sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

JARDINS DA LUA


Autor: Steven Erikson

Título original: Gardens of the Moon




Sinopse: Quebrado pela guerra, o vasto império Malazano ferve de descontentamento. Os Queimadores de Pontes do Sargento Whiskeyjack e Tattersail, a feiticeira sobrevivente, nada mais desejam do que chorar os mortos do cerco de Pale. Mas Darujhistan, a última das Cidades Livres, ainda resiste perante a ambição sem limites da Imperatriz Laseen.
Todavia, parece que o Império não está sozinho neste grande jogo. Sinistras forças das trevas estão a ser reunidas à medida que os próprios deuses se preparam para entrar na contenda…
Concebido e escrito a uma escala panorâmica, Jardins da Lua é uma fantasia épica da mais elevada qualidade, uma aventura cativante da autoria de uma excecional nova voz.



Para aqueles que não sabem, este é o primeiro de uma saga de dez livros. 
Para aqueles que não sabem, esta saga é considerada, de forma quase unânime, uma das melhores sagas de fantasia de sempre.
Para aqueles que não sabem, este é considerado por todos como o livro mais fraco dos dez.
E para aqueles que não sabem, fiquem a saber, este livro é muito bom...

Vamos começar pelo óbvio: querem um bom livro de fantasia para este natal? A escolha é este. É difícil, sem revelar nada, conseguir identificar os pontos altos deste livro, até porque são vários mas todos eles ligados diretamente à história. Começando pelo mundo, Erikson criou um universo bastante coerente e vasto. Apesar de só estarmos no primeiro livro, facilmente se percebe que o universo é vasto, cheio de História e com personagens que encaixam muito bem neste mundo. Flora e fauna são explorados de forma suave, mas sublime em alguns momentos, tornando este mundo credível. 

Outro grande aspeto está ligado ao passado deste mundo e destas personagens. Existe uma história anterior que molda de forma inteligente o que está a acontecer nestas páginas, demonstrando em vários momentos que o autor sabe o que está a fazer e sabe para onde vai. Aos poucos o enredo torna-se coerente e a ligação com os personagens é criada com facilidade. Por outro lado as dúvidas aumentam mas o autor não nos dá todas as respostas de imediato, apenas as que nos levam a querer ler ainda mais.

Destaque também para as raças criadas. Gostei da forma como o autor sustentou as raças, com as suas magias, costumes, traumas e objetivos. Tudo faz sentido neste primeiro livro apesar das muitas dúvidas que ficam no ar. O enredo está muito bem conseguido e a narrativa é um ponto alto pela forma como "salta" mas também pela suavidade com que toca alguns temas bem reais num mundo de fantasia. pelo meio, personagens carismáticas, bons momentos de ação e diálogos que nos dizem sempre algo. 

O resultado final é um livro onde tudo parece encaixar bem. Nota-se claramente que o enredo está apenas a aquecer e também se percebe que há muito que não sabemos (algo que se torna óbvio quando sabemos que ainda faltam 9 livros). Li este livro à velocidade da luz mas sempre com o espírito crítico necessário para parar e perceber se o que estava a ler fazia sentido ou era forçado. Agora que já o li, não quero falar sobre o enredo para não vos estragar a surpresa. O que posso dizer é que este é um livro muito bom, e se é considerado, de forma unânime, o mais fraco de toda a saga, então de certeza que irei ler os próximos assim que possível.

Depois destas páginas é fácil perceber o porque de Erikson estar ao lado dos grandes nomes da fantasia, como Sanderson, George Martin, Tolkien ou Feist. Totalmente recomendado e só espero que os próximos não demorem muito a chegar.

Luís Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário