

Nepomuceno continua no seu estilo, com os seus capítulos rápidos, empurrando o leitor para os seguintes, mas sempre a avançar um bocado no enredo, explorando algo, desvendando um detalhe, construindo a personagem... e é assim que avançamos num enredo bem montado. Claro que existem alguns momentos mais forçados, criados para manter o suspense, principalmente na forma como alguns diálogos são terminados ou montados, mas nada que retire entusiasmo a leitores que apreciem um thriller policial com uma boa dose de psicologia à mistura.

Outro aspeto interessante do livro está no facto de o autor não se limitar a criar uma única investigação. Nepomuceno junta outras investigações secundárias que ajudam a melhorar o enredo, tornando-o mais coerente, mas também capaz de ajudar a construir algumas personagens, tornando o livro mais sólido e abrangente. Aliás, nota-se que o autor tentou que esta narrativa fosse mais "aberta", explorando vários setores da sociedade atual, como por exemplo as redes sociais e media.

Por fim, falar de dois pontos importantes. Em primeiro lugar, o autor consegue misturar bastante bem o seu enredo com a realidade, e a isso junta-se a forma como nos vai ensinando algo, espalhando factos que nos ajudam a perceber melhor o enredo. Em segundo lugar temos o enredo em si, inteligente, capaz de nos levar a uma investigação que cada um de nós fará para sabermos quem é o culpado. É interessante ver como as respostas estão quase todas lá desde bastante cedo, mas demoramos a perceber tudo. As revelações finais são bem pensadas e melhoram o livro, apesar de nem todas me terem surpreendido. Mas confesso que a revelação mais importante apenas descobri umas três ou quatro páginas antes de ser revelada, o que me agradou bastante.

Nuno Nepomuceno tem aqui mais um bom livro. Na minha opinião não é o seu melhor livro, mas é provavelmente o que arrisca mais. é o mais inovador em alguns aspetos. É claramente uma leitura viciante e que agradará a todos os que procurem algo intenso, bem estruturado e com uma boa investigação. É verdade que tem momentos forçados mas são detalhes que não mancham um livro que demonstra a qualidade deste autor. Se o que procuram é ritmo intenso, suspense, thriller e religião pelo meio, este livro é uma bela forma de começar o ano. Venha o próximo!


Luís Pinto



Sem comentários:

Enviar um comentário