sexta-feira, 18 de março de 2016

AS PEDRAS ÉLFICAS DE SHANNARA


Autor: Terry Brooks

Título original: The Elfstones of Shannara




Sinopse: Milhares de anos depois da destruição do mundo tal como o conhecemos, uma nova lei impera sobre o mundo: a da magia. No entanto, avizinha-se uma ameaça terrível: uma horda de demónios impiedosos começa a trazer a morte e a destruição sobre todos os povos.
Apenas Wil Ohmsford, último herdeiro da linhagem de Shannara, detém o poder para proteger a princesa Amberle numa demanda impossível para salvar o mundo. Mas quando o próprio Ceifador lidera as hostes negras para os capturar, será Wil capaz de controlar a magia das misteriosas Pedras Élficas de Shannara?



Este é o segundo livro da trilogia Shannara e é, em todos os aspetos, superior ao livro anterior. Tal como no primeiro, Terry Brooks opta por uma leitura rápida e leve, ajudando a que a complexidade do enredo seja percebida com facilidade. O ritmo ganha alguma oscilação, devido a alguns momentos mais lentos em que o autor explorar alguns momentos do passado ou em que decide explicar de uma só vez algo que seja preciso para que o leitor não se perca. A verdade é que este é um livro focado para um público juvenil que aprecie fantasia e esse foco nota-se em todas as páginas.

As personagens continuam cativantes e são elas que voltam a agarrar o leitor. São estas as personagens que tornaram a saga famosa (agora ainda mais ao ser adaptada para a tv) e levam o leitor a querer saber como tudo irá acabar.

Brooks aproveita este segundo livro, tal como a grande maioria dos autores, para explorar o seu mundo, abrindo o leque de locais e personagens, mas também revelando a história passada que ainda influência a história no seu presente. Contudo, o aspeto mais negativo do livro é a sua proximidade com a obra de Tolkien. Tal como tinha dito na opinião do livro anterior, Brooks utiliza muitos dos conceitos que Tolkien tornou famosos e que hoje são usados em livros, filmes e videojogos. Infelizmente, Brooks focou-se em tornar a sua história mais única e madura, mas não consegue o mesmo com o seu mundo, pois muito já estava criado.

Retirando este aspeto que poderá afastar os leitores mais exigentes, mas que também poderá aproximar um leitor mais juvenil e que queira um mundo cheio de fantasia dentro dos padrões que conhece, o livro progride em todos os aspetos, sendo um livro de qualidade superior ao anterior. Visto que ainda falta um livro, não quero alongar-me, mas fica a nota que o autor arrisca bem em alguns momentos e cria momentos que levantam perguntas e que merecem resposta no último livro.

A saga de Shannara é adorada pelo mundo, principalmente dentro do público mais adolescente. Aqui percebe-se o porquê. Não é uma obra prima nem revoluciona, mas cativa com facilidade. Ideal para quem esteja agora a entrar na fantasia ou que queira uma saga de fantasia leve mas com temas adultos. Deixo uma opinião mais aprofundada para o último livro mas, para já, estou a gostar e com muita vontade de ler o último.    

Luís Pinto

2 comentários:

  1. Estou a gostar das tuas opiniões a esta saga. Estou curiosa para ver o que achas do último. Para já estou a mirar a saga :)

    ResponderEliminar
  2. Quando falas-te aqui do primeiro livro acabei por o comprar mas ainda não li. Ainda bem que gostaste mais do segundo e acho que vou começar a ler o primeiro. Obrigado pelas fantásticas sugestões.

    ResponderEliminar