quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

CAMARATE - SÁ CARNEIRO E AS ARMAS PARA O IRÃO


Autor: Frederico Duarte Carvalho




Sinopse: Ao fim de mais de 30 anos de investigações e de tantos livros publicados sobre Camarate, o que falta ainda conhecer sobre a morte de Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa? E por que intitulo eu este livro Sá Carneiro e as Armas para o Irão?
A resposta à primeira pergunta poderia aparentemente ser respondida de forma lapidar: tudo. Acho que ainda falta conhecer tudo.
Quanto à segunda pergunta, espero que fique respondida de forma clara e inequívoca quando se perceber que este é um livro que vai explicar o contexto nacional e internacional que se vivia no dia 4 de Dezembro de 1980. Nesse dia, desapareceram da cena política portuguesa – e mundial – os estadistas Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa. A revelação da ver‐ dade de Camarate, mesmo após mais de 30 anos, ainda hoje representa um perigo para a estabilidade das relações diplomáticas entre Portugal e os EUA e, por arrasto, para a paz no Médio Oriente. Será pretensioso da minha parte ter a opinião de que a «Caixa de Pandora» de Camarate encerra o perigo de causar revoltas populares e políticas em Portugal, EUA e Irão? Infelizmente, como se comprovará ao longo dos factos apresentados neste livro, não é nada pretensioso concluir isso.
É apenas uma possibilidade bem real.



Este é o segundo livro que leio deste autor, e novamente foi uma leitura muito boa. Tal como no outro livro, O Governo Bilderberg, também neste o autor foca-se nos factos e não na especulação, e é isso que me agrada. Tal como se pode esperar de um livro que é uma rigorosa investigação que apenas se baseia em factos, a leitura nunca será particularmente entusiasmante ou viciante, pois o autor explora com detalhe cada aspeto presente no livro para ajudar o leitor a ganhar uma melhor compreensão, não só da base narrativa do livro, mas também de outros conceitos necessários para uma melhor compreensão do enorme alcance que toda esta história tem. E é aí que ao autor tem o seu trunfo, ao conseguir ligar vários fatos importantes para criar uma narrativa que aos poucos ganha o efeito dominó onde muito começa a encaixar.

A escrita do autor é simples e direta, sem os floreados desnecessários a um livro que tem como objectivo informar e levar o leitor a questionar e a ganhar interesse. A verdade é que apesar de não ser um livro que agarre, ao lê-lo a minha atenção estava totalmente focada nestas páginas. Outro aspeto importante neste livro está no facto de o autor explorar o “como”, o “porquê” e o “quem”, pois bastaria um destes caminhos da investigação não estar bem explorado para o livro não ter o mesmo impacto. O autor rodeia-se de factos e documentos para basear uma teoria que aos poucos deixa de o ser, para se tornar em algo muito mais verídico do que poderia parecer no início do livro.

Apesar de não ser um livro muito grande, quem não estiver realmente interessado no tema acabará, provavelmente, por não encontrar uma narrativa que o prenda até ao fim. No entanto, caso este tema vos interesse, então esta obra é a escolha certa, sendo na minha opinião o livro mais completo sobre o tema, principalmente porque o autor não se foca apenas no tema base, abrindo a nossa visão para muitas ligações financeiras e políticas a este acontecimento. O livro é assim abrangente e de certeza que ensinará bastante a quem o ler. Uma leitura muito boa.

Luís Pinto


Sem comentários:

Enviar um comentário