segunda-feira, 3 de abril de 2017

LEGIÃO


Autor: Simon Scarrow

Título original: The Legion





Sinopse: Cato e Macro, dois soldados das legiões romanas, têm servido a causa dos Imperadores por todo o Império, desde a Bretanha até à Ilha de Creta, e enfrentam agora o caos que ameaça o Egipto.
O gladiador rebelde Ajax procura vingança pela morte do seu pai às mãos de Cato e Macro. Os seus homens têm-se disfarçado de soldados romanos e atacado bases navais, navios mercantes e cidades. Cato e Macro são encarregues da tarefa de perseguir o guerreiro renegado antes que percam o controlo da situação no território. Decidem juntar forças à Terceira Legião na esperança de destruir o seu inimigo no campo de batalha, mas o astuto gladiador colocou outros planos em movimento…
Uma história de vingança, traição e morte, Legião leva-nos numa grande jornada pelo rio Nilo acima no momento em que o Império Romano enfrenta um novo perigo.
Conseguirão Cato e Macro resistir à brutalidade dos seus inimigos? 



Este é o 10º livro da Saga da Águia e foi, talvez, o meu favorito até agora. A verdade é que o autor tem sido bastante consistente em todos os seus livros, sendo bastante difícil dizer que há livros melhores ou piores. A qualidade tem sido constante e os livros continuam viciantes, principalmente porque o autor vai mudando de cenários, mantendo uma boa base de intriga e de política que choca com a vida dos soldados nos campos de batalha. É este contraste que tantas vezes elevou a qualidade desta saga.

Claro que se tivesse tido os dez livros de seguida, provavelmente a sensação seria outra, talvez acabando por desgastar a própria leitura. Felizmente fui intervalando, tendo sempre a atenção de não ficar demasiado tempo sem voltar para não me esquecer dos detalhes importantes. Tal como nos últimos livros, o autor demonstra que já não há muito para explorar nas suas personagens principais, e assim foca-se noutras, "abrindo o leque" para que o enredo se torne mais consistente e abrangente. 

Tal como noutros livros, o grande trunfo está nas descrições das batalhas e na forma como o autor explora a vida dos soldados, tudo isto sem baixar demasiado o ritmo. É fácil sentirmos que estamos ali, no meio da batalha, e mesmo sabendo que os nossos personagens principais se irão manter (pelo menos é o que eu sinto), não é por isso que as batalhas são menos intensas.

Pelo meio, Scarrow continua a explorar questões política e sociais, explorando diferentes pontos de vista que os personagens vão presenciando. O contraste da forma como um soldados, que enfrenta o inimigo e vê como ele vive, olha para Roma e um político que nunca percebeu como vive ou pensa o inimigo que considera bárbaro, faz a diferença nesta saga, mesmo tendo em conta que o autor, par anão baixar o ritmo, nunca aprofunda demasiado o tema.

O que me fez apreciar mais este livro foi a inteligência do inimigo e os cenários egípcios, uma civilização que aprecio bastante, e que aqui me fez querer ler o livro ainda mais depressa. 

Já não falta muito para acabar esta saga e a continuar assim certamente tentarei lê-la. Daqui a uns tempos voltarei a este autor, para novas aventuras, com outros cenários, noutros locais. E duvido que o autor me desiluda.

Luís Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário