terça-feira, 26 de abril de 2016

A MENTIRA SAGRADA


Autor: Luís Miguel Rocha




Sinopse: Na noite da sua eleição para o Trono de São Pedro, o Papa Bento XVI, como todos os seus antecessores, tem de ler um documento antigo que esconde o segredo mais bem guardado da História - a Mentira Sagrada.
Em Londres, um Evangelho misterioso na posse de um milionário israelita contém informações sobre esse segredo. Se cair nas mãos erradas pode revelar ao mundo uma verdade chocante.
Rafael, um agente do Vaticano, é enviado para investigar o Evangelho… e descobre algo que pode abalar não só a sua fé mas também os pilares da Igreja Católica.
Que segredos guardará o Papa? E que verdade esconde o misterioso Evangelho?



Este foi o primeiro romance que li de LMR e gostei do seu estilo. Tentando fazer uma análise rápida, não irei revelar nada sobre o enredo, pois um dos trunfos do livro é a capacidade de nos surpreender e nos levar a continuar a ler. 

No início LMR apresenta as suas personagens, e aqui é o momento mais fraco do livro, simplesmente porque o enredo está a agarrar o leitor com facilidade mas nos primeiros dez capítulos praticamente não se repete uma personagem principal. Esta teia narrativa ajuda a criar muitas perguntas mas o leitor poderá sentir-se perdido se não estiver habituado a este género. Depois, aos poucos, algumas personagens vão ganhando peso e conteúdo, tornando-se coerentes e focando a narrativa. Num livro deste género o fundamental é percebermos os motivos de cada personagem, e o autor consegue dar essa informação nos momentos certos, aumentando o suspense.

Claro que o tema é fundamental para se agarrar o leitor e qualquer tema sobre religião e conspirações seculares têm tudo para agarrar quem aprecie o género. LMR conseguiu explorar esses temas nos seus capítulos curtos e onde o enredo se desenvolve a cada instante. É verdade que sendo um livro que se foca no essencial para não baixar o ritmo, também se torna algo previsível quando tenta surpreender. Se estivermos atentos iremos perceber o que está a acontecer, mas tal não retira qualquer qualidade à narrativa. É apenas o preço a pagar por um ritmo elevado.

Gostei como o autor construiu as suas personagens. Existem dilemas pessoais que encaixam com o tema da religião e as crenças de cada um. No final uma revelação que não esperava e a vontade de ler mais livros do autor. O conhecimento do autor sobre o Vaticano é a grande chave do livro, pois consegue misturar factos e enredo sem sentir que estou apenas a receber detalhes de factos históricos apenas para encher o livro.

Este é um livro para os que apreciem o género. Um thriller religioso, rápido e que por vezes leva o leitor a questionar-se. Não é uma obra prima mas é um livro que não se larga, mesmo tendo em conta que a meio abrandou um pouco o ritmo e teve alguns momentos mais forçados. Fiquei com uma grande vontade de ler outros livros do autor e ver por que outros segredos do Vaticano me irá levar.

Luís Pinto

3 comentários:

  1. Já ouvi falar muito deste autor mas nunca o li. Acho que vou aproveitar esta opinião para ler este livro e ver se o género me agarra. Parabéns pela análise.

    HugoS

    ResponderEliminar
  2. Carla Rosáriaabril 26, 2016

    Olá Luis! Convencida a comprar na fira do livro. Gostei bastante da opinião. Bjs

    ResponderEliminar