quinta-feira, 23 de novembro de 2017

NOITE CEGA


Autor: Ragnar Jónasson
 
 
 
 
 
Sinopse: Na pequena aldeia islandesa de Siglufjördur, o jovem polícia Ari Thór Arason procura refúgio do seu passado e dos horrores que nele se escondem. Apesar do isolamento da aldeia, acessível apenas por um pequeno túnel nas montanhas, mantém uma relação difícil com os aldeões, que o acham estranho. Exausto, e com a sua vida privada a intrometer-se no trabalho, Ari Thór mete baixa.
Com Ari Thór ausente, o polícia que o substitui, e seu único colega, é assassinado à queima-roupa, a meio da noite, numa casa deserta. Cabe agora a Ari Thór deslindar um caso que rapidamente se torna muito mais complicado do que parecia: a comunidade fecha-se, a política local dificulta tudo, e o novo presidente da Câmara envolve-se no caso muito além da sua função.
 
 
 
Este é o primeiro livro que leio deste autor. Numa fase em que tantos autores nórdicos estão a ter os seus policiais editados em Portugal, começa a ser difícil um autor ter um grande destaque. Claro que em Portugal existem alguns nomes que "dominam" o mercado policial, mas isso não deve impedir as editoras de continuarem a procurar novos nomes para publicar.
 
Sendo este o segundo livro da saga, é o primeiro que leio do autor e apesar de claramente fazer sentido começar pelo primeiro, apenas na compreensão das personagens é que a minha leitura foi afetada. Claro que se tivesse lido o livro anterior, provavelmente conheceria melhor algumas personagens, mas a trama é si é independente.
 
Assim, nunca me senti perdido e avancei sem problemas. Gostei das construção das personagens, principalmente algumas secundárias e que ajudam à trama social e política que o livro apresenta. Aliás, muito do livro é focado e avança tendo como catalisador a trama política e social, onde jogos de interesses têm um grande peso. Este foi, provavelmente, o aspeto que mais gostei neste livro: a forma como o autor explora a vida social de uma pequena comunidade é o que dá qualidade a este livro. É o que nos faz continuar a ler, a questionar e a sentir a revolta e o suspense que este livro tenta que o leitor absorva.
 
Com um bom ritmo e momentos inteligentes, este é um bom policial mas que não consegue destacar-se de outros bons livros que a editora Topseller tem editado. A aposta da editora é forte e bem conseguida, e este é mais um exemplo. Apesar de não ter sido um livro que me marcou dentro do seu género, é fácil ver as suas qualidades. Se gostam de policiais nórdicos terão aqui uma agradável leitura e que vos irá prender até ao fim.
 
Luís Pinto
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário