segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

EU, ALEX CROSS


Autor: James Patterson

Título original: I, Alex Cross




Sinopse: Um crime macabro. Alex Cross acaba de prometer à família que irá estar mais presente nas suas vidas quando recebe a notícia chocante de que a sua sobrinha foi barbaramente assassinada. Determinado a descobrir o criminoso, depressa percebe que ela estava envolvida num esquema de acompanhantes de luxo que concretizavam as fantasias dos homens mais poderosos de Washington, DC. E ela não foi a única vítima.
Um assassino infiltrado no poder. A caça ao assassino leva o detetive e a sua companheira, a detetive Bree Stone, a entrarem num mundo a que só os mais ricos e poderosos têm acesso. À medida que se aproxima da verdade, Alex Cross descobre segredos que poderão fazer tremer o mundo inteiro. Uma coisa é certa: quem está nesse círculo restrito tudo fará para manter os seus segredos bem guardados.



Este foi uma das minhas leituras favoritas deste autor. "Eu, Alex Cross" é mais pessoal do que a maioria dos livros de Patterson e oferece uma mistura do melhor que o autor já nos ofereceu. Curiosamente, é estranho sentir que este livro poderia ser ainda mais rápido, pois tens sub-enredos que pouco oferecem à narrativa principal e à construção de personagens. Mas, podendo ser já uma intro para próximos livros (pois o autor raramente "enche" os seus livros), não o posso criticar até ver o que estes sub-enredos irão oferecer no futuro. 

Aqui Patterson mistura vários temas. A política tem agora um peso maior no enredo e mistura-se nos problemas pessoais das personagens principais. O que Patterson tenta alcançar neste livro é a demonstração que certos acontecimentos podem acontecer a qualquer momento. A vida é mesmo isso... de repente algo pode acontecer. Aqui Patterson tenta colocar Cross nessa situação, em que o "controlo" da sua vida lhe foge devido ao aglomerar de alguns acontecimentos. 

Como sempre, o autor prende-nos com a mesma fórmula, e continua a resultar. A verdade é que facilmente conseguimos identificar os aspetos essenciais desta fórmula vencedora: capítulos curtos em que no final de cada fica a vontade de ler o próximo, ritmo elevado, sem parar para descrever algo que não seja fundamental, e ainda alguns saltos entre "bons" e "maus" para que seja possível perceber o porquê, levando a que não seja necessário receber toda a informação no fim. O problema é que apesar de a fórmula estar estudada, muito poucos a conseguem reproduzir com qualidade, mas Patterson é o mestre do seu peculiar género. 

Com a fórmula usada, Patterson explora o mundo secreto que apenas o dinheiro consegue comprar e manter, criado de imediato uma aura de secretismo na narrativa, pois estamos a ver a descrição de um mundo ao qual não temos acesso, dando ao autor a liberdade para criar, e a nós a liberdade de especular sobre as possibilidades. A isto Patterson alia uma trama mais próxima de Cross e o livro torna-se, tal como o livro anterior, num enredo mais pessoal, ideal para se explorar a família de Cross e os traumas do detetive. 

Tudo o resto que possa aqui analisar apenas irá estragar as surpresas que o autor nos reservou nestas páginas. Intenso, mesmo que mais lento do que os outros livro da série, este é o mais pessoal dos enredos e aquele em que conhecemos melhor Alex Cross, porque é nos piores momentos que nos revelamos realmente, e Cross não é exceção. Mais um livro dentro do nível que James Patterson nos habituou e um dos que gostei mais, principalmente porque ao ir conhecendo o personagem principal, vou apreciando melhor as suas decisões, os seus medos, levando-me a apreciar mais o enredo.

Luís Pinto

2 comentários:

  1. Mais uma excelente análise. Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Gostei da tua opinião e reparei que andaram a falar muito bem sobre ele no facebook do blog. Vou ver se o compro este mês.

    Jinhos

    ResponderEliminar