segunda-feira, 29 de agosto de 2016

OS FRUTOS DO VENTO


Autor: Tracy Chevalier

Título original: At the Edge of the Orchard




Sinopse: Em 1838, a família Goodenough instala-se em Black Swamp, uma zona inóspita e remota do Ohio, onde cultiva um vasto pomar de maçãs para ter direito à terra. A vida naquele local é extremamente dura.
James e Sadie Goodenough encontram formas distintas de enfrentar as adversidades: James limita-se a esperar que as suas diletas macieiras cresçam e deem frutos, enquanto Sadie passa os dias embriagada.
Nisto, uma discussão entre o casal tem uma consequência terrível no destino dos filhos.
Em 1853, Robert, o filho mais novo, encontra-se a vaguear pela Califórnia em plena Febre do Ouro, incerto de que rumo dar à vida. Deve continuar a fugir do passado ou constituir família?



Desde as primeiras páginas que percebemos que este não é um livro fácil de se ler. A autora puxa pelas nossas emoções, torna cada página numa mistura de sentimentos e aos poucos começamos a sentir o ambiente negro que este livro lentamente cria. É a sensação de desespero em que vemos como o livro nos tenta retirar qualquer esperança para estas personagens. 

Com um interessante conjunto de personagens, o destaque vai para uma que não irei revelar o nome para que o leitor não fique condicionado quando ela aparecer. É essa personagem, secundária, que torna todas as outras melhores, e é com ela que chega alguma esperança. No entanto, este é um livro sombrio, tal como os tempos também o eram. Em primeiro lugar devo destacar o interessante trabalho de investigação que a autora fez. A mistura entre realidade e ficção, personagens históricas e de ficção, leva a que o enredo pareça coerente, tal como o mundo aqui descrito.

O ritmo é cheio de altos e baixos, tal como as próprias emoções que o livro transmite. Num momento sorrimos, noutros sentimos a personagem que mais gostamos a desistir de encontrar algo bom. Neste aspeto a autora está muito bem, pois consegue explorar as suas personagens, com grande foco no passado de cada uma, tendo como base traumas, sonhos e medos. O resultado é um enredo inteligente, duro e que agarra o leitor.

Gostei bastante da forma como a autora conseguiu misturar tantos momentos históricos neste enredo. São pequenos, suaves, mas estão lá, e levaram-me a sentir que conheço um pouco mais daquele momento histórico dos EUA em que tanto se sonhou e tantas famílias acabaram na pobreza, ou na riqueza. Numa visão global este não foi um livro que adorei e que recomende a todos, mas o ambiente sombrio está muito bem conseguido e no final fiquei com a sensação que apesar de não ser um livro para qualquer leitor, muitos irão gostar destas páginas, principalmente porque o final surpreende.

Foi uma leitura interessante com a qual aprendi bastante e que me deixou com vontade de ler mais sobre esta época. Como já disse, não é fantástico, mas se gostam deste estilo ou desta época, vale a pena ler.

Luís Pinto


1 comentário:

  1. Olá!
    Gosto muito de romances históricos. Sempre que vejo este livro fico sempre com alguma curiosidade.
    Assim que puder vou tentar ler.
    Boas leituras

    ResponderEliminar