quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O FESTIM DOS CORVOS

Autor: George R. R. Martin      

Título original: A Feast for Crows

Primeiro tivemos um Rei, depois tivemos cinco. Agora tudo o que vejo são corvos, em disputa pelo cadáver de Westeros.
Esta frase representa para mim um pouco este livro. Depois dos incríveis acontecimentos de “A Glória dos Traidores”, percebia-se que esta saga teria de abrandar, visto que ainda falta muito para acabar esta história épica de George Martin. Aliás, já me tinham avisado que tal aconteceria. Mas que fique bem claro, este livro está longe de ser mau.
Tal como na frase que copiei do livro para iniciar a minha opinião, esta história é o rescaldo de todos os frenéticos acontecimentos de antes, e agora Martin “arruma a casa”, introduzindo novas personagens, aumentando a área visível do seu mundo, acrescentando culturas e mentalidades novas, ajudando o seu mundo a crescer. Este é um ponto muito positivo destas páginas, pois os nossos olhos irão incidir em locais que até agora apenas tínhamos ouvido, e que agora nos são dados, tal como as suas famosas personagens que ouvimos falar em livros anteriores.
Sendo um rescaldo, com introduções e um ambiente que serve para mostrar como as “peças do tabuleiro” se movimentam agora que tanto mudou, é normal que algumas pessoas possam achar este livro com pouca qualidade em relação aos anteriores. Mas reparem num facto: apenas a “qualidade dos acontecimentos” diminuiu. Tudo o resto mantém-se. A qualidade dos diálogos, a qualidade do mundo, a qualidade das personagens, a qualidade da intriga, dos jogos de poder. Continua tudo tão bom como sempre foi. Apenas os acontecimentos não nos deixam de boca aberta como nos livros anteriores.
Outro aspecto que poderá desiludir alguns é o facto de este livro e o próximo (livros sete e oito da edição portuguesa) terem apenas as personagens que se encontram a Sul, deixando as restantes personagens para o livro “A Dança dos Dragões” e “Os Reinos do Caos”. Sinceramente achei ao início que tal separação seria prejudicial, (porque poderia faltar um bom encaixe com os livros seguintes) mas agora olho-a de forma diferente. Eu lermos estas páginas, vamos sabendo, de forma muito suave o que se passa com algumas personagens do Norte, e será certamente interessante ler os próximos livros, tentando ver como Martin irá encaixar a surpresa em acontecimentos que nós sabemos à partida como irão acabar. Ou estará Martin a obrigar-nos a olhar para um lado não vendo o que é importante? Saberei quando os ler.
Neste livro aparece-nos a frase “A História morta escreve-se com tinta, a espécie viva com sangue”. A verdade é que Martin já derramou o sangue de muitas personagens, quase sempre de forma surpreendente, mas neste livro a guerra não se trava com espadas, mas sim com olhares, com palavras, com cartas, com os nomes da família, com favores e consequentes dívidas, tudo serve para vencer. Este é um livro de movimentações de bastidores e estou ansioso pelo próximo livro para perceber o que algumas personagens farão.
Com a introdução de algumas personagens, era óbvio que alguma me diria mais do que outras, tal aconteceu, mas uma vez mais é nos capítulos de Jaime que a minha leitura acelera. É realmente o meu preferido e explicar o porquê seria um grande spoiler. No entanto quem já tenha lido poderá perceber o porquê mesmo que não goste.
Para já pouco mais há a dizer. Martin mantém o seu mundo coerente, não deixa desmoronar o realismo da história depois de todos os fãs lhe fazerem vénias ao livro anterior, seguindo fiel ao seu estilo. Não será certamente o livro favorito de nenhum dos leitores da saga, mas qual é a grande saga que não precisa de respirar fundo antes do grande mergulho final?
Uma saga que já não consigo largar. Darei uma opinião mais objectiva e detalhada no fim do próximo livro. Até lá continuem a ler!

Uma última palavra de novo elogio à editora. As imagens das capas dos livros estão muito bem conseguidas, são cativantes. Alguns poderão argumentar que tais imagens não encaixam bem na história, ou que não revelam o essencial do livro, mas na minha opinião estão muito boas e demonstram o trabalho desta editora numa saga que cada vez mais conquista adeptos.

7 comentários:

  1. uma vez mais uma excelente opinião, que explica e empolga. Estou a ponderar ler esta saga visto que tanta gente fala dela e as tuas opiniões são muito positivas. Raramente leio fantasia mas começo a pensar em arriscar nestes livros todos.

    ResponderEliminar
  2. Vânia Teixeirasetembro 23, 2011

    mais uma opinião interessante. fiquei entusiasmada quando falas de jogos de bastidores. poderá não ser um livro tão bom mas compreendo que tenhas factores muito positivos tal como os anteriores.

    ResponderEliminar
  3. mas qual é a grande saga que não precisa de respirar fundo antes do grande mergulho final?

    adorei esta frase. Ainda estou muito longe deste livro mas as opiniões são muitos boas e obrigam-me a querer ler o mais rápido possível. Aprecio bastante o teu blog porque consegues dar opiniões sem revelar nada, continua assim!

    ResponderEliminar
  4. gostei muito da sua opinião. Não leio esta série mas interessa-me visto que fala tão bem. Li outros livros sobre os quais já falou e as suas opiniões enquadram-se no que sinto. Talvez leia esta saga a seu tempo.

    ResponderEliminar
  5. Adoro o seu blog, com uma escrita cheia de energia e empolgante. Em relação a esta crítica digo-lhe que nunca li esta série de livros, mas li as suas opiniões deste e do anterior livro e acabei por me interessar e ler a sua opinião ao primeiro. estou disposta a comprar. depois digo-lhe se gosto.
    Gostaria ainda de saber se faltam muitos livros para o fim da serie.

    ResponderEliminar
  6. Gostei muito da sua opinião bem completa e tal, acho que formar uma opinião sobre um livro deve tornar ele muito mais interessante vou tentar fazer isso! abraço a todos

    ResponderEliminar
  7. Olá Elton. Obrigado pelo teu comentário. Ainda bem que gostaste da minha opinião. Abraço e aparece mais vezes!

    ResponderEliminar