quinta-feira, 19 de setembro de 2019

A VINGANÇA


Autor: John Grisham



Sinopse: Pete Banning era um cidadão modelo de Clanton, cidade do Mississippi - herói condecorado da Segunda Guerra Mundial, patriarca de uma destacada família, proprietário de terras, pai, vizinho e membro fiel da Igreja Metodista. Numa fria manhã de outubro, levantou-se cedo, foi para a cidade e a sangue-frio disparou a matar sobre o seu pastor e amigo, o reverendo Dexter Bell. A única declaração que Pete fez sobre o sucedido - ao xerife, aos advogados, ao juiz, ao júri e à sua família - foi: «Não tenho nada a dizer.» Não tinha medo da morte e estava disposto a levar para o túmulo as suas motivações.
Neste romance intenso, John Grisham transporta-nos numa viagem incrível e plena de suspense à descoberta da verdade, desde o sul dos Estados Unidos até às selvas das Filipinas e à Guerra do Pacífico. De um hospício claustrofóbico e cheio de segredos somos arrastados até um tribunal onde um advogado tenta desesperadamente ilibar um homem que procura tudo menos a sua salvação.


Confesso que não li, nem de perto, todos os livros de John Grisham, até porque é um autor que lança livros a grande velocidade. No entanto, os poucos que li, foram bons. Alguns, muito bons. John Grisham tem uma escrita simples, inteligente e que não perde muito tempo naquilo que pouco possa dar ao enredo. Tal como noutros livros, também aqui a escrita é objetiva sem perder detalhe, rápida mas sem perder qualquer detalhe interessante.

Neste livro, que rapidamente nos agarra porque acreditamos que aquele homem é inocente ou, pelo menos, queremos saber o porquê de ter cometido tal crime, existe sempre uma nuvem de mistério que não é forçada. É a nuvem de mistério que se cria porque percebemos que não iremos saber a verdade por Pete.

E com essa noção, com essa necessidade de sabermos a verdade, avançamos, sem parar por um livro que nos leva a explorar o passado de várias personagens, porque muitas vezes estes crimes têm origem no passado, mesmo que as pessoas não tenham essa noção. Este é um dos trunfos do livro, o aprofundar de algumas personagens importantes para o enredo, mesmo até de algumas que são bastante secundárias mas que dão um toque de qualidade a um livro que vai demonstrando a sua qualidade com uma boa montagem, uma narrativa inteligente e coerente, onde são poucos os momentos forçados.

Claro que não é um livro que seja uma obra prima, porque alguns diálogos são mais forçados ou existem algumas revelações mais óbvias, mas a forma como aprofunda algumas personagens está muito bem conseguido. Com isto, é fácil perceber que mesmo sendo um livro que não revoluciona o seu género, consegue agarrar e ser uma leitura compulsiva e agradável. Não é o melhor livro do autor, mas é um livro recomendado a todos os que leram a sinopse e ficaram curiosos, principalmente se quiserem livros com uma boa carga psicológica, não só dos seus personagens, mas também da sociedade aqui representada.

Luís Pinto


2 comentários: