segunda-feira, 15 de julho de 2019

A IDADE DAS DESCOBERTAS


Autor: Ian Goldin & Chris Kutarna


Sinopse: Verifica-se um crescimento da saúde, da riqueza e da educação à escala global. As descobertas científicas florescem. Mas as mesmas forças que permitem lucros fartos a uns conduzem a graves prejuízos para outros - e envolvem-nos de uma forma que a todos torna vulneráveis.
Já passámos por isto. O primeiro Renascimento, a época de Colombo, Vasco da Gama, Copérnico, Gutenberg e tantos outros, redesenhou todos os mapas do mundo, expandiu a informação e transportou a civilização ocidental da era medieval para a moderna. Esta mudança teve um custo: divisão social, extremismo político, choques económicos, pandemias e as outras consequências imprevisíveis dos empreendimentos humanos. Hoje vivemos o nosso segundo Renascimento.



Até que ponto aprendemos com o nosso passado? Esta é a questão deste livro, diretamente e indiretamente, levando-nos por uma viagem em que exploramos a forma como a nossa sociedade se está a moldar às novas tecnologias e descobertas, e a forma como essas descobertas irão mudar profundamente a nossa forma de viver, quer como indivíduos ou sociedade.

Este é um livro que agarra o leitor com facilidade desde que o tema interesse. O livro é suave, capaz de criar um bom contexto e de explorar vais mudanças e descobertas que estão a acontecer ou que irão certamente acontecer nos próximos anos. Com a tecnologia a melhorar imenso a nossa vida e a possibilitar novas descobertas todos os dias, para onde caminhamos enquanto espécie e enquanto sociedade? São estes os temas que o livro explora para termos um caminho a seguir e percebermos até onde poderemos ir.

Claro que um livro que fala sobre este tema, terá de ser bastante abrangente, o que pode ser um problema porque os leitores não irão dominar todas as áreas aqui exploradas. Neste aspeto o livro está muito bem montado, criando o contexto necessário para se perceber o essencial, principalmente para percebermos as implicações e o que poderá mudar, o que não é fácil de adivinhar, porque tudo está a andar demasiado depressa.

O livro explora várias áreas, desde ciências, saúde, física, tecnologia, política, religião, economia, entre muitas outras coisas como a genética, redes sociais, internet ou psicologia, para que a nossa visão seja o mais abrangente possível, sem ser maçador. Os capítulos bem divididos estão, a meu ver, na ordem certa, pois muitos dependem de outros para que um leitor com menos conhecimentos em alguma área não fique perdido.

Quem segue o meu blog sabe que gosto muito de livros sobre conhecimento, inovação, tecnologia, ciências, etc... este é mais um bom livro, que depois de explorar o que já mencionei, tenta mostrar o quanto temos de estar unidos no que realmente é importante para que estes avanços não sejam o início do fim. É preciso mudar mentalidades, é preciso ver o que estamos a fazer e quem irá pagar muito do que estamos a inventar. Desigualdades, radicalismos, entre muitas outras coisas, existem, e temos de perceber porquê e como as combater.

Luís Pinto


Sem comentários:

Enviar um comentário