terça-feira, 22 de dezembro de 2015

A HISTÓRIA NÃO CONTADA DOS ESTADOS UNIDOS


Autor: Oliver Stone & Peter Kuznick

Título original: The untold History of the United States




Sinopse: O chamado excecionalismo americano, que atribui aos Estados Unidos caraterísticas únicas entre as nações, continua a moldar a visão que os norte-americanos têm do papel do seu país no mundo e a forma como o mundo interpreta as ações dos norte-americanos.Mas os factos revelam uma outra verdade, como Oliver Stone e Peter Kuznick contam nesta obra fundamental sobre as luzes e as sombras do império americano. Munidos das mais recentes descobertas obtidas em documentos desclassificados e da investigação de académicos prestigiados, os autores revelam a história escondida dos EUA, por vezes chocante, mas meticulosamente documentada. Stone e Kuznick mostram, por exemplo, que:- Os bombardeamentos atómicos de Hiroxima e Nagasaki foram militarmente desnecessários e moralmente indefensáveis. - Foram os EUA, e não a União Soviética, que mais contribuíram para a perpetuação da Guerra Fria. - A preferência dos EUA por ditadores de direita em muitos países traduziu-se pelo afastamento do poder de líderes eleitos, pelo treino e armamento de milícias assassinas, e ainda pelo lançamento na pobreza de milhões de pessoas. - Fundamentalistas islâmicos financiados pelos EUA, que começaram por combater os soviéticos no Afeganistão, vieram depois ameaçar os interesses dos americanos e dos seus aliados. - Os EUA usaram repetidamente o argumento da ameaça de uma guerra nuclear e estiveram muito perto de a gerar. Abrangendo um período de mais de um século da história mundial, este é um documento histórico singular que resulta de uma profunda e rigorosa investigação de cinco anos, revelando toda a verdade sobre os meandros do imperialismo norte-americano.



Quando olhei para a sinopse deste livro fiquei com vontade de o ler, principalmente porque me pareceu um livro que não iria ter como base uma série de teorias da conspiração, mas sim uma pesquisa cuidada a documentos que são fidedignos.

O livro não me desapontou. Longe disso. Gostei da forma cuidada com que o livro foi escrito, tendo um ritmo interessante e uma estrutura bem pensada, com as revelações a serem apresentadas pela ordem certa. Neste aspeto, Oliver Stone demonstra, novamente, que sabe agarrar o leitor que está a tentar assimilar toda esta informação e a criar as suas próprias ligações. Para criarmos as nossas próprias ligações, e consequentes conclusões, ter um bom conhecimento de alguns momentos políticos ajuda, mas o livro faz um bom trabalho ao explicar o essencial e a enquadrar a investigação com esses momentos.

Outro aspeto interessante é que o livro não nos tenta convencer de uma ideologia clara, mas sim que nos tenta levar a pensar. No meu caso, muito do que li neste livro já tinha lido noutros, mas também é verdade que este foi, de longe, a leitura mais acessível e bem estruturada que li sobre este tema. No final, algumas perguntas ficam no ar, mas não porque se queira criar algum tipo de impacto ou suspensa, mas para dar a noção de que ainda há muito para se descobrir, quer seja sobre os EUA mas também sobre os países com os quais tiveram ligações nos últimos anos e que de alguma forma tiveram influência em importantes decisões da nossa história.

Algumas revelações são muito interessantes, e outras conclusões também têm impacto, com a leitura a caminhar por caminhos sinuosos de doses iguais de especulação e certezas. É tendo essa noção que os autores não nos obrigam a aceitar uma ideia, mas sim a pensar sobre ela.

Sendo um livro sobre factos, é complicado mencionar detalhes sem revelar nada. Globalmente, gostei bastante do livro e acredito que agradará a todos os que ao lerem a sinopse ganhem vontade de o ler. Se procuram mais sobre este tema, este é um livro bastante acessível e inteligentemente montado para um público alvo bem definido. Uma boa leitura repleta de factos interessantes. Gostei bastante!

Luís Pinto

3 comentários:

  1. Não conhecia o livro e fiquei muito interessado.

    Feliz Natal

    ResponderEliminar
  2. Tiago Rodriguesdezembro 23, 2015

    Excelente escolha de leitura. Fiquei curioso sobre este livro porque não é um tema muito popular e ver um realizador pegar num livro parece-me algo diferente mas também ainda mais tentador. parabéns pela escolha da leitura como sempre.

    ResponderEliminar
  3. fiquei convencido!

    Feliz Natal Luis!

    ResponderEliminar