quinta-feira, 22 de agosto de 2013

A ÁGUIA DO IMPÉRIO


Autor: Simon Scarrow

Título original: Under the Eagle


Sinopse: Afastado de Roma devido a uma conspiração que envolve o próprio Imperador, o jovem Quintus Cato, amante das letras e da vida no palácio, chega à Germânia para se inscrever como recruta na Segunda Legião, a mais temida e afamada dos exércitos de Roma.E se a adaptação aos rigores da vida militar já se revela terrivelmente difícil, o jovem ainda tem de enfrentar o desprezo dos camaradas quando descobrem que, graças aos contactos que tem em Roma, Cato vai receber um posto superior ao deles: o de lugar-tenente de Macro, o mais experiente e destemido de todos os centuriões. Para recuperar o respeito dos camaradas, Cato vai ter de provar a sua coragem contra as sanguinárias tribos germânicas. E se sobreviver, o pior ainda está para vir: a Segunda Legião vai ser enviada para uma terra de barbaridade sem paralelo, a nebulosa e distante Britânia.



Há bastante tempo que queria começar a ler um enredo passado no império romano e Simon Scarrow é um dos autores a ter em conta. Decidi começar pela Saga da Águia, sabendo que ainda terei vários livros pela frente. Visto que se trata do primeiro livro, não me irei adiantar muito, mas fica aqui a opinião ao início de saga.

Este primeiro livro de Scarrow é, no geral, sobre a introdução de Cato na vida militar. Esta rapaz, magricela, sem experiência de guerra e fãs de livros, torna-se facilmente uma personagem da qual gostamos e a cada página vemos um pouco da sua evolução até se tornar num homem. Sobre Cato devo dizer que apreciei o facto do autor não ter apressado este crescimento. Cato aprende, mas não se torna de um momento para o outro num temível militar, e várias vezes senti que foi a sorte ou a influência de outros a salvá-lo. Esta sensação dá credibilidade à história.

Falando de outras personagens, existem algumas que facilmente ficam na memória, mas também é preciso afirmar que algumas são, até agora, demasiado fáceis de se ler. Com isto quero dizer que foram poucas as que me surpreenderam, ou que demonstraram ser algo que afinal não eram. Tal facto retira algum impacto à intriga política por detrás da ação, mas os bons diálogos compensam este facto. A questão é, estará o autor a enganar-me ao mostrar-me tudo às claras?

O grande trunfo deste livro está na escrita do autor e nos detalhes que nos oferece. Scarrow dá-nos momentos cruéis, violentos e cheios de ação, intervalados com situações mais paradas em que os diálogos ganham força e ajudam à intriga. Falando primeiro dos momentos de ação, Scarrow está mesmo muito bem. As batalhas são detalhadas, a tática está sempre presente em cada linha e facilmente imaginamos as movimentações que o autor descreve. Junto a estes detalhes, Scarrow explora os sentimentos dos soldados durante a luta, principalmente de Cato, e assim a ação nunca é monótona, não existindo a sensação de arrasto.

Nos momentos mais parados, Scarrow dá grande importância ao diálogo, sendo a maioria bem construídos e com um toque notório de inteligência. No entanto, Scarrow nunca nos tenta enganar, e por isso não existem grandes surpresas a revelar. O leitor tem sempre todo o conhecimento e terá apenas de ver as movimentações de cada um, ligando os pontos até ao derradeiro movimento final que dá uma maior qualidade ao livro, deixando a porta aberta para a continuação.

Com a sensação que o autor nunca nos tenta ocultar nada, existem dois momentos que parecem algo forçados, mas também fica a noção que não foram bem explicados, e consequentemente, acredito que o autor explique melhor, nos próximos livros, algumas "manobras". No entanto estes momentos não estragaram o que foi uma leitura compulsiva da minha parte. É verdade que não se trata de uma obra prima, mas sim de um livro que introduz os conceitos básicos, as personagens importantes e a trama por detrás, cabendo agora ao autor surpreender nos próximos, pois a base está feita. 

Simon Scarrow conseguiu levar-me até àquela época e sentir a vida militar de um soldado romano. Os seus detalhes demonstram que o autor é um excelente conhecedor do que escreve e fica apenas a faltar saber que surpresas esta saga terá para me dar! Muito viciante.

Luís Pinto

10 comentários:

  1. Sempre que começas uma saga nova a minha carteira fica com dores. =P

    ResponderEliminar
  2. A única coisa que me tem afastado desta saga é o tamanho da mesma. Mas qualquer dia irei a ler. Mais uma vez a tua opinião deu me uma vontade enorme de comprar mais um livro, és a desgraça da minha carteira Luís!

    ResponderEliminar
  3. Também és a desgraça da minha carteira. O império romano não é um tema que me atraia muito mas também é verdade que nunca li nada e posso vir a gostar. Vou estar atento Às tuas opinião. Fui agora ver e a saga é grande por isso se até ao fim do ano leres mais uns e gostares começo a ler.

    Keep the fantastic work!

    ResponderEliminar
  4. Olá Luís. É recorrente as tuas excelentes análises e principalmente imparciais. Parabéns por isso, não me canso de tos dar. Em relação a esta saga, estou agora a lê-la, vou no 4º livro e estou a adorar. Os pormenores que falas aqui de forma mais negativa acabam por passar nos livros seguintes e algumas nem sequer notei mas agora que falas nisso, existem. O mesmo posso dizer em relação ao que é bom nesta saga que são as batalhas e ainda Cato de quem gosto bastante.

    Espero que continues com esta saga que eu estou a gostar bastante e agora gostava de ler as tuas opiniões.

    Grande abraço e boas leituras.

    ResponderEliminar
  5. Já conhecia o autor e a saga, mas não me suscitaram tanto interesse. Vou reconsiderar agora, já que se se vai perder tempo e dinheiro, ao menos que sejam bem gastos :)

    ResponderEliminar
  6. Olá Luís. Também gostei bastante deste primeiro livro. Infelizmente não é uma saga conhecida mas a editora tem apostado e bem. Já li todos os livros que saíram e recomendo mesmo muito a saga. Gostei muito de alguns pormenores e acho que quem gostar do género tem aqui uma bela saga que vai melhorando com o tempo. Continua a ler e não te arrependes.

    Abraços

    ResponderEliminar
  7. Olá Luís,

    Só posso dizer que a partir do 3º volume ainda vai ficar melhor, logo acredito que irás gostar ainda mais ;)

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Olá a todos! Peço desculpa por só agora responder mas não tem mesmo havido tempo!

    Devo regressar a este autor nos próximos meses e continuar esta saga! Depois digo-vos o que achei!

    Abraços e boas leituras!

    ResponderEliminar
  9. Os dois prinmeiros não são grande coisa, mas precisam ser lidos para se seguir a evolução do Cato e já agora, também do Macro. Os últimos já são um bocado irritantes porque se tornam uma fórmula....

    Na verdade, acho que o autor está a tentar 'recriar' a saga de Sharpe (Cornwell) mas no tempo romano. Nessa saga, os livros funcionam quase quase por fórmula. Um inimigo interno, um inimigo externo, uma missão perigosa, um término de missão em que os inimigos (interno e externo) são derrotados, e Cato/Sharpe evolui na carreira das armas.

    No caso de Cato e Macro, deverão seguir até à ascenção de Vespasiano a imperador.

    Já não comprei o último da série da águia e não me parece que a continue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá pco69!

      Neste momento estou a ler o 2º livro. Enquanto a saga for dando detalhes interessantes sobre a era romana, devo continuar a ler. Espero que a intriga melhore. Para já estou a gostar apesar de não ser uma obra prima.

      Eliminar