quinta-feira, 7 de março de 2019

O FARMACÊUTICO DE AUSCHEWITZ


Autor: Patricia Posner




Sinopse: O Farmacêutico de Auschwitz relata a história pouco conhecida de Victor Capesius, um vendedor de produtos farmacêuticos que, em 1943, entrou para a SS e rapidamente se tornou o farmacêutico-chefe de Auschwitz, o maior campo da morte da Alemanha nazi. Baseando-se em arquivos secretos e documentos até agora confidenciais, Patricia Posner revela o reinado de terror de Capesius naquele campo, a sua fuga à justiça - em parte alimentada pelo ouro que ele tinha roubado das bocas de cadáveres - e também como um punhado de corajosos sobreviventes e um destemido promotor público, finalmente, o levaram a julgamento por assassínio vinte anos depois do fim da guerra. 
O Farmacêutico de Auschwitz apresenta-nos um vislumbre fascinante do pacto do Diabo feito entre os nazis e o maior grupo empresarial da Alemanha, a I. G. Farben. Esta é uma história de homicídio e de ganância com as suas raízes no coração do Holocausto. É relatada por meio de figuras de proa nazis e industriais transformados em criminosos de guerra, agentes secretos e promotores zelosos, intrépidos sobreviventes dos campos de concentração e caçadores de nazis. 
Num cenário que abarca a guerra lançada por Hitler para conquistar a Europa, a Solução Final e os esforços da Alemanha do pós-guerra para encarar o seu passado sombrio, Patricia Posner mostra-nos as terríveis profundezas às quais homens banais são capazes de submergir, quando desconhecem limites impostos pela consciência e pela mais vaga noção de moral.



A Segunda Guerra Mundial é um dos temas sobre o qual mais leio. Sendo um tema abrangente, em que podemos ler de um ponto de vista político, militar, social, entre muitos outros, a verdade é que a parte psicológica foi sempre foi uma vertente de estudo que sempre me interessou neste tema. Ver o porquê, ver até onde algumas coisas foram para o bem e para o mal. Este livro dá-me essa visão, de até onde alguns homens foram, dos limites que destruíram, daquilo em que se tornaram, e tudo isto, para praticar os atos mais atrozes de todos.

E este livro é isso mesmo, uma leitura crua, forte, direta sobre aquilo em que alguns homens se tornaram. O que fizeram, o que alcançaram, sem olharem ao sofrimento de outros, sem darem valor a essas pessoas, às suas vidas, ao seu bem estar, à sua dor e sofrimento. Este é um livro forte, muito forte, não por ser explícito, ou visualmente sem reservas, mas porque sabemos que foi real.

Gostei bastante desta leitura porque se sente um grande trabalho de investigação da autora. A forma como vamos avançando nestas páginas, aprofundando este homem chamado Victor, é um dos grandes trunfos do livro. Sendo um livro pesado sobre um tema que nos deixa desconfortáveis, a autora consegue equilibrar os sentimentos do leitor, sendo que ao mesmo tempo consegue chocar, mas também aliviar em alguns momentos, onde a leitura se torna mais ou menos académica, mas sem nunca ser pesada em termos de ritmo. 

Bem estruturado, este é um livro muito bem montado, dando todo o contexto necessário para que o leitor não se sinta perdido e também para perceber os impactos que tiveram algumas das ações e momentos aqui descritos. O resultado final é um livro que me ensinou bastante, que cativa dentro do seu tema, mas que, obviamente, não é para qualquer leitor. A sua investigação, que deve ser aplaudida, será a base, muito provavelmente, para novos livros de outros autores que têm aqui a história de um homem que será muito falado nos próximos tempos, principalmente entre académicos, porque aqui não se trata apenas de perceber a História, o impacto dos seus atos. Este é um livro que nos leva aos pontos mais negros da mente humana e que resultaram em momentos que nunca deveriam ter acontecido. Se estão curiosos sobre este tema, então é um livro totalmente recomendado.

Luís Pinto


Sem comentários:

Enviar um comentário