segunda-feira, 5 de setembro de 2016

READY PLAYER ONE


Autor: Ernest Cline

Título original: Ready Player One





Sinopse: Em 2044 o mundo tornou-se um lugar triste, devastado por conflitos, escassez de recursos, fome, pobreza e doenças.
Wade Watts só se sente feliz na realidade virtual conhecida como OASIS, onde pode viver, jogar e apaixonar-se sem constrangimentos.
Quando o criador do OASIS morre, deixa a sua imensa fortuna e o controlo da realidade virtual a quem conseguir resolver os enigmas que aí escondeu. Os utilizadores têm apenas como pistas a cultura pop dos anos 1980.
Começa assim uma frenética e perigosa caça ao tesouro. Nos primeiros anos, milhares de jogadores tentam solucionar o enigma inicial sem sucesso. Até que Wade por acaso desvenda a primeira chave.
De um momento para o outro, vê-se numa corrida desesperada para vencer o prémio, uma corrida que rapidamente continua no mundo real e que põe em risco a sua vida.



Existem livros que simplesmente agarram o leitor. Uns são bons, outros são maus, mas ficamos agarrados, talvez pelo mistério, talvez pelo mundo, ou outro motivo qualquer. Este é um livro que agarra, ao ponto de acreditar que a grande maioria dos que o começarem a ler, irão "devorá-lo" a grande velocidade, sem conseguirem parar.

Ready Player One leva-nos numa corrida vertiginosa de realidade virtual, conspirações, mistérios e muitos momentos que nos farão lembrar da nossa juventude. No fim fica a sensação de que tudo é coerente, e por isso este é um bom livro que agarra e que voltarei a ler daqui a uns anos, talvez encontrando novos detalhes de qualidade, ou até falhas.

Agora o que torna este livro numa boa leitura? A forma como mistura a história de filmes, música, videojogos, etc... dos anos 80. O autor adapta factos ao seu enredo de forma inteligente, mesmo que a forma de escrita do autor não seja fantástica, mas a verdade é que pouco importa, pois não dificulta a nossa compreensão da história nem baixa o ritmo. A isto juntam-se boas personagens principais, com alguma profundidade e bem exploradas num mundo que levará o leitor a questionar o nosso futuro enquanto sociedade. Para onde estamos a caminhar? Onde nos levará o avanço tecnológico? O autor agarrou em vários conceitos de distopia futuras, misturou-as e criou um mundo sombrio mas credível. O resultado é coesão na grande maioria das páginas.

Claro que o livro sofre de alguns clichés e em momentos é forçado ou óbvio, mas a velocidade a que o autor nos empurra a continuar a ler, leva-nos a quase não percebermos as falhas que o livro tem. Com isto ficamos perante um verdadeiro fenómeno mundial, que será adaptado para o cinema por Spielberg e que tem uma brutal pontuação do Goodreads. 

Se querem ter aquela sensação de um livro vos agarrar até ao fim, este será a escolha. uma leitura viciante e que mesmo não sendo uma obra prima, recomendo porque tem o ambiente único e que nos leva a continuar a ler. Mesmo muito viciante!

Luís Pinto


2 comentários:

  1. Acabei de ficar convencido!

    ResponderEliminar
  2. Não conhecia mas já o coloquei na minha lista de compras para os próximos meses. Parabéns pelo texto!

    ResponderEliminar