segunda-feira, 9 de julho de 2018

QUANDO A LUZ SE APAGA

 
Autor: Nick Clark Windo
 
Título original: The Feed
 
 
 
 
Sinopse: Bem-vindo ao incrível mundo do Feed!
Com apenas um pequeno chip, implantado no cérebro dos bebés ainda antes de nascerem, todos os problemas da sociedade podem ser resolvidos. Crimes violentos? Fraude? Impossível, tudo o que vemos é registado no Feed. Desaparecimentos? Faltas? Já não existem, o Feed põe-nos a todos em contacto. Esquecimentos? Distrações? Coisa do passado, o Feed não se esquece de nada.
Até ao dia em que o Feed é desligado.
Nesse dia, o Presidente dos Estados Unidos é assassinado, em direto, para todo o mundo. Pouco depois, o Feed cai. Já não há livros. Já ninguém tem computadores. Já ninguém se lembra, sequer, de como consertar as coisas mais simples. Toda a informação estava guardada no Feed. Sem ele, a civilização desaba.
 
 
 
A nossa vida é depende de muita coisa. Coisas que damos como garantidas, que provavelmente nem sabemos como funcionam, nem o que é preciso para a podermos usar. Água, luz, usamos sem pensar, e só lhes damos valor quando nos faltam. A nossa vida a mudar porque durante umas horas a água falta em casa. E se fosse a internet? E fosse o combustível? A sociedade leva-nos a depender de algo, sem questionar... Este livro fala sobre isso, e foi por isso que decidi lê-lo. Porque se certos alicerces da sociedade falharem, como poderemos adaptar-nos?
 
Coerente e inteligente, este livro tem um ritmo muito próprio, que muda entre algo mais rápido para aumentar a intensidade e os momentos mais lentos que ajudam a estruturar a sociedade do enredo. Não é, por vários motivos, um livro para qualquer leitor. É preciso gostar do género, é preciso estar atento, é preciso aceitar a nossa natureza animal que é moldada pela sociedade. É preciso aceitar que tudo pode mudar de repente.
 
Claro que para tornar o livro mais forte e para ter maior impacto no leitor, o autor explora, de forma dura, uma realidade que até poderá não fazer sentido aos nossos olhos, mas que dentro deste mundo, faz, e com coerência. Aceitando esta realidade, vemos como tudo encaixa muito bem, mesmo perante um final que nos deixa a pensar, mas que desde o início nos deu pistas para o que estava para vir.
 
Com personagens interessantes e uma estrutura que é um dos trunfos do livro, o autor conseguiu agarrar-me porque, ao contrário de muitas distopias lançadas no mercado, rapidamente se percebe que este livro foi pensado com pés e cabeça.
 
Devido à sua ideia base e também ao seu final, nem todos os leitores irão apreciar este livro, mas a qualidade está aqui, com uma ideia que vai a um extremo para questionar a nossa atual sociedade, passando uma crítica e uma lição que devemos questionar e aprofundar.
 
Se gostam do género, é claramente um livro a ler. Uma leitura a reler, daqui a uns anos, para perceber se estamos mais próximos ou mais longe da dependência e pânico que este livro conseguiu recriar.
 
Luís Pinto
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário