quarta-feira, 21 de setembro de 2016

A RAPARIGA DO CALENDÁRIO - Livro 1


Autor: Audrey Carlan

Título original: Calendar girl





Sinopse: Mia Saunders precisa de dinheiro. De muito dinheiro. Tem um ano para pagar ao agiota que ameaça a vida do pai e exige o reembolso de uma enorme dívida de jogo. Um milhão de dólares para ser exacto.
A sua missão é simples: trabalhar como acompanhante de luxo para a empresa da tia, com sede em Los Angeles, e pagar mensalmente uma parte da dívida. Passar um mês com um homem rico, com o qual não é obrigada a ir para a cama se não quiser. Dinheiro fácil.
A curvilínea morena amante de motas tem um plano: entrar no jogo, conseguir o dinheiro e voltar a sair. Parte do plano é manter o coração fechado a sete chaves e os olhos no objectivo.
Pelo menos é como espera que corra.



O que gostei neste livro foi a sua tendência para romper com o tradicional deste género. Confesso que, devido à falta de originalidade que este género tem demonstrado nos livros editados em Portugal, não estava a pensar ler esta trilogia, mas quando mo ofereceram e li a sinopse, senti que podia ser diferente, simplesmente porque a personagem principal me pareceu distinta de todas as outras. E felizmente estava certo. Apesar de a estrutura do livro ser diferente do normal e isso ser o que chama os leitores, a verdade é que para mim a diferença está na personagem principal: uma mulher forte, que sabe o que quer, que luta pelo que quer e que não se deixa dominar por outros homens desde o início só porque se trata de um homem bonito ou bem sucedido profissionalmente.

Estando perante uma personagem feminina forte,  li este enredo com interesse na originalidade e no "arriscar" da autora. O ritmo é interessante, quase sempre alto, sem divagar em demasia, o que por um lado não nos deixa conhecer a personagem de imediato mas que por outro nos empurra desde o início para uma leitura rápida em que entramos logo na história.

A escrita é suave na maioria das páginas, tendo uma tendência mais erótica em certos momentos, o que é totalmente normal, sem chegar a ser uma narrativa demasiado visual ou que possa chocar um leitor que não aprecie uma linguagem mais forte. 

Todavia a novidade é a estrutura, pois cada livro é um juntar de meses em que a história se altera, apesar de ter a mesma base. Muitos personagens mudam e aos poucos vemos a nossa personagem a mudar, a tornar-se mais maduro. Por vezes acontece algo forçado, por vezes é um livro óbvio, mas nunca entra nos clichés do género, o que me agradou bastante.

Quando o livro acaba fica a sensação que ainda estamos no início. Há perguntas sem resposta e há muito para explorar em algumas personagens. Este é um início de trilogia interessante. Globalmente não é um livro fantástico, nem tenta ser, mas a verdade é que se consegue destacar no seu género e oferece o que um leitor pode esperar de um livro erótico. Se apreciam o género e procuram alguma originalidade, então este livro parece-me a escolha acertada. Opinião aos restantes livros em breve.

Luís Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário