sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

ADRIAN MOLE - Os anos do Cappucino


Autor: Sue Townsend

Título original: Adrian Mole




Sinopse: Adrian Mole está agora na casa dos trinta, divorciado e com um filho, William. É cozinheiro num restaurante londrino e os seus pratos têm sido alvo tanto de crítica quanto de elogios. O amor da sua vida, Pandora Braithwaite, foi recém-eleita deputada do partido trabalhista. Adrian continua a amá-la loucamente mas, para seu grande desgosto, Pandora continua casada. Frustrado afetivamente, Adrian sente-se desiludido com a vida, mas uma carta vinda do passado irá mudar tudo…



Após ouvir vários amigos falarem sobre os livros de Adrian Mole que tinham lido na juventude, decidi ler este devido à oportunidade que a Editorial Presença me deu para oferecer um exemplar antes do Natal. Com um maior interesse por causa do passatempo, comecei a ler esta obra mais juvenil tendo consciência que não é o início da saga e que o próprio personagem principal já amadureceu e deixou de ser o adolescente que os meus amigos mencionam. Agora, tal como a sinopse indica, Adrien está na casa dos trinta e fiquei curioso para saber se a autora continuava a manter o ambiente juvenil nesta saga.

Não conhecendo as personagens, confesso que no início me foi difícil perceber tudo o que estava a acontecer, pois de certeza que existiram diálogos ou acontecimentos com os quais eu deveria ter feito ligações com o conhecimento que os fãs adquiriram nos anteriores livros. Eu não o consegui fazer mas a autora encarrega-se, e bem, de suavemente vincar as personalidades de cada personagem. 

O que me agradou mais foi o equilíbrio que a autora conseguiu criar entre o enredo juvenil e temas adultos (sendo o personagem principal um adulto divorciado com um filho, terão de existir temas mais adultos, mesmo que explorados de forma mais suave), levando-me a acreditar que a autora amadureceu a sua escrita pois os seus leitores também foram crescendo. O resultado final é um livro que agradará a qualquer leitor que goste deste género, qualquer que seja a idade. Da minha parte, fiquei com vontade de ler outros livros do Adrian Mole quando precisar de umas leituras mais leves. A autora apresenta sempre um bom ritmo, os temas são interessantes, existem vários momentos cómicos e gostei das personagens apesar de sentir que mal as conheço.

Os primeiros livros que li, deveria ter uns 6 anos, foram Os Cinco, e apreciei bastante como a autora foi amadurecendo a escrita e enredo durante essa saga. Aqui, com Adrian Mole, voltei a sentir aquela nostalgia de ler livros juvenis, regressar à minha infância e, acredito, que todas as crianças deveriam passar por esta fase que é ganhar o vício de ler, de folhar as páginas e querer saber o que está a seguir.

Mesmo só tendo lido este, e não conseguindo ter uma ideia global da série, acredito que o seu sucesso tem fundamento, e por isso esta é uma saga tão aclamada pelas crianças. Voltarei a este personagem daqui a uns tempos. 

Luís Pinto

1 comentário:

  1. Olá!

    Há alguns meses li o primeiro livro da série. è muito giro e gostava de continuar.
    Este é o único que me falta.

    Boas leituras!

    ResponderEliminar