domingo, 29 de julho de 2018

CHAMA-ME PELO TEU NOME


Autor: André Aciman

Título original: Call me by your name



Sinopse: Na idílica Riviera italiana nasce um romance intenso entre um rapaz de dezassete anos e o convidado dos pais, um estudante universitário que irá passar com eles umas semanas no verão.
A mansão sobre as falésias é povoada por um conjunto de personagens excêntricas, com um gosto especial pela boa vida. Mas nenhum dos jovens está preparado para as consequências da atração, que, durante essas apaixonadas semanas de calor, mar e vinho, faz crescer entre eles o fascínio e o desejo, sentimentos que não conseguem suprimir, apesar de todas as proibições e dos perigos.
Divididos entre o receio das consequências e o fascínio que não conseguem esconder, avançam e recuam movidos pela curiosidade, o desejo, a obsessão e o medo, até se deixarem levar por uma paixão arrebatadora e descobrirem uma intimidade rara que temem nunca mais encontrar.



Finalmente li o livro que deu origem a um dos filmes mais falados nos últimos meses. Este é um daqueles livros em que a sinopse nos consegue de imediato dar uma imagem bastante interessante e bastante global do que será o enredo, e a partir daí entramos numa leitura que surpreende e que nunca nos deixa indiferente, pois todo o enredo está criado para nos transmitir algo, quer seja alegria, tristeza, revolta, etc. 

Com dois personagens principais muito bem construídos, o grande trunfo do livro divide-se em dois fatores: a realidade da sociedade criada e o amor entre os personagens. Começando pela sociedade, o autor explora muito bem todo o ambiente de férias, festa e verão de um grupo de personagens excêntricas que estão a gozar as suas férias. A forma como o autor explora certos temas e conceitos e o coloca neste ambiente deve ser aplaudido, porque rapidamente o leitor entra no enredo e sente que está dentro do livro. Para isso muito ajuda o ritmo, leve e inteligente, e que acaba por se forcar em momentos chave para o desenrolar no romance. A seguir temos o romance em si, criado de forma intensa, e sempre envolto nos preconceitos, na proibição e nos perigos. Com esta sensação sempre presente o autor agarra-nos facilmente para percebermos como tudo irá acabar. É esta sensação de que algo irá correr mal que nos empurra a grande velocidade para o fim do livro.

Com um enredo muito bom, diálogos inteligentes e sem grandes momentos forçados, temos aqui um livro realista e com momentos de grande escrita. A forma como o autor conta esta história é soberba, aumentando ainda mais o impacto dos acontecimentos no leitor. Quer tenham ou não visto o filme, este é um livro que agradará a todos os que leiam esta sinopse e fiquem curiosos. Um livro marcante , com uma narrativa sábia e muito para nos ensinar.

Luís Pinto


2 comentários: