terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

A REVELAÇÃO DO BOBO


Autor: Robin Hobb

Título original: Fool's quest




Sinopse: Após os acontecimentos de O Assassino do Bobo, cresce a intriga que atinge a vida e o coração de Fitz. Depois de garantir que nunca mais a deixaria só ou negligenciada, Fitz abandonou a sua filha Abelha para correr para Torre do Cervo a fim de tentar salvar a vida do velho amigo Bobo. A consequência foi a mais terrível: um ataque à sua casa e o rapto da pequena, que desaparece sem deixar rasto.

Encontramo-lo neste volume dilacerado entre as obrigações para com o Bobo e o que a consciência lhe exige que faça para tentar recuperar a filha. Mesmo o regresso a Torre do Cervo traz grandes perigos, pois no local onde nasceu e viveu durante muitos anos ainda perdura a sua má fama de Bastardo Manhoso e assassino. O que poderá Fitz fazer para trazer a paz de novo ao seu mundo?



Durante todos estes anos de blog, já disse várias vezes que existem alguns autor que são especiais para mim. Qualquer leitor tem um conjunto de escritores, que por algum motivo, o leva por uma experiência diferente. Mais marcante, mais especial. Eu, enquanto leitor, não posso deixar de pensar em nomes com Tolkien, Rowling, Steinbeck, Sanderson, Wells, le Carré, e também Hobb. Cada um deles por motivos diferentes, mas todos especiais. Hobb é pelas suas personagens.

A verdade é que poderia acabar este texto aqui, deixando apenas que o nome da autor fique ao lado de grandes nomes da literatura. Haverá maior feito do que caminhar no meio de gigantes? Hobb leva-me, com as suas palavras, a sofrer com estas personagens. Ao fim de onze livros sobre Fitz, este personagem faz parte da minha vida. Quantas horas da minha vida já passei na sua companhia? Conheço-o como se fosse alguém real. E é isto que faz a diferença: a capacidade de levar um leitor a ler umas palavras e achar que aquilo é real, que devemos sofrer com aquelas personagens, que devemos sorrir quando tudo acaba bem. Aqui, uma vez mais, Hobb conduziu-me por um mar de emoções enquanto ia revelando a sua história.

O enredo, bem montado e inteligente, apenas sofre por este livro estar cortado ao meio. No entanto, acaba no momento certo, deixando-nos com várias certezas e novas perguntas. A forma como a autora explora as suas personagens, tornando-as cada vez mais complexas mas sempre coerentes com o que sabemos dos onze livros anteriores, é a razão para a existência da enorme legião de fãs desta saga. Alguém que pegue nestas páginas e a transforme numa série, sff.

Sendo um livro dividido ao meio, não irei alongar-me muito. A história está muito boa e este livro serve para apresentar alguns momentos importantes e preparar os próximos. É daqueles livros que leio, e a seguir apetece-me pegar na saga toda e voltar a ler tudo, tal é a minha "relação" com Fitz que se foi criando aos poucos. No entanto este livro não está totalmente focado em Fitz, mas também em Abelha ou Breu, personagens que continuam a demonstrar novas camadas, melhorando o enredo.
 
Quando o livro acaba a vontde de passar para o próximo é enorme. Espero que a Saída de Emergência consiga lançar o próximo livro nos próximos meses, porque as várias perguntas na minha mente precisam de respostas. Para já, uma coisa é certa: Hobb continua em grande, num patamar que poucos alcançam durante tantos e tantos livros. Totalmente recomendado, desde o início!
 
Luís Pinto



Sem comentários:

Enviar um comentário