sexta-feira, 23 de novembro de 2012

UMA MORTE SÚBITA


Autor: J. K. Rowling

Título original: The Casual Vacancy



Este livro é, indiscutivelmente, o mais esperado do ano. Rowling, a autora que colocou uma geração de televisão e Playstation a ler, moldando a adolescência de milhões de crianças, regressa com um livro para adultos.

No entanto, muitos não conseguirão gostar deste livro. Porquê? Não por culpa da autora (em muitos casos), mas sim por culpa do leitor... leitor esse que estará sempre a comparar este livro com os anteriores.
O segredo é esquecer completamente toda a fantástica série do feiticeiro e olhar para estas páginas como se fossem escritas por qualquer outro autor.

É verdade que Rowling apresenta o seu estilo de escrita sem grandes mudanças. Quem tenha lido Harry Potter tantas vezes quanto eu, irá encontrar uma forma de escrever muito semelhante: a pontuação, a forma como expõe a história, o detalhe em certos momentos, a capacidade de criar diálogos que prendem o leitor... Rowling não mudou. O que mudou foi o tema sobre o qual está a escrever.

Este é um livro incrivelmente realista, no qual Rowling não tem problemas em mostrar uma sociedade destroçada, onde os interesses políticos valem mais do que ajudar o próximo. A cada página sentimos a crueldade inerente ao ser humano, a vontade de dominar o que o rodeia, mas também o amor pelo próximo. Sendo assim, as personagens são o grande trunfo deste livro, e digo-vos que raramente vi uma obra que conseguisse explorar tão bem, tantas personalidades distintas (umas melhores do que outras). Rowling mostra um detalhe impressionante do quadro psicológico de cada uma, não existindo distinções entre boas e más. Todos os humanos têm a capacidade de odiar e amar algo... e aqui nós iremos ver os motivos, traumas e experiências de vida, narradas com uma linguagem forte e realista.

Rowling toca nos mais variados temas, principalmente nos que aniquilam uma sociedade. Infidelidade, racismo, inveja, ganância, drogas... muitos destes problemas começam porque as pessoas são egoístas. E Rowling relata-nos as fraquezas humanas com enorme qualidade. Algumas pessoas aprendem antevendo os erros, ou vendo os erros dos outros. Outras aprendem cometendo o erro, e outras nunca aprendem, limitando-se a dizer que vão mudar, mudar... e nunca mudam por mais vergonha que tenham delas próprias. A realidade é que é mais fácil criticar os problemas dos outros, do que enfrentar os nossos. 

Não querendo revelar nada da história nem a opinião sobre alguma personagem em particular (há algumas muito bem construídas), este livro demorou a conquistar-me e apenas na segunda metade do livro entrei definitivamente na história. A trama central não é marcante, pois este livro é sobre pessoas, as suas formas de encararem a vida... as pequenas coisas a que se agarram. Esta é uma história sobre aquele instante em que morremos e todos os nosso planos, desejos e ideias, desaparecem. Este é um livro sobre o efeito borboleta que o mais insignificante dos gestos pode criar.

Rowling é uma excelente escritora. Se Harry Potter foi único no seu género e marcou-o para sempre, este livro não o consegue, mas isso seria quase impossível. Esqueçam o feiticeiro durante esta leitura, não esperem um livro de suspense com incríveis revelações no fim, mas sim um relato fiel sobre a condição humana, do mundo em que vivemos e no qual nenhum de nós é perfeito.

Acredito que muitos não gostarão do livro, mas eu gostei. O final é marcante e o sentimento que criei em relação a algumas personagens faz-me ver a intensidade que este livro transmite e o facto de ter gostado bastante de algumas, que de perfeitas nada tinham. No entanto, volto a dizer: não é um livro para todos, e muitos não irão gostar.

Podem ver a sinopse e mais sobre o livro no site da editora.

8 comentários:

  1. Gostei muito da tua opinião sem revelações e a explicar que este livro é mesmo diferente do Potter. Parabéns. Convenceste-me.

    ResponderEliminar
  2. Agora ainda tenho mais vontade de ler!

    ResponderEliminar
  3. Também fiquei com mais vontade mas destruiste a minha esperança em relação a ter um toque de magia ou algo parecido mas vou comprar de certeza com esta crítica da tua parte.

    ResponderEliminar
  4. Aproveito para avisar que revendedora da Avon! Caso queira algum produto não hesite em me contactar pelo facebook: Marta F. Araújo ou pelo e-mail: marta.arauja@gmail.com
    Obrigada :) Beijinhos *

    ResponderEliminar
  5. Grande opinião. Nunca li os HP mas este parece-me ser o meu estilo e não estava à espera desta mudança. Obrigado pela crítica.

    ResponderEliminar
  6. Ois Luís,

    Se já estava curioso por ler comentários sobre este livro agora ainda fiquei mais curioso por ler mais, pois explicas bem quer o enredo quer os problemas que o leitor acabará por ter sem revelares nada de muito importante.

    Vamos ver se me decido :D

    Abraço

    ResponderEliminar