segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

DEUSES AMERICANOS


Autor: Neil Gaiman

Título original: American Gods



Vencedor dos prémios Hugo, Nebula, Locus, SFX Magazine, Geffen e Bran Stoker para melhor romance, este livro ganhou o que poucos conseguiram, e rapidamente se tornou no mais famoso livro deste autor.

A ideia básica deste livro diz-nos que os Deuses apenas existem enquanto acreditarmos neles. Sendo assim, os antigos, e quase esquecidos deuses, vivem entre nós, e tentam trazer fieis para a sua causa. Mas novos deuses estão a aparecer e a ser adorados por todo o mundo. Televisão, internet, media, trazem-nos todos os dias, os novos adorados das gerações adolescentes. Os deuses estão ultrapassados e já não são o exemplo de vida para ninguém.

No início este livro não será fácil, principalmente porque nada faz sentido. A personagem principal, Sombra, é um homem que acaba de sair da prisão e não tem nada ao que se agarrar (a mulher morreu e não tem família ou emprego). A partir daqui, Sombra será recrutado pelo Sr. Quarta-feira, que é na realidade, um deus (não revelarei qual). Sombra é um homem que não encaixa com o leitor comum. Desprovido de sentimentos (na maioria do livro) ou preocupações após a morte da sua mulher, não é fácil o leitor gostar de uma personagem que parece apática grande parte do tempo. A juntar a isto está o facto de a história não fazer sentido nas primeiras páginas. Parece sempre que falta algo a cada página.

Não revelando mais sobre a história, começo por dizer que Gaiman criou um conjunto fantástico de personagens. Quando digo isto, não estou a dizer que temos personagens que marcam o leitor ou que ficarão na memória por muitos anos... falo sim de um conjunto de personagens que encaixam na perfeição na história que Gaiman criou. Diversificadas e todas elas com segredos, o leitor irá captar pequenas dicas do autor sobre cada uma, e caberá a nós juntar as peças no início do enredo.

A história é uma crítica à sociedade e não um livro de fantasia cheio de acção, por isso não esperem brutais lutas entre deuses. Aqui não interessa quem é mais forte, apenas quem é mais adorado. Aliás, nesta "batalha" entre antigos e novos deuses, o livro nunca nos diz directamente quais devemos adorar (não nos diz quem são os bons e os maus), isto apesar de o nosso personagem principal estar de um dos lados da batalha, a verdade é que não existe uma linha que separe o bem do mal. E como tal, cada Deus terá o seu toque de misericórdia, mas também de crueldade. Interesses, imoralidade, convicções, fé... tudo isto dá qualidade às personagens.

Mas, como disse antes, este livro é uma crítica a esta actual sociedade que deixa novas gerações serem educadas pelos ídolos que nos aparecem na televisão e internet. Os pais biológicos já não são os educadores das actuais crianças, porque o mundo consome todo o tempo que a vida oferece. Agora os exemplos de vida são os intocáveis ídolos que os media nos impingem, e que nos fazem acreditar que um dia teremos aquelas vidas de sonho.

Como disse antes, acredito que este livro não agrade a todos, principalmente pelo seu início nublado e por algumas personagens não mostrarem sentimentos ou motivação (mas também aqui teremos uma crítica aos nossos tempos). No entanto, todo o livro acaba por fazer sentido e se olharmos para o "palmarés" de prémios desta obra, percebemos que existe qualidade, e muita! O final não é fácil de interpretar e cada leitor poderá retirar ideias diferentes. Eu retirei a minha lição e adorei. Para mim é um excelente livro, sem dúvida, e também o é para muitos outros leitores e críticos, porque ganhar tantos prémios não está ao alcance de todos. Merece ser lido!

Para mais informações, visitem o site da editora.

10 comentários:

  1. No início é uma leitura estranha mas é dos meus livros favoritos. Mas concordo quando dizes que não é para toda a gente.

    ResponderEliminar
  2. Bem, é um palmarés invejável, no mínimo.

    ResponderEliminar
  3. Já me recomendaram muito este livro mas nunca o li. Agora até o fiz subir uns lugares na lista de compras. Obrigado pela sugestão. Realmente é um palmarés de prémios muito interessante.

    ResponderEliminar
  4. Adoro Neil Gaiman mas ainda não li este. Fala-se numa adaptação televisiva que eu seria a primeira a ver. Quanto ao livro quero lê-lo mas tenho tantos na mesma situação. Vida de leitora é assim!:p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma adaptação seria muito interessante!

      Eliminar
  5. Fiquei bastante interessada em ler este livro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. fico à espera de uma opinião!

      Eliminar
  6. Completamente convencido. Nem conhecia o livro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não e fiquei curiosa! Parabéns pela excelente crítica!

      Eliminar
    2. Não é uma leitura que todos gostem. Mas tem grande qualidade.

      Eliminar