sábado, 18 de junho de 2011

O DEUS DAS MOSCAS

Autor: William Golding

Título original: Lord of the flies

Em 1954 William Golding (Prémio Nobel da Literatura em 1983, elevado ao título de Sir em 1988) publica este livro que imediatamente ganha um estatuto difícil de alcançar no mundo literário. Presença assídua em todos os Tops de melhores romances de sempre, O Deus das Moscas despertou a minha atenção há poucos meses. Com elevadas expectativas comecei a ler cada palavra com a maior atenção. A história desenrola-se numa ilha deserta onde um avião se despenha, deixando como únicos sobreviventes um grupo de crianças, não nos dando “imagens” quer do acidente quer do resto do mundo. Apenas mais à frente no livro nos é dado uma possibilidade do que é o mundo exterior àquela ilha, isto numa altura em que confesso, me questionava sobre o porquê de não existirem raparigas no livro. Agora ao olhar para o livro acabado de ler, penso que a não inclusão de raparigas neste mundo de William Golding tem as suas razões.
O livro começa com dois rapazes, Ralph e Piggy a explorarem a ilha após o acidente, e desde cedo se percebe que o autor tem a capacidade de nos presentear com um diálogo que só poderia sair das bocas de crianças. Este é o início do tema central do livro: até onde irá uma qualquer mente ao tocar o extremo sem estar devidamente preparada. Não revelando nada sobre a história, devo salientar como o autor nos leva para aqueles diálogos infantis de um bando desordenado de crianças que tanto poderão decidir com lógica como apenas usando o argumento “porque sim”. De salientar também como por vezes as personagens se questionam sobre como os adultos classificariam as suas acções, isto mesmo sem existir qualquer presença adulta, o que nos remete uma vez mais para a necessidade de afirmação e concretização pessoal aos olhos dos que admiramos em pequenos.
É, do início ao fim, um livro brilhante, que chega a ser aterrador ao observarmos como aquelas crianças que por um momento caminham na direcção certa, para mais tarde toda a organização se desmoronar graças a uma imaginária suspeita que levará a um medo bem real e corrosivo. Pelo meio vemos a necessidade de afirmação de qualquer ser humano ao viver em comunidade ou a de submissão originada por traumas latentes no passado de cada um. Aos poucos o livro torna-se aterrador por um lado ao ser óbvio que já não há caminho a seguir por aquelas crianças, e por outro lado ao levarmos uma chapada na cara por sabermos o quanto este livro é uma metáfora para o verdadeiro mundo que todos conhecemos onde podemos questionar até onde iríamos cada um de nós se todas as nossas acções ficassem impunes.
Um livro perturbador, com uma escrita sublime e momentos que não esquecemos tão cedo. Não é um livro para crianças, nem para a maioria dos adolescentes, mas é indiscutivelmente um livro que ninguém deveria perder.

18 comentários:

  1. ao procurar por este livro vim parar a este blog. sempre ouvi falar deste livro como um dos melhores romances de sempre. ainda nao o li, mas depois de ler esta opiniao fiquei com mais vontade de o comprar.

    ResponderEliminar
  2. Comprei a edição de bolso depois de mo aconselhar. Adorei o livro, forte, angustiante, um dos melhores que já li e que me era desconhecido. Excelente opinião.

    ResponderEliminar
  3. Um dos melhores romances de sempre, uma verdadeira obra-prima, uma excelente escolha da sua parte e com uma crítica a um grande nível

    ResponderEliminar
  4. Excelente crítica a um livro que me parece realmente interessante.
    Não conhecia mas irei comprar.

    ResponderEliminar
  5. Convenceste-me a comprar o livro. gostei muito do que escreveste. Mais algum livro deste autor que recomendes?

    ResponderEliminar
  6. Obrigado por me teres dado a conhecer este livro. Simplesmente fantástico!

    ResponderEliminar
  7. Olá, Luís. Bem, este era um livro que queria ler até ao final do ano e decidi que seria agora. Com muita pena minha, ainda não passei do capítulo 2, por estar completamente cheia de trabalho e obrigações que não posso atrasar. :(
    Assim sendo, não posso ainda dar a minha perspectiva, mas quando acabar irei ler a tua opinião com mais calma.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Olá.

    É primeira vez que venho a este blogue. Sinto-me em casa ;)

    Em relação a este livro ele está na minha lista a adquirir brevemente.

    Continuação de bom trabalho.

    silenciosquefalam.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. Olá Filipa! Espero que gostes do livro. Ultimamente também não tenho tido tempo para ler nada, e ainda menos para escrever qualquer coisa de jeito aqui. Mas fico à espera da tua opinião! Beijinhos!

    Olá miGuel pesTana!
    Obrigado pela tua visita e ainda bem que gostaste. Também fico à espera que um dia me digas o que achaste deste livro. O teu blog já o visitei e gostei. continua.

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  11. Tenho de concordar com tudo o que escreveste, claro. Muito bom, Luís. Atrasei-me com tudo, nos últimos tempos, pelo que só hoje tive tempo para me sentar e pensar neste livro a sério. Adorei, li-o bastante devagar, mesmo tendo em conta o seu pequeno tamanho e por vezes, ao ler, tive de voltar atrás, porque sentia que não tinha apanhado todas as coisas que o autor queria passar. Concordo contigo quando dizes que é um livro que perdura na memória. Quis passar a mesma mensagem no texto que escrevi.
    Acho que não é um livro fácil e por isso não o recomendo a toda a gente, mas acho que o li na altura certa. Acho que se o tivesse lido antes ,não o teria apreciado da mesma maneira.

    Então, e diz-me, que andas agora a ler? :) Bjs.

    ResponderEliminar
  12. Olá Filipa! Também foi uma leitora lenta para mim e o livro torna-se ainda melhor quando nos forçamos a ler este livro lentamente. Por vezes sentia que em cada frase, em cada fala e pensamento das crianças existia um significado. Adorei este livro. Ainda bem que gostaste e também concordo que é um livro que não se deve ler em qualquer idade. Se o tivesse feito mais cedo também não me teria dito grande coisa.

    E eu ando a ler um livro que me deixa bem-dispoto sempre que lhe pego: À Boleia pela Galáxia.
    Não sei se já leste. Um livro genial e que já me fez chorar a rir. E não estou a exagerar. Nos próximos dias escrevo sobre ele.
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. Acabei hoje este livro que comprei depois de ler a tua crítica. Fantástico,. Gostei imenso do livro. Forte e quase angustiante. Do melhor que alguma vez li. Obrigada pela sugestão.

    ResponderEliminar
  14. Um excelente livro :)
    Já viste o filme?
    Está no youtube, se quiseres depois deixo-te o link.
    Abraço

    ResponderEliminar
  15. Olá Paula. Não ainda não vi o filme? Está bom e fiel? Vou procurar. Se entretanto tiveres tempo envia-me o link sff!

    ResponderEliminar
  16. Respostas
    1. É daqueles que vale a pena reler.

      Eliminar
  17. Livro fascinante! O cunho literário de W.Golding é magnânimo! Uma obra de arte! Cada palavra, cada frase é de uma harmonia perfeita.
    Perdi-me naquela ilha, observei os medos dos miúdos, compartilhei as suas empatias e antipatias, as suas derrotas e as suas vitórias!
    Achei extremamente interessante a sublime mensagem do autor sobre estruturação social. Aquela sociedade, composta por pequenos e imaturos elementos, estabelecem nichos sociais cujas divergências originam grupos distintos com opiniões e modos de estar tão díspares na vida.
    Refleti sobre a escolha individual: bondade humana, solidariedade, amizade.... o no seu reverso, a maldade, crueldade, competição, violência.
    Leitura obrigatória.

    ResponderEliminar