segunda-feira, 23 de maio de 2016

O SEGREDO DE CIBELE


Autor: Juliet Marillier

Título original: Cybele's secret



Sinopse: Paula viaja até Istambul com o seu pai em busca de um artefacto ancestral. O desejo que Paula tinha em descobrir o reino mágico onde vivera com as suas irmãs foi substituído por objectivos mais práticos: tornar-se comerciante de livros e manuscritos. No entanto, pistas e rumores acabam por convencê-la de que se encontra numa demanda fantástica e que a pessoa responsável por lhe ir dando essas pequenas suspeitas seja a sua irmã desaparecida, Tati. Puzzles, enigmas, testes de força e lealdade, lições sobre o amor, confiança e conhecimento - tudo isso surgirá na viagem de Paula, uma viagem onde o insucesso tem como preço a morte


Continuação do livro Danças na Floresta, este segundo livro consegue, em alguns aspetos, melhorar o livro anterior. No entanto, volta-se a notar que a autora está focada em que este seja um livro juvenil. Se o olharmos com um olhar totalmente crítico, é fácil perceber que este é um livro muito bom para o público adolescente. Está cheio de fantasia com a qualidade que Marillier nos habituou e isso eleva o livro para um patamar que poucos alcançam nos livros de fantasia juvenil. Tal como esperava, a autora consegue criar um mundo sublime, coerente e bastante atrativo, levando o leitor a quase desejar viver estas aventuras.

Por outro lado nota-se o foco juvenil nas personagens e seus diálogos, com falas mais diretas e os temas mais fortes a não serem tão explorados como noutros livros da autora. Também as personagens sofrem com este foco, pois nunca conseguem ter a densidade que eu gostaria, mas, novamente, percebe-se o foco juvenil.

Globalmente o ponto mais alto e o mais baixo do livro é o enredo. Por um lado, a autora brinda-nos com momentos de grande qualidade e com lições morais bastante interessantes. Todo o livro prende e empurra o leitor para continuar a ler, principalmente por certas personagens e acontecimentos deixarem algumas questões no ar que queremos ver respondidas. Por outro lado, o enredo tem vários momentos previsíveis e que serão claros para um leitor mais experiente ou que esteja mais atento. 

Esta saga não me marcou totalmente porque o seu foco é um público mais juvenil. Mas, ao olhar de forma crítica, este é um excelente livro para um leitor mais novo e que goste de fantasia ou esteja a começar a ler histórias fantásticas. Olhando para o público alvo, a autora volta a não falhar e os seus mundos mágicos são incríveis. Se procuram livros deste género focados num ambiente mais juvenil, esta é uma escolha acertada.

Luís Pinto

2 comentários:

  1. Voltei a gostar bastante da opinião a esta saga. Vou aproveitar a feira para lhe ver o preço.

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Achei muito interessante dares os dois lados da moeda sobre uma visão mais adulta e mais juvenil. Vou ficar com o livro debaixo de olho.
    Boas leituras!

    ResponderEliminar