terça-feira, 21 de janeiro de 2020

A FUGITIVA


Autor: Jessica Barry



Sinopse: Sobreviver a um acidente de avião é apenas o início para Allison. A vida que construiu para si - o noivo perfeito e o mundo luxuoso de ambos -desapareceu num ápice. Agora tem de correr, não só para fugir dos segredos sombrios do passado mas também para despistar o homem que a persegue a cada passo.No outro lado do país, a mãe de Allison desespera por notícias da filha, que se encontra desaparecida, dada como morta. Uma história de mistério, cativante e impossível de parar de ler




Este é um daqueles livros que está feito de maneira a que seja difícil parar de ler. Rápido, intenso e cheio de mistério logo nas primeiras páginas, continuamos a ler sempre na expectativa de sabermos mais, de perceber os motivos, como tudo vai acabar, quem irá sobreviver.

Quando um livro tem este foco, da intensidade, ação e velocidade, existe sempre algo que fica para trás, e claro que este livro também sofre com isso, ficando a sensação de que poderia explorar algumas coisas com mais profundidade, mas o objetivo foi sempre o de nos levar numa corrida de emoções. 

É com a personagem principal que acabamos por criar a maior ligação, pois sentimos as suas dúvidas e desespero. Numa fase inicial, a história não parece conseguir sustentar-se totalmente, pois algumas partes não são explicadas, feito de forma propositada para criar mais dúvidas e empurrar-nos para as páginas seguintes. Depois, aos poucos, os factos começam a tornar mais coerente um enredo que sofre um bocado com o seu ritmo. Os diálogos são bons, apesar de alguns serem forçados, e certos aspetos ao não serem explorados, levam a que o leitor acabe por ver quais são aqueles que são importantes, mesmo que o objetivo não seja esse daquele momento. No entanto, este é um livro inteligente na forma como está montado e na cadência com que nos revela alguns pormenores. Mérito também para o enredo, que apesar de demorar a mostrar a sua coerência, no último terço do livro melhora bastante, mostrando que desde o início que o livro nos estava a mostrar o caminho.

A fugitiva é um daqueles thrillers ideais para quem gosta de ritmos fortes, intensidade do início ao fim e uma boa carga psicológica que nos fazem não largar o livro. Para quem procure algo mais pausado ou com mais descrições e aprofundar de certos temas, esse não é o objetivo desse livro. Uma coisa é certa, apesar de não ser um livro fantástico nem de revolucionar o seu género, esta é uma leitura compulsiva e com um final que torna o livro melhor, explicando algumas coisas que tinham ficado sem resposta. Se este é o vosso estilo, então devem dar uma vista de olhos a estas páginas e provavelmente não o conseguirão largar.

Luís Pinto


Sem comentários:

Enviar um comentário