quinta-feira, 14 de maio de 2015

DIAS DE SANGUE E GLÓRIA


Autor: Laini Taylor

Título original: Days of blood and starlight




Sinopse:  Karou, antiga estudante de Arte, quimera revenante e aprendiz de ressurrecionista, tem finalmente as respostas que sempre procurou. Sabe quem é e o que é. Porém, com este conhecimento vem outra verdade que ela daria tudo para desfazer: amou o inimigo e foi traída, e um mundo inteiro sofreu por isso.
Agora, sacerdotisa de um castelo de areia numa terra de poeira e estrelas, profundamente só, Karou tenta recriar o universo do seu passado, contribuindo, com a sua dor e a sua mágoa, para a volta gloriosa das quimeras.
Porém, sem Akiva, e sem o seu sonho de amor partilhado, o caminho da esperança afigura-se impossível de trilhar.


Após ter lido o primeiro livro desta trilogia (A Quimera de Praga) fiquei curioso para ver até onde a autora me poderia levar nos livros seguintes. Sendo o segundo livro da trilogia, é difícil falar sobre o enredo sem revelar alguns acontecimentos do primeiro livro, tal como é difícil concluir alguns pensamentos pois o terceiro livro é que dará as respostas.

O enredo começa umas semanas após o fim do primeiro livro e percebe-se rapidamente que algumas coisas mudaram mas que a autora penas lentamente nos irá explicar tudo. Com tal vazio no nosso conhecimento vamos tentando perceber novas motivações e o porquê de algumas decisões. Com esta montagem o ritmo desce no início, tornando-se mais lento mas também o enredo mais sombrio, pois de repente senti que não conhecia algumas personagens. Assim, vamos conhecendo novas personagens e aprofundando algumas que conhecemos do primeiro livro, e com isso o romance ganha algum destaque na primeira metade da narrativa. No entanto, é interessante ver que na segunda metade, com o ritmo a aumentar e o suspense a ganhar o foco da narrativa, que o romance não é o catalisador principal, mas apenas mais um componente que agarra o leitor, pois o cerne do enredo está na luta.

Um dos pontos mais interessantes do primeiro livro foi a boa mistura que a autora conseguiu criar entre realidade e ficção. Locais da cidade bem detalhados e com ligações interessantes ao mundo ficcional e uma sensação de coerência em alguns momentos tornam este mundo credível apesar de nem sempre totalmente explorado. Todavia, esta mistura continua a ser o grande trunfo desta trilogia, principalmente agora que tantas questões se levantam.

Pelo meio algumas personagens interessantes, fortes e sobre as quais não sabemos tudo. O problema é ficarem tantas questões sem resposta, o que prende o leitor ao próximo livro e ajuda a criar várias teorias sobre as motivações de algumas personagens e, como tal, a grande questão que fica é se a autora conseguirá responder às perguntas dos seus leitores. 

Este é um livro que nos vai agarrando aos poucos, tal como o anterior o fez. As personagens são a ligação que criamos com este mundo e mesmo envolto em alguns clichés ou diálogos que não parecem ter um objetivo, a verdade é que no global este é um livro bem conseguido, ao nível do primeiro e que agradará bastante ao público adolescente que goste de um bom mundo fantástico misturado com romance. Se gostaram do primeiro livro, certamente gostarão deste, pois é muito viciante. Falta agora saber se a autora conseguirá fechar esta trilogia com a qualidade que se espera.

Luís Pinto

3 comentários:

  1. Para já estou a gostar bastante das tuas opiniões. Vou esperar pela opinião ao último para me decidir, mas até agora estou a gostar muito do que escreveste. Bjs

    ResponderEliminar
  2. Também estou à espera da opinião do Luis ao último livro mas acho que vou já comprar o primeiro na feira do livro.

    ResponderEliminar
  3. Já li o primeiro livro que comprei depois de ver a tua opinião e concordo com o que disseste. Uma boa fantasia adolescente com toques adultos e que vicia. O mundo criado está muito fixe. Agora estou para comprar este e a tua opinião só me fez colocá-lo ainda mais acima na lista de compras.

    ResponderEliminar