quarta-feira, 11 de setembro de 2019

SECA


Autor: Neal Shusterman & Jarrod Shusterman


Sinopse: Quando a seca atinge proporções catastróficas, há decisões que não podem esperar.
A seca já dura há muito tempo na Califórnia. E a vida da população tornou-se uma interminável lista de proibições: proibido regar a relva, proibido encher a piscina, proibido lavar o carro ou tomar duches longos.
Até que as torneiras secam de vez. E é assim que, de repente, o tranquilo bairro onde Alyssa Morrow vive se transforma numa zona de guerra, onde vizinhos e famílias, outrora solidários, se digladiam em busca de água.
Quando os pais da jovem não regressam e a sua vida é ameaçada, Alyssa tem de tomar decisões impossíveis se quiser sobreviver.
Um thriller fantástico que pode acontecer ainda no nosso tempo... e na nossa rua.



A ideia até pode não ser totalmente original, afinal de contas o tema da falta de água e o quanto pode mudar a nossa sociedade é algo já muito explorado, mas quando é bem feito, vale a pena ler. E este é um desses casos.

Este é um livro inteligente e bem montado, sendo capaz de explorar bastante bem, e de forma coerente, uma sociedade levada ao extremo para sobreviver. A tensão do livro é um dos seus pontos fortes, porque de imediato sentimos algo que nos diz que a sobrevivência destas personagens será difícil, iremos ver momentos extremos, onde decisões difíceis serão tomadas. Tudo isto são coisas que podemos adivinhar graças à sinopse, mas quando lemos o livro, sentimos o que está a acontecer nestas páginas.   

A personagem principal consegue criar uma ligação por o leitor com bastante facilidade graças a uma construção realista e coerente. No entanto, o que faz o livro avançar é a sociedade, é o extremo a que chega, são as decisões que irão chegar quando menos se espera. Não é um livro perfeito, tem alguns momentos forçados, mas está bem sustentado por uma personagem que, como qualquer humano, tem falhas, erra, e com isso a narrativa ganha coerência, ganha qualidade.

Destaque para algumas personagens secundárias que dão qualidade ao livro, principalmente com alguns diálogos bem conseguidos, mas, principalmente por colocarem a personagem principal em momentos de decisão extrema ou de enorme suspense e perigo. 

Este é um livro forte e que nos marca, porque é atual, porque é realista. Será esta a possível realidade se algo parecido acontecer? Até onde se aguentam as bases da sociedade se um dos bens necessários à nossa sobrevivência desaparecer? O que faremos para sobreviver? Os nossos vizinhos e amigos tornar-se-ão nossos inimigos? Que laços se quebram perante a necessidade de sobrevivência? Estas são algumas das indiretas perguntas que o livro nos deixa no pensamento. E é graças a isso, a essas perguntas, a essas coerência, que o livro é bom. Qualquer que seja o vosso género literário, se este tema vos interessa, então é um livro a ter, e que vos irá agarrar até ao fim! Provavelmente alguns momentos ficarão muito tempo na vossa memória. 

Luís Pinto


2 comentários:

  1. Já li e gostei muito deste livro :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que quem gosta do género irá gostar bastante deste livro. Obrigado pelo teu comentário :)

      Eliminar